Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Universidades

Ciência em Série: pesquisadores da Unicamp divulgam conteúdo científico de forma acessível

por Marina Borges em 11/03/20

Uma sequência de vídeos curtos, intitulada “Ciência em Série”, foi lançada por jovens cientistas do Laboratório de Genômica e bioEnergia (LGE) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O projeto "Ciência em Série"

Arte: Marina Borges
Ciência em série unicamp - Revista Quero
Ciência em Série divulga pesquisas científicas de maneira didática

No programa, os participantes  falam a respeito de suas pesquisas de forma simples e fácil, buscando deixar os estudos científicos mais didáticos e interessantes. Os vídeos podem ser conferidos no YouTube e fazem parte da iniciativa de divulgação científica Planteia.

A iniciativa é coordenada pela pesquisadora Camila Cunha, no âmbito do Programa Mídia Ciência da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapesp) e com apoio do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor), do Grupo de Gestão em Tecnologias Educacionais (GGTE) e do Laboratório de Genômica e bioEnergia (LGE) do Instituto de Biologia, todos da Unicamp. 

No total, são 14 vídeos compostos por: uma introdução ilustrada pelo artista Vicente Magalhães, 11 vídeos curtos e dois vídeos bônus, com duração média de um minuto.

Inspirada em um desafio do Instituto Serrapilheira (programa que apoia a ciência) feito aos pesquisadores contemplados em 2018, Camila Cunha achou que estimular alunos de iniciação científica e pós-graduação a falar sobre suas pesquisas em vídeos curtos seria um exercício interessante.

“Como cientistas esquecemos que fazer ciência é comunicar, primeiro para os pares e depois para a sociedade. Muitos cientistas subestimam a importância de aprender técnicas de produção audiovisual. Precisamos lembrar que estamos na Era Digital e as grandes transformações passam invariavelmente pelos meios de comunicação”, comenta a coordenadora.

Para ela, a criação multimídia é parte fundamental do letramento digital e depende do desenvolvimento de várias habilidade que passam por acessar, entender, avaliar criticamente e criar conteúdo em diferentes formatos e contextos.

Sobre o Planteia

O Planteia é um blog de jornalismo e divulgação científica experimental e independente, fundado em janeiro de 2020. A participação no Programa Mídia Ciência da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) em 2019 alavancou o projeto. 

Com foco em conteúdo multimídia, serve ao público em geral e aborda tópicos em divulgação da ciência relacionados às plantas cultivadas e aumenta a visibilidade de cientistas da área de ciências agrárias.

Foto: Reprodução/Facebook
planteia unicamp ciência em série - Revista Quero

Com espaço para o aprendizado e a experimentação, queremos conscientizar, inspirar e transformar. O projeto é parte também da rede de Blogs de Ciência da Unicamp.

Leia também:
+ Inspirada na Universidade de Harvard, Unicamp oferecerá a disciplina "Felicidade"
+ Destaque em ranking, Unicamp apresenta modelo de gestão sustentável e eficiência energética

Sobre a experiência

No processo de produção dos vídeos, primeiro foi pedido aos cientistas para escrever um texto curto que pudesse ser lido em até um minuto sobre sua pesquisa. O uso de jargões foi evitado sempre que possível e analogias foram incentivadas para explicar conceitos abstratos, facilitando a compreensão.

Confira os relatos de dois participantes do projeto:

“Sempre gostei muito de divulgação científica e escrevo textos para o blog Terabytes of Life, parte da rede de Blogs de Ciência da Unicamp. Então, a escrita não foi um problema para mim, já transformar a escrita em vídeo sim. Acho que o maior desafio foi gravar o vídeo em estúdio com tantos aparatos e conseguir falar no tempo certo e parecer natural”, comenta Sheila Nagamatsu, pós-doutoranda na Universidade de Yale, nos EUA. 
“Meu primeiro ímpeto a esse tipo de convite é recusar pela timidez. O processo de preparação para o vídeo foi muito mais técnico do que eu imaginava. Os maiores desafios foram resumir a minha pesquisa em apenas um minuto, decorar o texto e depois recitá-lo com naturalidade de quem está conversando com alguém, quando, na verdade, estamos olhando para uma câmera”, relata Fellipe Mello, pós-doutorando no Laboratório de Genômica e bioEnergia (LGE) da Unicamp.

Para criar uma conexão entre os vídeos, foi elaborado uma animação a fim de introduzir o tema das pesquisas. O ilustrador Vicente Magalhães foi quem assinou os desenhos que compõem os vídeos.

De acordo com ele, arte e ciência são fundamentais para a sociedade, sobretudo em tempos em que o cerco ao pensamento crítico e à liberdade artística ganham força. Sinto-me honrado e feliz em trabalhar com pessoas empolgadas e criativas para oferecer informações às pessoas que pouco ou nada têm de contato com a universidade”, comenta o ilustrador sobre a experiência.

Vale destacar que o projeto optou pela produção audiovisual porque, na cultura visual em que vivemos, vídeos sobre artigos aumentam as chances de serem baixados e até citados por outros autores ou instituições de pesquisa.

Atualmente, várias editoras de periódicos científicos renomados já têm em suas bases jornais que exigem a submissão de um resumo em forma de vídeo, então a escolha por esse meio está totalmente atrelada aos moldes acadêmicos atuais.

Veja também:
+ Projeto Meninas SuperCientistas da Unicamp incentiva a presença feminina na área da ciência
Sustentabilidade: Unicamp terá linha circular interna com ônibus elétrico

Tags relacionadas:

banner image banner image

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Quer ficar sabendo das melhores vagas antes de todo mundo?
ALERTA DE VAGAS i-close
Sabia que dependendo do seu período é melhor começar de novo?Thinking face f5c039d3e92b0c131b3780cdbc1ee3d7966cc05cafc35064b70df0e0e049c24d

Caso você ainda esteja no primeiro ou segundo período da faculdade, você pode economizar começando o curso novamente com bolsa de estudo.

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você encontra as melhores vagas em diversos turnos, até mesmo ensino a distância.

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Quer ficar sabendo das melhores vagas antes de todo mundo?
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2020 CNPJ: 10.542.212/0001-54