Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Vestibular e Enem

Com o SISU, menos alunos de baixa renda estão entrando na UFMG

por Quero Bolsa em 10/08/15 270 visualizações

Desde o ano passado, a Universidade Federal de Minas, a UFMG, extinguiu os vestibulares e adotou, como único modo de entrada, o SISU.

Se, por um lado, o sistema favorece que estudantes possam concorrer a vagas longe de suas cidades e estados, por outro, foi responsável pela queda no número de alunos com renda familiar menor que 5 salários mínimos matriculados na instituição. De 2011 a 2013, por exemplo, os estudantes com renda familiar mensal maior que cinco salários mínimos foram, em média, 51,3% dos aprovados, e 48,6% dos candidatos de menor renda. Já, no ano passado, o primeiro em que a instituição utilizou apenas o SISU em suas entradas, a diferença aumentou ainda mais: 57,5% alunos de maior renda e 42,3% de menor renda, como admite o pró-reitor de Graduação, Ricardo Takahashi:

“Recebemos alunos com faixa de renda maior do que a que existia na UFMG, e isso nos preocupa”, reconheceu. “Uma das metas da universidade é justamente funcionar como instrumento de inclusão social, de mobilidade de classes. Com a mudança, estamos cumprindo em menor medida esse objetivo, que vinha sendo alcançado antes”

Reserva de vagas

A lei de cotas aprovada em 2012, que entrou em vigor em 2013, instituiu que pelo menos 12,5% das vagas das instituições de ensino superior federais, passando a 25% em 2014 e chegando a 50% até 2016, sejam reservadas para alunos cotistas. Das vagas reservadas, 50% devem ser destinadas a alunos vindos do ensino público com renda familiar menor que um salário e meio per capita, e o restante, para alunos do ensino público com renda maior. As cotas também levam em conta, em ambos os casos, o número de negros, pardos e indígenas de cada estado, apurado através do último censo demográfico do IBGE.

“Esperamos que, quando ampliarmos a reserva de vagas para os alunos de escola pública e de baixa renda, possamos retomar os índices socioeconômicos antes registrados na UFMG”, diz Takahashi.

Controvérsia

Também há quem acredite que a aparente elitização da UFMG esconda em si uma virtude a instituição: atrair, entre seus matriculados, os que tem melhores notas no ENEM, por ser uma universidade de excelência. É o que defende o Professor Luciano Mendes de Faria Filho no Boletim UFMG:

“Em primeiro lugar, há de se levar em conta que esse movimento era perfeitamente previsível: em se tratando de um sistema universitário diferenciado e desigual, em qualidade e prestígio, como é o nosso, parecia óbvio, desde o início, que os candidatos com as melhores notas escolheriam, sempre que possível, as mais prestigiadas universidades. Alguém esperaria o contrário? Em segundo lugar, também já havíamos alertado, há tempos, que a adesão da universidade ao Sisu, sem que fossem criadas condições para a recepção de alunos mais pobres, como a construção de moradias e a ampliação do sistema de assistência estudantil, resultaria, na prática, em impedimento para que alunos vindos de outros municípios de Minas e de outros estados, mesmo com boas notas no Enem, escolhessem estudar na UFMG. Para eles, a qualidade e o prestígio não seriam suficientes para assegurar sua decisão de optar pela UFMG, diante das dificuldades de manutenção em Belo Horizonte.”

Ainda segundo Luciano Mendes, as raízes da elitização do ensino superior como um todo, e não apenas na UFMG, estão na diferença da qualidade entre as escolas públicas e particulares do ensino básico, e há que se ter cuidado para que a tentativa de acolher mais alunos de menor renda acabe por afastar a instituição do SISU, ao invés de ajudar a aprimorar o processo de seleção.

Fonte: Boletim UFMG, EM

Sobre o autor
author
Quero Bolsa

banner image banner image

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
ALERTA DE VAGAS i-close
Descubra qual profissão mais se encaixa com você.

Não fique na dúvida sobre o seu futuro. Faça o Teste Vocacional do Quero Bolsa.

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você compare vagas com bolsa em mais de 1.000 faculdades

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2020 CNPJ: 10.542.212/0001-54