Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Biografias

B. F. Skinner

Bianca Ferraz
Publicado por Bianca Ferraz
Última atualização: 28/11/2018

Introdução

Burrhus Frederic Skinner (1904-1990) foi um psicólogo e cientista norte-americano, expoente do behaviorismo, termo formado a partir do termo behavior, que em inglês significa comportamento. Essa vertente da psicologia foi a corrente que dominou a área, seja em escolas ou consultórios, na primeira metade do século XX.

Nascido na Pensilvânia, nos Estados Unidos, Skinner foi criado em uma família rígida, mas tornou-se um estudante fora dos padrões, tendo desenvolvido grande interesse pela poesia e pela filosofia. Tal interesse gerou no autor o desejo de ser escritor, que anos mais tarde, foi frustrado, devido a uma inabilidade literária. Dedicou-se, então, à psicologia.

Em sua carreira, realizou diversas experiências envolvendo animais, como ratos e pombos. Tais experimentos foram a base de seus estudos sobre o comportamento. As caixas de Skinner, locais em que mantinha os animais usados em suas experiências, foram adotadas, também pela indústria farmacêutica, dando origem a uma intensa discussão sobre a utilização e o abuso de animais no processo de fabricação de medicamentos.

Behaviorismo

A vertente behaviorista da psicologia tem como foco o estudo do comportamento humano. A perspectiva adotada pelos behavioristas considera que o comportamento é o conjunto de reações que os organismos têm diante de estímulos externos. Para esses estudiosos, apenas aquilo que pode ser observado cientificamente é passível de ação e análise.

A partir desse princípio, tem-se uma grande diferenciação dessa vertente em relação às outras que aparecem na psicologia. Tendo como foco apenas o que é observável do ponto de vista científico, há categorias, importantes para outras correntes, que deixam de ser trabalhadas, como a consciência, a vontade, a emoção, ou seja, estados mentais e subjetivos.

A ideia de que para estabelecer estudos confiáveis e explicar os diferentes comportamentos humanos existentes é necessário se embasar em evidências, desconsiderando especulações abstratas foi defendida por Skinner com a publicação da obra “The Operational Analysis of Psychological Terms”, no ano de 1945. Nessa mesma obra, o estudioso, a partir de suas ideias, critica o behaviorismo de orientação positivista e se alia-se ao behaviorismo radical.

Condicionamento e reforço

Uma das principais ideias que regem as teorias de Skinner diz respeito ao condicionamento operante. Para estabelecer esse conceito, Skinner usou, também, a noção de reflexo condicionado, que foi desenvolvida pelo estudioso russo Ivan Pavlov.

O reflexo condicionado consiste em uma reação a um estímulo. Já o condicionamento operante, por sua vez, trata-se de um mecanismo pelo qual determinada reação a um estímulo é premiada. A partir disso, o indivíduo passa a ser condicionado a reagir de determinada maneira, associando necessidade e ação.

O reflexo condicionado, formulado por Pavlov, constitui uma ação a um estímulo externo, enquanto no condicionamento operante de Skinner, trata-se da formação de um hábito do indivíduo, a partir da ação que é premiada.

Dessa forma, Skinner entende o processo de condicionamento operante como um processo de aprendizagem de um comportamento diverso, o que ele chamou de “modelagem”. Para a efetuação da modelagem, tem-se como principais recursos os reforços, que podem ser positivos ou negativos. Reforça-se positivamente, com um prêmio, por exemplo, ações que se deseja encorajar, e negativamente, de modo a evitar comportamentos indesejados.

Behaviorismo e educação

Skinner teve uma grande preocupação com a educação ao longo de sua vida e desenvolveu estudos sobre a aprendizagem e a linguagem. Uma de suas obras mais expressivas nesse sentido é “Tecnologia do Ensino”, livro publicado em 1968.

No livro, Skinner desenvolveu a ideia das “máquinas de aprendizagem”. Esse conceito refere-se ao modo de organização dos materiais didáticos que, segundo o autor, devem permitir ao aluno progredir em sua aprendizagem, ao passo que recebe estímulos conforme avançava no conhecimento.

Além disso, o estudioso atribuía o fracasso das escolas ao fato de o sistema educacional ser baseado na presença obrigatória dos alunos, sob pena de sanções. O estudioso defendia que, para ter sucesso na educação, era necessário dar razões positivas para que os alunos frequentassem a escola. 


Exercícios

Exercício 1
(Quero Bolsa)

Qual o papel do reforço negativo na teoria behaviorista de Skinner?

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...