Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Biografias

Nelson Mandela

Gabriela Costa Costa
Publicado por Gabriela Costa Costa
Última atualização: 14/1/2019

Introdução

Presidente da África do Sul entre os anos 1994 e 1999, Nelson Rolihlahla Mandela (1918-2013) é uma das figuras políticas mais importantes do século XX.

Conhecido como o “pai da moderna nação sul-africana”, Nelson Mandela recebeu o Prêmio Nobel da Paz em dezembro de 1993, pela sua luta contra o regime de segregação racial, o apartheid.

Nelson Mandela, um dos principais líderes políticos contra da luta contra o apartheid.

Nelson Mandela, um dos principais líderes políticos contra da luta contra o apartheid.

Trajetória

Nelson Mandela nasceu em Mvezo, África do Sul, em 1918, filho de uma família de nobreza tribal, da etnia Xhosa.

Batizado como Rolihiahia Dalibhunga Mandela, ao ingressar na escola primária, em 1925, recebeu da professora o nome de Nelson, seguindo a imposição de dar nomes ingleses às crianças que frequentavam a escola. Na época, a África do Sul era uma colônia inglesa.

Quando Mandela tinha 9 anos de idade, seu pai morreu e ele foi enviado para a vila real de Mqhekezweni, onde ficou aos cuidados de Jongintaba Dalindyebo, regente do povo Tembu.

Depois de formar-se na escola, Mandela foi induzido a frequentar a Clarkebury Boarding Institute, uma escola exclusiva para negros.

A luta política de Mandela se inicia quando ele ingressa na Universidade de Fort Hare para fazer o curso de Direito, aos 23 anos. Ali, participou de manifestações contra as más condições da universidade e foi eleito membro do conselho estudantil.

Algumas fontes dizem que Mandela foi expulso da Universidade, outras dizem que ele a deixou por não querer tomar posse após a eleição do conselho estudantil. O que importa é que todas indicam que, após esse episódio, ele foi para a capital, Johanesburgo.

Ali, Mandela ingressou no bacharelado em Artes pela Universidade da África do Sul. E, com autorização especial, conseguiu continuar os estudos do curso de Direito, por correspondência, na Universidade de Fort Hare.

Porém, também ali na capital, Mandela se depararia com o regime segregacionista da maioria negra, o apartheid, aprovado em 1949 pelo governo.

A luta contra o Apartheid

Mandela aliou-se a outras pessoas para criar a Liga Juvenil do CNA (com sigla em inglês ANCYL), em 1944. A intenção era mudar a postura subserviente do partido em relação aos brancos.

A vitória aos afrikaners (Partido Nacional), que apoiavam a política de segregação racial, fez com que Mandela se tornasse mais ativo no CNA. Foi quando o Congresso do Povo (1955) divulgou a Carta da Liberdade, documento fundamental para a causa antiapartheid.

Em 1960, ocorre o Massacre de Sharpeville, no qual a polícia sul-africana atirou em manifestantes negros, matando 69 pessoas e ferindo 180. A partir deste momento, Mandela e seus colegas decidem pôr fim aos tempos de resistência pacífica contra o apartheid.

Prisão e presidência

A vida de Mandela como prisioneiro inicia em 1962, quando ele é condenado a cinco anos de regime recluso por “deixar o país sem passaporte e incitar trabalhadores a fazer greve”.

Em 1964, foi condenado à prisão perpétua por sabotagem e conspiração com outros países, na tentativa de organizar uma invasão na África do Sul.

Preso durante 27 anos, Mandela passou por diferentes cárceres. Durante esse tempo, tornou-se a imagem da luta contra o apartheid, de modo que o lema "Libertem Nelson Mandela" virou campanha antiapartheid em vários países.

Mandela ficou preso até o ano de 1990, quando a campanha do CNA e a pressão internacional conseguiram que ele fosse libertado, aos 72 anos, por ordem do presidente.

Em 1993, ele ganhou o Prêmio Nobel da Paz.

Mandela foi eleito presidente da África do Sul em 1994 e governou até 1999.

Casamento e filhos

Ele se casou três vezes. A primeira esposa de Mandela foi Evelyn Ntoko Mase, da qual se divorciou após 13 anos de casamento.

Com ela teve uma menina chamada Makaziwe, morta aos nove meses de idade, outra menina, que também recebeu o mesmo nome, apelidada Maki, e dois garotos: Madiba Thembekile (Thembi) e Makgatho (Kgatho).

Sua segunda esposa foi Winnie Madikizela. Este casamento durou 38 anos, vindo a terminar com as divergências políticas entre o casal vindo a público. No seu 80º aniversário, Mandela casou-se com Graça Machel, viúva de Samora Machel, antigo presidente moçambicano.


Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2013)

Tendo encarado a besta do passado olho no olho, tendo pedido e recebido perdão e tendo feito correções, viremos agora a página – não para esquecê-lo, mas para não deixá-lo aprisionar-nos para sempre. Avancemos em direção a um futuro glorioso de uma nova sociedade sul-africana, em que as pessoas valham não em razão de irrelevâncias biológicas ou de outros estranhos atributos, mas porque são pessoas de valor infinito criadas à imagem de Deus.(Desmond Tutu, no encerramento da Comissão da Verdade na África do Sul. Disponível em: http://td.camara.leg.br. Acesso em 17 dez. 2012 (adaptado). 

No texto, relaciona-se a consolidação da democracia na África do Sul à superação de um legado:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...