Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biografias

Nicolau Copérnico

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 15/5/2019

Introdução

Nicolau Copérnico, astrônomo e matemático, nasceu em 19 de fevereiro de 1473, em Torun, Polônia. Considerado um dos pais da astronomia moderna, Copérnico é autor da teoria Heliocêntrica, que localiza o Sol no centro do Sistema Solar.

Copérnico iniciou os estudos de Matemática e Astronomia em 1491, na Universidade de Cracóvia. Posteriormente, estudou grego na Universidade de Bolonha e formou-se em Medicina na Universidade de Ferrara. De volta à Polônia, trabalhou como médico e, paralelamente, desenvolveu estudos sobre Astronomia.

Para facilitar a observação dos astros e os estudos de Astronomia, o matemático inventa alguns instrumentos e monta um simples laboratório de observação. A partir de 1513, concentra seus estudos na Matemática, para que possa realizar cálculos que colaborem com o desenvolvimento da teoria Heliocêntrica. 

Durante os estudos e observações, e provavelmente antes de 1515, Copérnico dedica-se a escrever a obra “Pequeno Comentário sobre as Hipóteses de Constituição do Movimento Celeste”. A obra foi interrompida por diversas vezes, pois Copérnico temia as reações da Igreja e o julgamento da Santa Inquisição, uma vez que a teoria heliocêntrica estava ganhando fama.

Em 1515, Copérnico começou a escrever oficialmente uma das obras mais importantes para a astronomia moderna: “Da Revolução dos Corpos Celestes”.

Assim como com o outro escrito, Copérnico, por diversas vezes, interrompe a escrita e suspende os trabalhos, por medo das represálias da Igreja Católica.

Em 1539, Copérnico conhece o matemático Rheticus, com quem trabalha por alguns anos. O jovem incentiva o astrônomo polonês a seguir com os estudos sobre a teoria Heliocêntrica. E, em 1541, Rheticus envia as obras de Copérnico para a publicação, que acontece somente em 1543, mesmo ano de falecimento do polonês.

Estátua de Nicolau Copérnico  

Teoria Heliocêntrica

Copérnico instala-se em uma torre de uma das catedrais da cidade, para que pudesse observar os astros e desenvolver a teoria Heliocêntrica e a nova organização do Sistema Solar.

A nova organização, no entanto, era contrária à teoria do Geocentrismo, na qual a Terra era o centro do universo. O geocentrismo era também a teoria defendida e propagada pela Igreja Católica, que, com a Santa Inquisição, punia quem discordasse das teorias propagadas.

Na teoria de Copérnico, o Sol - e não a Terra - era o centro do Universo. A Terra também não era estática, e movia-se em torno do Sol em um percurso correspondente ao ano terrestre. Além do movimento em torno do Sol, a Terra movia-se, também, em torno do seu próprio eixo, em um movimento responsável por determinar a duração dos dias.

Para a Igreja, as teorias de Copérnico eram consideradas um sacrilégio, embora as ideias de Copérnico encontrassem alguns adeptos entre os seus contemporâneos. O Sistema Solar só teve sua estrutura modificada após os trabalhos de Kepler e de Galileu Galilei.

Sistema Solar a partir do modelo heliocêntrico

Da Revolução dos Corpos Celestes

A publicação de um dos livros nos quais Copérnico trata do heliocentrismo tem a publicação permitida em 1540, embora tenha sido escrita em 1515. A obra é enviada para a publicação pelo seu discípulo e matemático Rheticus.

Diante das pressões da Igreja Católica, que contestava a teoria copernicana, apenas em 1543 Rheticus recebe a autorização de seu mestre para publicar integralmente todas as obras como pesquisas científicas.

Copérnico e a Inquisição

Copérnico levou em torno de 30 anos para desenvolver suas teorias. As interrupções em seus trabalhos eram constantes, por receio de ser punido pela Igreja, que naquele momento condenava todos que fossem contrários às ideias propagadas.

Os questionamentos sobre o Sol ser o centro do Sistema Solar tirava a Terra e o homem do centro do universo, pondo em xeque o dogma católico que afirma o homem ser a imagem e semelhança de Deus.

Somente após 20 anos das publicações das teorias copernicanas, Giordano Bruno retoma as ideias heliocêntricas, mas é condenado e morto pela Igreja. Mais tarde, Newton explicou, a partir da Física, a gravitação do planeta. Apenas em 1835 a Igreja Católica aceitou a teoria Heliocêntrica.


Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2009)

Na linha de uma tradição antiga, o astrônomo grego Ptolomeu (100-170 d.C.) afirmou a tese do geocentrismo, segundo a qual a Terra seria o centro do universo, sendo que o Sol, a Lua e os planetas girariam em seu redor em órbitas circulares. A teoria de Ptolomeu resolvia de modo razoável os problemas astronômicos da sua época. Vários séculos mais tarde, o clérigo e astrônomo polonês Nicolau Copérnico (1473-1543), ao encontrar inexatidões na teoria de Ptolomeu, formulou a teoria do heliocentrismo, segundo a qual o Sol deveria ser considerado o centro do universo, com a Terra, a Lua e os planetas girando circularmente em torno dele. Por fim, o astrônomo e matemático alemão Johannes Kepler (1571- 1630), depois de estudar o planeta Marte por cerca de trinta anos, verificou que a sua órbita é elíptica. Esse resultado generalizou-se para os demais planetas.

A respeito dos estudiosos citados no texto, é correto afirmar que:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...