Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biologia

Olhos

Jéssica Maciel
Publicado por Jéssica Maciel
Última atualização: 10/10/2018

Introdução

Os olhos são órgãos sensíveis a luz, com formato esférico e cerca de 20 milímetros de diâmetro. Seu nível de complexidade aumenta conforme o grau de evolução da espécie, com funções desde apenas detectar regiões mais iluminadas até observar objetos de forma detalhada, luzes e cores.

Funcionamento

O funcionamento dos olhos se dá através da visão, detectando a luz e transformando-a em impulsos nervosos que serão interpretados no cérebro.
 
 Quando a luz incide sobre os olhos, a íris determina o grau de abertura da pupila e, assim, controla a quantidade de luz que atravessa a córnea e o cristalino, que juntos fazem a focalização da imagem.

Após adentrar o globo ocular, a luz chega na retina e atinge as células fotossensíveis (cones e bastonetes) que produzem impulsos nervosos. Esses impulsos são levados até o cérebro através do nervo óptico e lá são interpretados.
 
 Devido ao cruzamento dos raios ao passarem pela córnea, a imagem chega na retina invertida, ficando para o cérebro a função de reajustá-la conforme a orientação correta.

Anatomia

Os olhos são divididos em três regiões: a câmara anterior, localizada entre a córnea e a íris, a câmara posterior, localizada entre a íris e o cristalino e o espaço vítreo, que é envolvido pela retina.

Câmara anterior

A câmara anterior, primeira região da parte externa para a parte interna, contém a córnea, esclerótica, íris e a pupila.

  • Córnea: a córnea fica localizada na superfície anterior do olho e, devido a sua resistência, faz a proteção do órgão. Além da proteção, a córnea também é responsável pela focalização das imagens e luz que adentram o globo ocular.
  • Esclerótica ou esclera: denomina-se por esclerótica a região branca do olho. Ela é responsável pela proteção do globo ocular e por sua forma oval.
     
  • Íris: é a parte colorida do olho. É responsável por controlar a intensidade de luz que entra no globo ocular.
  • Pupila: a pupila é um orifício presente na íris por onde entra a luz. É por meio do seu estreitamento ou dilatação que a intensidade luminosa é controlada.

Câmara posterior

A câmara posterior é a segunda região, logo após a câmara anterior. Está localizada entre a íris e o cristalino, além de incluir o corpo ciliar.

  • Cristalino: o cristalino é uma espécie de lente biconvexa e transparente localizada entre a íris e o espaço vítreo. É uma estrutura gelatinosa e elástica e, devido a essas características, exerce a função de focalizar as imagens, dependendo da distância que os objetos se encontram do olho.
     
  • Corpo ciliar: é composto pelo músculo ciliar, que ao ligar-se ao cristalino o mantém na posição correta para focalizar os objetos.

Espaço vítreo

O espaço vítreo é a região posterior ao cristalino e envolvido pela retina. Essa região inclui a retina, o corpo vítreo e o nervo óptico.

  • Corpo vítreo: delimitado pelo cristalino e pela retina, o corpo vítreo é uma substância gelatinosa que contém células e fibras. Com a finalidade de manter o formato esférico do olho, esse líquido é sempre mantido sob pressão dentro do globo ocular.
     
  • Retina: a retina é formada por células fotossensíveis, chamadas de cones (sensíveis a cor) e bastonetes (mais sensíveis a pouco intensidade luminosa). Essas células transformam a energia luminosa da imagem formada em impulsos elétricos.
     
  • Nervo óptico: é um nervo que, através dos cones e bastonetes, recebe impulsos nervosos eos levam até o cérebro, para que lá sejam interpretadas.

Anexos

Além dessas, o olho possui outras estruturas, que auxiliam no seu funcionamento e proteção, como os músculos oculares, pálpebras, cílios e sobrancelhas.
 
 Os músculos oculares estão localizados ao redor do globo ocular. É através deles que se dá a movimentação dos olhos. Já as pálpebras são formadas por tecidos musculares e pele. Têm como função proteger e auxiliar na lubrificação, junto com as lágrimas. Por fim, os cílios e as sobrancelhas são pelos com função de proteger os olhos de partículas externas.

Problemas na visão

Miopia

A miopia é um problema visual comum, ela faz com que os objetos distantes não sejam enxergados com nitidez.
 
 Em pacientes com miopia, devido a um crescimento inadequado do globo ocular, ao passar pela pupila, os raios de luz se convergem à frente da retina, distorcendo e diminuindo a focalização da imagem.

Hipermetropia

Na hipermetropia, devido ao encurtamento do globo ocular, os raios luminosos se convergem após a retina. Isso faz com que objetos que estão perto dos olhos sejam vistos com dificuldade.

Astigmatismo

O astigmatismo faz com que as imagens tanto de perto quanto de longe se tornem distorcidas e não focalizadas. Isso acontece devido a fatores genéticos, curvatura irregular da córnea ou mal funcionamento do cristalino.

Presbiopia

A presbiopia, também conhecida como vista cansada, é muito comum a partir dos 40 anos. Ela é caracterizada pela dificuldade de enxergar com precisão e nitidez objetos localizados perto do olho. Isso acontece devido à perda de elasticidade do cristalino ao decorrer da vida.


Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2015)

Entre os anos de 1028 e 1038, Alhazen (ibn al-Haytham 965-1040 d.C.) escreveu sua principal obra, o Livro da Óptica, que, com base em experimentos, explicava, por exemplo, o funcionamento da câmara escura. O livro foi traduzido e incorporado aos conhecimentos científicos ocidentais pelos europeus. Na figura, retirada dessa obra, é representada a imagem invertida de edificações em um tecido utilizado como anteparo.

Se fizermos uma analogia entre a ilustração e o olho humano, o tecido corresponde ao(à):

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...