Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
História Geral

Independência dos Estados Unidos

Maria Clara Cavalcanti
Publicado por Maria Clara Cavalcanti
Última atualização: 2/7/2019

Introdução

Em 4 de julho de 1776, os Estados Unidos da América tornaram-se independentes, desvinculando-se da antiga condição de colônia da Inglaterra.

Na ocasião, foi redigida e assinada a chamada Declaração de Independência. A autonomia completa das Treze Colônias (referência às treze colônias que existiam na região na época), entretanto, só foi alcançada em 1783, com o fim da guerra entre Estados Unidos e Inglaterra.

A Independência dos Estados Unidos foi uma das primeiras derrotas de grandes potências metropolitanas do período, e influenciou movimentos de libertação em outras partes do mundo.

Para entender o movimento de independência dos Estados Unidos, é importante compreender, também, a forma com que a colonização inglesa aconteceu, os acontecimentos externos que o influenciaram etc.

Contexto Histórico

A colonização inglesa nos Estados Unidos

A partir do século XVII, a Inglaterra avançou no processo de colonização de territórios na América do Norte. Na costa leste dos Estados Unidos, o território estava dividido em treze colônias, que por sua vez, possuíam uma clara divisão entre as que estavam localizadas ao norte e as que estavam localizadas ao sul. 

As colônias localizadas ao norte foram povoadas por uma população protestante, que fugia da perseguição religiosa católica na Inglaterra. O objetivo dessas pessoas, portanto, era fazer desse novo território um lugar para viverem e prosperarem com sua família.

Por isso, as colônias do Norte cresceram como colônias de povoamento, ou seja, onde pessoas se instalaram com o objetivo de, efetivamente, povoar e viver no local. As principais características das colônias do Norte eram as pequenas propriedades, produção voltada para o consumo interno, economia baseada no comércio e mão-de-obra livre. 

As colônias do Sul, por sua vez, eram colônias de exploração. Ou seja, seguiam o Pacto Colonial e a maior parte do que ali era produzido ia para a Inglaterra. A produção era majoritariamente rural, principalmente voltada para o cultivo de produtos tropicais. O trabalho era todo baseado na mão-de-obra escrava, e o modelo de produção concentrado nos grandes latifúndios e na monocultura. 

Causas que levaram à Independência

Uma das causas centrais da independência dos Estados Unidos foram as consequências da chamada Guerra dos Sete Anos (1756-1763), onde França e Inglaterra disputaram a posse das colônias americanas.

Graças ao apoio dos próprios colonos americanos, a Inglaterra saiu vitoriosa da guerra. Os colonos esperavam que seu apoio fosse recompensado, mas o movimento inglês foi justamente o contrário: criaram medidas que prejudicaram a economia dos colonos, sobretudo dos pequenos produtores do Norte.

Para se reconstituir financeiramente após a guerra, os ingleses aumentaram os impostos sobre as colônias, criaram monopólios sob o comércio de certos de produtos etc. As restrições fiscais da coroa inglesa ficaram conhecidas como Leis Proibitivas.

Lei do Selo, por exemplo, datada de 1765, impunha que todos os produtos que circulavam na colônia precisavam levar um selo real, o que aumentava demais os gastos dos produtores. 

Outra dessas leis foi o Imposto Sobre o Chá, que incluía altas taxas sobre o produto americano. Quando em 1770 cinco pessoas foram assassinadas pela guarda inglesa enquanto protestavam contra essa Lei, uma forte insurgência nasceu contra a coroa.

Em 1773, um grupo de colonos jogou ao mar sacas de chá do grande rival americano, a Companhia das Índias Ocidentais. Esse acontecimento deu origem à chamada Festa do Chá de Boston, movimento político conservador celebrado até hoje. 

A Guerra de Independência dos Estados Unidos

Da intensa insatisfação com a metrópole, surgiu um movimento organizado que encaminhou o processo de Independência das Treze Colônias.

Em 1774, houve o chamado Primeiro Congresso da Filadélfia, onde se redigiu um documento com diversos pedidos de liberdade política e econômica para a colônia. A Inglaterra, por sua vez, recusou os pedidos dos americanos e criou novas formas de controle. 

A indisposição inglesa para negociar deu origem a um Segundo Congresso da Filadélfia, onde foi criada a Declaração de Independência dos Estados Unidos, redigida por Thomas Jefferson e aprovada em 4 de julho de 1776. Na ocasião, foi organizado também o exército americano, sob a liderança de George Washington. 

Pintura de Thomas Jefferson

Com a aprovação da Declaração de Independência, deu-se início ao conflito armado entre as Treze Colônias e a Inglaterra. Somente em 1783 essa guerra teve fim, vencida pelos Estados Unidos - e em parte graças ao apoio dos franceses e espanhóis. 

Entre 1776 e 1787, os Estados americanos possuíam soberania absoluta. Mas somente em 1787, a fim de estabelecer uma ordem comum para todo o país, os líderes de cada Estado se reuniram para construir um projeto de Constituição.

Ficou determinada, na Carta Constitucional, que os Estados Unidos da América passariam a ser uma república federativa presidencialista, com três poderes independentes (Judiciário, Legislativo e Executivo).

Essa constituição foi a base para o que é a Constituição do país até hoje, e inspirou os documentos adotados em muitos outros países no mundo. 

Questões importantes

  • o movimento de independência das Treze Colônias foi profundamente influenciado pelos ideais iluministas de liberdade e igualdade, crescentes no período, e que também integraram a Revolução Francesa;
  • vários movimentos de libertação foram influenciados pela Independência dos Estados Unidos, principalmente a partir de 1800. 

Exercícios

Exercício 1
(FGV)

A conquista colonial inglesa resultou no estabelecimento de três áreas com características diversas na América do Norte. Com relação às chamadas "colônias do Sul" é correto afirmar:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...