Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
História Geral

O primeiro império da Babilônia

Daniel Zem Bernardes
Publicado por Daniel Zem Bernardes
Última atualização: 28/5/2019

Introdução

O primeiro Império da Babilônia (1800 a.C. - 1600 a.C.) surgiu após a destruição do Império Acadiano. O povo que se estabeleceu na cidade de Babilônia, os amoritas, foram um dos responsáveis pela queda dos acádios, por volta de 2.000 a.C.

Durante 200 anos, a Mesopotâmia foi palco de disputas pelo poder de diversos povos, dentre eles, os amoritas. Apenas com o Rei da Babilônia, Hamurabi, foi estabelecido um novo império na região: o império da Babilônia. O império babilônico viveu o seu auge com Hamurabi, e teve o seu declínio após sua morte. 

O Império da Babilônia ficou excepcionalmente conhecido pelo seu código jurídico, chamado de código de Hamurabi, que se tornou, junto ao seu rei, a maior referência a esta antiga civilização.

Legenda: Hamurabi, esculpido no topo do código de Hamurabi. 

O início do império

Como dito acima, antes do surgimento do Império da Babilônia, reinaram pelas terras banhadas pelo Tigre e Eufrates, os impérios Acádio e Sumério. Contudo, por conta de invasões de outros povos, esses impérios foram desaparecendo, surgindo um cenário de disputa pelo controle da região.

Dentre os invasores responsáveis pela queda da hegemonia acádia e suméria, destacam-se os amoritas.


O povo amorita habitava a cidade da Babilônia, também conhecida como Babel. A cidade se situava no centro da Baixa Mesopotâmia, ao Norte do Golfo Pérsico e às margens do rio Eufrates.

Apesar de ter se tornado uma das cidades mais simbólicas da Antiguidade, a Babilônia demorou para se tornar uma cidade de destaque comparada com outras cidades de sua época. Seu crescimento foi muito discreto durante os primeiros reinados amoritas, se mantendo apenas em seus próprios domínios até o seu sexto rei, que foi Hamurabi.

A partir de então, o reino da Babilônia passa a tomar uma postura mais expansionista, dominando as cidades ao seu redor.

Hamurabi e o Império da Babilônia

Hamurabi (1792 a.C. -1750 a.C.) foi o sexto rei da primeira dinastia amorita da Babilônia. Com sua chegada, a Babilônia começou a expandir o seu império, dominando territórios vizinhos.

Hamurabi estruturou uma potente força militar através de alianças locais, que utilizou para a conquista do território da Mesopotâmia. Assim, sob seu domínio, o império da Babilônia se expandiu da Assíria (Norte) até a Caldéia (Sul), dominando praticamente todo o território banhado pelos rios Tigre e Eufrates e, também, a saída para o Golfo Pérsico.

Também sob seu domínio, o Império Babilônico viveu seu auge político, militar e econômico. Durante o seu reinado, a Babilônia se tornou uma grande polo cultural - com o desenvolvimento das artes -, religioso e econômico. Contudo, com a sua morte, o império começa a entrar em decadência.

Cada vez mais afetado por rebeliões internas e desestruturações políticas, o Império da Babilônia é levado ao desaparecimento, gerando uma nova instabilidade política na região até 1300 a.C., com o Império dos Assírios.

A Babilônia só voltaria a ser novamente o centro de um grande império após a derrota dos assírios e a instituição do Império Caldeu, também conhecido como o segundo império da Babilônia.


O rei Hamurabi não apenas contou com uma potente força militar para suas conquistas, mas também teve apoio do seu código de leis, conhecido como código de Hamurabi, que perdurou até o fim do império da Babilônia.

O código de Hamurabi

O código de Hamurabi foi um conjunto de leis escritas, criado pelo rei Hamurabi. Ele é um monolito onde constam leis escritas que regiam o império, em escrita cuneiforme.  O código é considerado o primeiro código de leis da humanidade.

Consiste de 282 leis, que incluíam regulamentos econômicos - como tarifas, preços, normas de troca e comércio -, regulamento de relações familiares - como casamento e divórcio -, regulamentos criminais - como assaltos e roubos -, e leis civis - como a questão escravista.

A legislação seguia a ideia do conceito da lei do Talião, no qual as penas deveriam ser precisamente a mesma injúria feita pelo infrator à vítima, exemplificada pela frase “olho por olho, dente por dente”. Contudo, a proporção das penas variavam de acordo com a hierarquia social, sendo mais severas quando a ação prejudicasse alguém com um status social privilegiado.

Legenda: O código de Hamurabi. 

Curiosidades

  • Durante o império da Babilônia e o reinado de Hamurabi, foi se instituído o culto ao deus Marduk. Assim, foi construído um enorme zigurate em sua homenagem, que ficou conhecido como a Torre de Babel, que, como dizem os mitos, foi uma tentativa do homem de chegar aos céus.
  • A Babilônia desenvolveu a arte dos mosaicos, sendo muito utilizada nas suas obras de arquitetura.

Referências

Babylon. Encyclopedia Britannica. Mar. 13, 2019. Disponível em: <https://www.britannica.com/place/Babylon-ancient-city-Mesopotamia-Asia>

History of Mesopotamia. Encyclopedia Britannica. Jan. 21, 2019. Disponível em: <https://www.britannica.com/place/Mesopotamia-historical-region-Asia#ref55496>

Hammurabi. Encyclopedia Britannica. Disponível em: <https://www.britannica.com/biography/Hammurabi>

Code of Hammurabi. Encyclopedia Britannica. Disponível em: <https://www.britannica.com/topic/Code-of-Hammurabi>


Exercícios

Exercício 1
(PUC-PR/2008)

O Império Babilônico dominou diferentes povos, como os sumérios, os acádios e os assírios. Para governar povos tão diferentes, o rei Hamurábi organizou o primeiro código de leis escritas, o Código de Hamurábi.

-­ Se um homem acusou outro de assassinato mas não puder comprovar, então o acusador será morto.

-­ Se um homem ajudou a apagar o incêndio da casa de outro e aproveitou para pegar um objeto do dono da casa, este homem será lançado ao fogo.

-­ Se um homem cegou o olho de outro homem, o seu próprio será cegado. Mas se foi o

lho de um escravo, pagará metade do valor desse escravo.

-­ Se um escravo bateu na face de um homem livre, cortarão a sua orelha.

-­ Se um médico tratou com faca de metal a ferida grave de um homem e lhe causou a morte ou lhe inutilizou o olho, as suas mãos serão cortadas. Se a vítima for um escravo, o médico dará um escravo por escravo.

-­ Se uma mulher tomou aversão a seu marido e não quiser mais dormir com ele, seu caso será examinado em seu distrito. Se ela se guarda e não tem falta e o seu marido sai com outras mulheres e despreza sua esposa, ela tomará seu dote de volta e irá para a casa do seu pai.

Assinale a alternativa correta:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...