Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
62f923a32cae57137734d4026bfe64c10b98c1e9 97811e59419cd7b6497e4b1b53ceec979df67e6c
Idiomas

6 truques para aprender inglês rápido

por Redação Revista Quero em 18/02/19 6,5 mil visualizações

Aprender inglês rápido não é só possível hoje em dia, pode-se dizer que é simples. Não fácil, veja bem, mas simples: o mundo está cheio de gente com quem se praticar — afinal, é o segundo idioma mais falado globalmente — e a internet está cheia de ferramentas para se aprofundar.


Claro que bons resultados exigem algumas atitudes-chave: dedicação, disciplina e desinibição, por exemplo. Junto a elas, reunimos algumas dicas que podem ajudá-lo a dominar o inglês mais rapidamente:

  1. Tenha objetivos claros

    Por que você quer aprender inglês rápido?

    Ter um propósito específico é o que vai mantê-lo motivado nessa jornada, e ele deve ir além do “porque é importante”, “porque vai me ajudar no trabalho” ou “porque quero estudar fora”. Sua razão precisa ser sua, e é melhor ainda se ela tiver um prazo. Suponhamos que você queira estudar fora: Quando? Que nível de proficiência você precisa alcançar? E qual é uma boa forma de medir o sucesso conquistado?

    “Em 8 meses, quero estar preparado para tirar no mínimo uma nota 6.5 no exame IELTS (aquela prova de proficiência que é a porta de entrada para quem quer estudar no exterior) e aumentar minhas chances de ser aceito na Universidade de Toronto, no Canadá.”

    Claro que nem todo mundo vai ter uma meta tão detalhada, mas mesmo que seus motivos sejam pessoais, eles podem ser traduzidos em paixões suas e terem um “teste final”. Talvez você queira ler “Senhor dos Anéis” no idioma original ainda este ano? Conversar com um amigo britânico sobre futebol até a próximo campeonato europeu? Escrever um discurso em inglês para uma conferência que acontece em setembro?

    Garanta também que seu objetivo seja realista e possa ser dividido em etapas. Compartimentá-lo faz com que você não se deixe ser desencorajado por quão ambicioso ele é.

    No caso do exame IELTS, por exemplo, você pode fazer um simulado depois de 3 meses em que você tenha que tirar 4, depois 5 na segunda tentativa, e assim por diante. Além disso, já que cada domínio da prova (leitura, escrita, escuta e conversação) terá um resultado diferente, você poderá entender seus pontos fortes e fracos e saber em que área se dedicar mais até chegar ao 6.5. Tudo fica mais fácil quando se dá passos graduais.

    E se a qualquer momento você perceber que está perdendo o interesse nos estudos, lembre-se do motivo de ter começado tudo isso.
  2. Saiba que você pode

    Sua mentalidade faz toda a diferença nessa caminhada. Várias vezes você se sentirá frustrado, mas é fundamental ter persistência e aproveitar todas as oportunidades que vierem ao seu encontro.

    Se você é abordado por um estrangeiro na rua, por exemplo, não se renda à reação automática de “Sorry, I don’t speak English.” Jamais! Converse com ele da forma que você conseguir, use gestos se for o caso.

    Além do mais, falhar é parte essencial de aprender, portanto abrace seus erros. Ninguém espera que você seja fluente em uma língua que não é sua língua materna. Lembre-se, inclusive, de que boa parte dos falantes de inglês sequer fala um segundo idioma — é mais provável que eles fiquem impressionados e o encorajem. Fluência vem com esforço, e se esforçando o suficiente, acredite, a comunicação flui.
  3. Comece a falar

    Não há quantidade de escuta, leitura ou escrita que o torne um falante de inglês. Se você quer ser fluente, é preciso deixar a vergonha de lado e praticar a fala.

    Há várias formas de fazer isso:

         Tutor ou professor: se você conseguir pagar por algumas horas de conversa na semana, vai fundo! Não só você vai ser obrigado a falar APENAS inglês, um nativo com conhecimento sobre estruturas gramaticais vai poder corrigir eventuais erros que você cometer e desenvolver seu vocabulário rapidamente. O italki, por exemplo, permite pagar por aula e marcar o horário que se encaixar melhor na sua agenda.

          Parceiro de conversa: por meio de plataformas como HelloTalk e Tandem, é possível se conectar com falantes nativos de inglês (ou outras línguas) que querem aprender português. Não necessariamente vocês poderão explicar peculiaridades do idioma profissionalmente um ao outro, mas é uma excelente forma de praticar.

          Eventos de language exchange: imagine um ambiente onde todos são alunos e todos são professores. Eventos de trocas de idiomas acontecem em todo o Brasil e você pode encontrá-los em sites como Meetup, Couchsurfing ou com uma simples busca no Google.

          Fale sozinho: não vai ter ninguém para corrigi-lo, mas sem dúvidas ajuda a “soltar a língua”!
  4. Esteja imerso

    Seu processo de aprendizado vai ser muito mais ágil se você mergulhar em um ambiente em que tudo está em inglês. Não estamos falando para você comprar uma passagem para os EUA amanhã, mas pequenas mudanças cotidianas podem levar você mais longe.

    Vai assistir a um filme gringo? Coloque as legendas em inglês. Quer ler algo novo? Busque um livro em inglês (mesmo que infantil ou quadrinhos, com uma linguagem simplificada). Precisa buscar algo na Wikipédia? Leia o artigo em inglês (ou em Simple English).

    Escute músicas e podcasts em inglês, troque o idioma do celular e do Facebook para inglês, escreva sua lista de tarefas em inglês, abuse do Google Tradutor.

    Pode ser que você não entenda tudo de início, mas é pesquisando e anotando expressões e palavras novas que você consegue fixar o conhecimento adquirido.
  5. Use flashcards

    Uma gramática perfeita não é tão importante para ganhar fluência em um idioma quanto ter um vocabulário vasto. Todo mundo comete erros estruturais, inclusive norte-americanos, irlandeses, australianos… mas esquecer como se diz “manteiga” ou “maquiagem” pode ser super frustrante.

    Flashcards são um ótimo recurso para registrar e internalizar o significado de palavras e expressões, em ferramentas como o Quizlet. Você pode inclusive utilizar mnemônicos para as palavras mais difíceis, ou seja, criar associações com outros termos ou histórias inusitadas. Para tal, o Memrise.com é uma boa opção.

    E não se esqueça, claro, de atualizar e revisar seus cartões com frequência.
  6. Pratique um pouquinho a cada dia

    Manter a disciplina talvez seja uma das partes mais difíceis dessa missão, mas também uma das mais importantes. Para ganhar velocidade de aprendizagem, é preciso estudar todos os dias.

    Considere também que um curso de inglês costuma ter duas aulas de 90 minutos na semana: se você substituí-los por 7 dias seguidos de treino, bastam 30 minutos para ultrapassar a carga horária padrão. Além de que perder um dia de estudo, nesse caso, sai menos custoso do que perder um dia de aula.

    No final das contas, você pode praticar por 15 minutos ou por uma hora — sua disponibilidade e dedicação impactam no resultado final, porém mais vale manter o ritmo.

    E é melhor ainda se sua prática for complementar a aulas em uma escola de idiomas. Para encontrar o curso ideal com descontos nas mensalidades, você pode contar com a ajuda do Quero Bolsa Idiomas! 

Bolsa de estudo para cursos de Inglês

62f923a32cae57137734d4026bfe64c10b98c1e9 97811e59419cd7b6497e4b1b53ceec979df67e6c

O que você achou deste artigo?

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2019 CNPJ: 10.542.212/0001-54