Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Biografias

Edvard Munch

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 13/4/2019

Introdução

Edvard Munch nasceu em 12 de Dezembro de 1863, em Loten, Noruega. Filho de Christian Munch e Laura Cathrine. Munch teve uma infância triste e conturbada, aos 5 anos ficou órfão de mãe, vítima de tuberculose. As irmãs e o pai de Munch também sofreram com doenças ao longo da vida do pintor.

Uma tia, acompanhando a tristeza do jovem, sugeriu que ele pintasse, na tentativa de afastar a tristeza. No entanto, o drama, o sofrimento e os conflitos provenientes das doenças dos familiares sempre foram a temática principal na obra do norueguês.

Munch faleceu em 23 de Janeiro de 1944, em Oslo, Noruega, após ter passado por um período de perseguição nazista e pela proibição de suas obras em toda a Alemanha. 

Vida e Obra

Aos 5 anos de idade, Munch perdeu a mãe por conta de complicações da tuberculose. A perda na infância impactou ainda mais a vida e a saúde do jovem. Munch passou boa parte da infância lidando com doenças que o deixavam na cama, com a doença das irmãs e do irmão e com o fanatismo religioso do pai. Ainda jovem, presenciou a morte da irmã mais velha, também vítima de tuberculose, a internação de outra irmã, diagnosticada com esquizofreniae a morte do pai, vítima de ataque cardíaco.

Edvard Munch ficou aos cuidados de uma tia, que estimulou o jovem a pintar, para que pudesse controlar a tristeza e ansiedade causadas pelas tragédias familiares. Em 1879, Munch ingressou no curso de Engenharia, mas, no ano seguinte, desistiu e matriculou-se na Escola de Artes e Ofícios de Oslo.

Munch é um dos principais nomes do expressionismo. Em suas obras, retrata, com traços fluidos e com um jogo de cores vibrantes e sombrias, as dores, dramas e sofrimentos pelos quais passou durante a infância.

A Carreira

Em 1885, após cinco anos dedicando-se ao estudo da arte em Oslo, Munch viajou a Paris e teve contato com vários movimentos artísticos e as vanguardas que começavam a ganhar força. Conheceu os trabalhos de Van Gogh Gauguin e, a partir daí, seus trabalhos ganharam novos traços e novas formas. No entanto, as obras ainda destacavam o sofrimento pela morte da mãe e de uma das irmãs e a internação da outra. São desse período A mão à cabeceira da Criança doente, de 1885 e A menina doente, de 1886.

Na segunda visita a Paris, em 1889, Munch conheceu o pós-impressionista Paul Cézanne. Em 1892, já integrava a vanguarda intelectual de Berlim e preparava uma série de exposições autorais. Foi para uma dessas exposições que foram pintadas as cinco versões do seu quadro mais famoso: O grito, de 1893, feitas em diferentes materiais e com diferentes técnicas.

Entre 1908 e 1909, Munch interrompeu temporariamente as atividades artísticas e internou-se espontaneamente em uma clínica psiquiátrica. O artista dizia ouvir vozes, tinha alucinações, paralisias súbitas e insônia. Foi diagnosticado com neurossífilis e, após o tratamento, passou a pintar quadros com temática mais leve.

No decorrer de 1937 e com a ascensão do governo nazista, Munch foi considerado um artista subversivo e degenerado, tendo suas obras proibidas em Berlim. Em 1940, com a Noruega ocupada pelos nazistas, foi convidado a fazer parte do Conselho Honorário de Arte, no entanto, Munch recusou a participação por conta das ideias nazistas que dominavam o projeto.

No final da vida, Munch pintou uma série de autorretratos que mostravam a passagem do tempo no decorrer de sua vida. O artista faleceu em Oslo, em 23 de janeiro de 1944 e não chegou a presenciar o fim do regime nazista e o desfecho da Segunda Guerra Mundial.

O grito, de 1893.

Expressionismo

Munch pertence à escola artística do expressionismo, uma das vanguardas artísticas do século XX. A escola expressionista surgiu na Alemanha, por volta de 1905. Com a obra O Grito, de 1893, Munch foi considerado um dos precursores do expressionismo alemão.

Os artistas expressionistas tendem a enxergar o mundo e os seres humanos a partir de uma visão trágica e carregada de sofrimento. Como o próprio nome diz, as obras expressionistas procuram representar as expressões dos sentimentos e emoções.

As obras, no geral, apresentam cores intensas e os traços não são definidos, por isso, as formas são consideradas fluidas. A arte expressionista é carregada de pessimismo e busca refletir sobre a angústia do homem moderno.

Principais Obras

Dentre as diversas obras de Munch destacam-se:

  • A menina Doente (1885)
  • Melancolia (1892)
  • O Grito (1893)
  • A Morte da Mão ( 1899)
  • Auto Retrato (1940)

Exercícios

Exercício 1
(CESGRANRIO/2011)

O expressionismo foi um movimento artístico do final do século XIX, que procurava expressar nas obras as emoções e a subjetividade do artista, ou seja, seu mundo interior. Desenvolvendo-se numa época de grande crise da sociedade europeia, em que as emoções eram muitas vezes de angústia e depressão, essa arte criou imagens fortes e contundentes.

Van Gogh e Munch são dois importantes nomes do expressionismo que, no Brasil, consagrou:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...