Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Física

Lentes Divergentes

Miguel Bertelli
Publicado por Miguel Bertelli
Última atualização: 8/12/2019

Introdução

Lentes Divergentes

As lentes divergentes, também conhecidas como lentes côncavas, são um tipo de lente esférica que possui pelo menos uma das extremidades com uma curvatura para o lado interno e, por isso, apresenta uma espessura menor no centro e uma espessura maior nas bordas. Pela sua característica de diferença de espessura entre o centro e as bordas, ela diverge os raios de luz.

Uma das principais características das lentes divergentes é diminuir objetos.

Classificação das lentes divergentes

Podemos classificar as lentes divergentes em três tipos diferentes:

  • Bicôncava: Nesse tipo de lente esférica as duas faces são côncavas.
  • Plano Côncava: Nesse tipo de lente esférica uma das faces é plana e a outra face é côncava.
  • Plano Convexa-Côncava: Nesse tipo de lente esférica uma das faces é côncava e a outra face é convexa.

Como as imagens são formadas?

Nas lentes divergentes, as imagens se formam sempre de forma virtual e maior que o objeto.

Potência focal

Potência focal é o quanto uma lente tem a capacidade de convergir ou divergir raios de luz. Ela é medida em dioptria (D). Podemos calcular utilizando a seguinte fórmula:

Sendo: 

  • P: Potência focal.
  • f: Distância focal.

Em lentes divergentes a distância focal é negativa, e isso implica que a potência focal será negativa também.

Correção de defeitos na visão utilizando lentes esféricas

.

miopia é um alongamento do globo ocular, onde a retina se afasta do cristalino, fazendo com que a pessoa tenha dificuldade para ver objetos distantes. A lente divergente é capaz de corrigir este tipo problema de visão.

Equação dos fabricantes de lentes

Essa equação também é conhecido como equação de Edmond Halley, e relaciona o raio da lente com os índices de refração. Podemos ver a equação abaixo:

Sendo:

  • f: O foco da concavidade da lente;
  • : O índice de refração do meio exterior;
  • : O índice de refração da lente;
  • : Um dos raios da curvatura da lente;
  • : Um dos raios da curvatura da lente;

Para o caso em que uma das superfícies é plana, a equação se simplifica em:

Fórmulas

Referências

HALLIDAY, David; RESNICK, Robert; WALKER, Jearl. Fundamentos de física. 8. ed. Rio de Janeiro, RJ: LTC, c2009 vol 4, capítulo 34.


Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2015)
  • O avanço tecnológico da medicina propicia o desenvolvimento de tratamento para diversas doenças, como as relacionadas à visão. As correções que utilizam laser para o tratamento da miopia são consideradas seguras até 12 dioptrias, dependendo da espessura e curvatura da córnea. Para valores de dioptria superiores a esse, o implante de lentes intraoculares é mais indicado. Essas lentes, conhecidas como lentes fácicas (LF), são implantadas junto à córnea, antecedendo o cristalino (C), sem que esse precise ser removido, formando a imagem correta sobre a retina (R).

O comportamento de um feixe de luz incidindo no olho que possui um implante de lentes fácicas para correção do problema de visão apresentado é esquematizado por:

I.

II.

III.

IV.

V.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...