Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Geografia

Mapa do Rio de Janeiro

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 14/8/2019

Introdução

O Rio de Janeiro é o menor estado da região sudeste, com área de 43.696,054 km². A capital, também chamada Rio de Janeiro, é mundialmente conhecida como Cidade Maravilhosa e foi inspiração para dezenas de pintores, artistas, poetas, músicos e escritores desde o século XVI.

O Rio de Janeiro faz fronteira a norte e noroeste com o estado de Minas Gerais, a sudoeste com o estado de São Paulo, a nordeste com o Espírito Santo e é banhado pelo Oceano Atlântico a leste e sul.

O território atual do estado compreende as áreas que no século XVI pertencem as Capitanias Hereditárias de São Tomé e São Vicente. Para evitar a invasão e ocupação francesa em 1º de Março de 1565, Estácio de Sá fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, atual Rio de Janeiro.

A cidade tornou-se capital do vice reino em 1763 e permaneceu como capital do país até 1960, quando a sede do governo foi transferida para Brasília.

Mapa do estado do Rio de Janeiro

A criação do Município Neutro

Após a chegada da família real portuguesa no Brasil, a administração do Rio de Janeiro passou a ser feita por um ministro. Em 1821, com a Revolução do Porto e a volta de D. João VI para Portugal, a cidade e outras capitanias foram elevadas à condição de província.

Em 1824, quando uma nova Constituição foi outorgada, importantesmudanças aconteceram na então capital do país: os Conselhos Gerais Provincianos deixaram de existir e deram lugar às Assembleias Legislativas Provinciais, que podiam atuar por meio de decretos em setores como educação e economia.

Um ato adicional feito em 1834, já no período regencial, transformou o Rio de Janeiro em uma cidade neutra, ou seja, livre de ações e deliberações e influências dos poderes provinciais; e tornou, também, a cidade uma área independente da província do Rio de Janeiro, que tinha como capital a cidade de Niterói.

A nova condição de Município Neutro tornou o Rio de Janeiro o centro das atenções, a região mais importante, única e também o centro de articulações políticas que influenciavam as decisões e articulações políticas posteriores. O Rio de Janeiro manteve a condição de município neutro até 1889, ano em que foi proclamada a República e a cidade foi transformada em Distrito Federal. 

O estado da Guanabara

Com a mudança da capital do Rio de Janeiro para Brasília, em 1960, o antigo Distrito Federal foi transformado no estado da Guanabara. O jovem estado da Guanabara passou a ter como capital a cidade do Rio de Janeiro. 

Por ser uma região menor, durante o tempo que existiu, o estado da Guanabara contou com alta arrecadação de impostos, elevada  renda per capita e concentração de riquezas, bem maiores do que a do vizinho estado do Rio de Janeiro. O estado da Guanabara foi responsável por uma série de obras públicas em sua capital.

Diante da pobreza do estado vizinho o governo federal investiu verbas no estado do Rio de Janeiro, promoveu a construção das Usinas de Angra dos Reis e a Construção da ponte Rio-Niterói, posteriormente usada como símbolo da fusão dos estados. Após a fusão, a cidade do Rio de Janeiro, antiga capital da Guanabara sofreu com a fraca economia do estado do Rio de Janeiro.

Em Julho de 1974, o presidente militar Ernesto Geisel determinou a fusão dos estados do Rio de Janeiro e da Guanabara, que deveria acontecer, definitivamente, em 1975, com o nome de Rio de Janeiro e com a capital na cidade do Rio de Janeiro.

Foi somente em 1975 que o estado Rio de Janeiro voltou a ter a limitação territorial e o mapa de antes da criação do município neutro, mapa que até hoje representa os limites territoriais do estado.


Exercícios

Exercício 1
(UFPB/2008)

Há quase 200 anos, em 29 de novembro de 1807, zarpava de Portugal uma esquadra conduzindo a Família Real portuguesa para a sua Colônia americana, onde chegou em janeiro de 1808. Esse acontecimento teve muitos desdobramentos para o processo de autonomização política do Brasil.

Sobre esse acontecimento e alguns de seus efeitos históricos, pode-se afirmar:

  • A fuga da Família Real portuguesa insere-se no bojo da disputa de hegemonia eco­nômico-política entre a Inglaterra e a França, sendo Portugal um país-satélite nesse jogo. A transmigração para o Brasil, já cogitada pela realeza lusitana em outras ocasiões, foi uma engenhosa solução para que D. João não cedesse às pressões de Napoleão para que Portugal apoiasse a França contra a Inglaterra.
  • Uma das primeiras medidas tomadas pelo Príncipe Regente D. João, após sua chegada ao Brasil, foi a reafirmação do exclusivo colonial para a metrópole, consolidando o poder da burguesia comercial portuguesa. Essa medida causou revolta na elite agrária colonial nortista, especialmente a paraibana, que tinha expectativas de melhores condições de comercialização para seus produtos mediante uma política econômica liberal.
  • A instalação do Estado português na Colônia significou a interiorização da metrópole, criando um centro de decisão (Rio de Janeiro) mais próximo dos súditos coloniais. Esse núcleo de poder possibilitou a aglutinação de algumas províncias (o chamado Sul: Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo), que polarizaram a construção da futura unidade política brasileira, com certa secundarização das províncias do Norte (hoje Nordeste).
  • Está(ão) correta(s):

    Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

    Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

    Carregando...