Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Português

Verbos de ligação

Caroline Fazio
Publicado por Caroline Fazio
Última atualização: 2/10/2019

Introdução

Os verbos de ligação, também chamados de verbos copulativos ou verbos não nocionais, têm como função ligar o sujeito da oração às suas características. Estes, portanto, não indicam uma determinada ação (verbos nocionais), e sim um estado ou modo do sujeito.

Vejamos um exemplo:                              

sujeito     característica (predicado)

   ↑                ↑

Ele era encantador

        ↓

verbo de ligação

Para sabermos se um verbo é ou não de ligação, precisamos atentar-nos ao contexto em que ele foi usado, pois, em determinados casos, ele pode aparecer na frase com outra função. 

Vejamos a seguir:

  • Mariana ficou na festa até altas horas. 

O verbo ficar, nesta frase, relaciona-se a uma determinada situação. Dessa maneira, aqui ele tem a função de verbo transitivo direto

  • Mariana ficou alegre com a visita da família. 

Neste outro caso, porém, o verbo ficar indica um estado. Assim, neste contexto ele é um verbo de ligação.

  • O filho de Roberta andou por todo o quarteirão em busca de seu cachorro.

Aqui, andar corresponde a uma ação. Sendo assim, este verbo é classificado como intransitivo.

  • Joaquim andava mal por não saber o paradeiro de seu cachorro.

Neste outro exemplo, o verbo andar corresponde a um estado e, portanto, classifica-se como verbo de ligação.

Os verbos de ligação podem expressar:

  • Estado permanente: ser, viver.

Por exemplo:

Augusto é triste.

Fernanda vive contente.

  • Estado transitório: estar, andar, achar-se, encontrar-se.

Por exemplo:

Ele está bem.

A professora anda desanimada.

  • Estado mutatório: ficar, virar, tornar-se, fazer-se.

Por exemplo:

Felipe ficou chateado com o resultado do jogo.

Mamãe fez-se brava com a atitude de Tomás.

  • Continuidade de estado: continuar, permanecer.

Por exemplo:

Após várias tentativas, João continua sem entender o exercício.

A angústia de Virgínia permanece, pois ela ainda não sabe o resultado do vestibular.

  • Estado aparente: parecer.

Por exemplo:

José parece feliz em seu aniversário surpresa.

Mirella aparenta estar chateada com alguns de seus amigos.

Transitividade dos verbos

Além do contexto, para sabermos se um verbo é ou não de ligação, é necessário compreendermos a sua transitividade, pois, desta forma, identificar essa diferença será mais fácil, não necessitando decorar todos os exemplos. 

Vejamos então outros três tipos de verbos:

  • Verbos intransitivos: são verbos que não necessitam de complemento, pois apresentam sentido completo.
    • Exemplos:

    • Mariana espirrou - quem espirra, espirra; dessa forma, o verbo não necessita de nenhum complemento, visto que ele expressa todo o sentido sozinho.
    • O gelo derreteu - aqui, mais uma vez, o verbo não necessita de complemento, pois dessa maneira já é possível compreendê-lo.
    • O teste falhou - de novo, o verbo já possui um sentido completo.

  • Verbos transitivos diretos: são verbos que necessitam de complemento para fazerem sentido. Os verbos transitivos diretos pedem complementos diretos, dessa forma, seus objetos não exigem preposição.
    • Exemplos:

    • Minha mãe comprou uma casa nova. - quem compra, compra alguma coisa. Dessa forma, se a frase estivesse terminado no verbo, não teria sentido total. Para isso, então, acrescenta-se o objeto direto do verbo: uma casa.
    • Natália ama os dias chuvosos. - quem ama, ama alguém ou alguma coisa (os dias chuvosos). Aqui também observamos o mesmo que na frase anterior, justificando o porquê do verbo ser transitivo direto.
    • Ele fez a lição ontem. - quem faz, faz alguma coisa. Sendo necessário um objeto direto (a lição)

  • Verbos transitivos indiretos: Os verbos transitivos indiretos também pedem complemento, porém, eles são classificados como indiretos porque estabelecem relação com os seus objetos por meio de uma preposição, que são os objetos indiretos. 
    • Exemplos:

    • Fernanda respondeu aos seus alunos - quem responde, responde a alguém. Dessa forma, o verbo necessita de uma preposição para estabelecer relação com o seu objeto indireto.
    • O cachorro precisava de atenção. - quem precisa, precisa de alguma coisa. O mesmo ocorre aqui, pois o verbo da frase necessita de uma preposição para fazer relação com seu objeto. 
    • Não simpatizei com ele. - quem simpatiza, simpatiza com alguém. Aqui também é necessário uma preposição antes do objeto.

  • Verbos bitransitivos: Os verbos bitransitivos ou transitivos direto-indiretos são aqueles que que na frase, pedem os dois objetos
    • Exemplos:

    • Ela deu uma camiseta ao seu namorado. - quem dá, dá alguma coisa (uma camiseta - O.D) a alguém (ao seu namorado - O.I).
    • Ensinamos matemática aos alunos. -  quem ensina, ensina alguma coisa (matemática - O.D) a alguém (aos alunos - O.I)
    • Nos dias de folga, o grupo dava roupa e comida aos carentes. - (roupa e comida - O.D) / (aos carentes - O.I). 

    Agora que sabemos sobre a transitividade dos verbos, fica mais fácil identificar um verbo de ligação.

    Exemplo:

    • Ela andava rápido quando anoitecia. - quem anda, anda. Verbo intransitivo.
    • Ela andava desanimada. - evidencia um estado - desanimada. Verbo de ligação.

    Exercícios

    Exercício 1
    (ITA)

    Considere estes versos de Olavo Bilac:

    1 – “Longe do turbilhão estéril da rua,/Beneditino, escreve!”:

    2 – “De tal modo, que a imagem fique nua [...]”

    3 – “E, natural, o efeito agrade,/Sem lembrar os andaimes do edifício”.

    Os verbos em destaque classificam-se, respectivamente, como:

    Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

    Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

    Carregando...