Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue

Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Geografia

Orientação e Cartografia

Maria Júlia Rossetto
Publicado por Maria Júlia Rossetto
Última atualização: 2/1/2019

Introdução

O termo orientação é utilizado com o significado de determinar uma direção a ser seguida, indicar um rumo. Para a Geografia, é muito importante determinar essa referência para definir nossa localização na superfície terrestre.

Antigas civilizações utilizavam recursos que a natureza oferecia para buscar orientação. Assim, o início das tentativas de localização está no uso de corpos celestes como o Sol, a Lua e algumas estrelas.

Atualmente, com o avanço das navegações, da aeronáutica e da astronáutica, podemos nos localizar mais facilmente a partir de instrumentos que determinam os pontos de referência.

Pontos de Orientação

movimento de rotação da Terra nos dá a sensação de que o Sol se desloca no céu durante o dia, no que chamamos de “movimento aparente do Sol”.

Segundo este movimento, o Sol nasce para um lado e se põe em seu oposto. A direção do nascimento indica o Leste (L), e a que o Sol se põe, o Oeste (O).

Perpendicularmente a este eixo Leste-Oeste, temos em uma das extremidades desta linha o Norte (N) e, na outra ponta, o Sul (S).

Elementos de Orientação

A rosa dos ventos                                                         

A Rosa dos Ventos - ou Rosa Náutica - é um desenho que aparece no mostrador de bússolas, em mapas, plantas, maquetes etc.

Esquema da representação da Rosa dos Ventos.Esquema da representação da Rosa dos Ventos.

A Rosa dos Ventos representa os pontos cardeais Norte (N), Sul (S), Leste (L/E) e Oeste (O/W) para dar orientação e direção.

Teoria dos antigos babilônios, difundida pelo famoso pensador e geógrafo grego Ptolomeu, a Rosa dos Ventos é um círculo completo, dividido em trezentos e sessenta graus (360º). Entre as direções indicadas pelos pontos cardeais, estão os pontos colaterais (NE, SE, NW, SW) e os subcolaterais.

Pontos Cardeais

Pontos Colaterais

Pontos Subcolaterais

Bússola

Alguns estudos apontam que a bússola teve sua origem na China, por volta do século I. Desde seu nascimento, era utilizada como instrumento de navegação, permitindo explorações principalmente por meio da navegação.

No século XIII, o navegante e inventor italiano Flavio Gioia contribuiu com o aperfeiçoamento da bússola. Ele utilizou esse sistema sob um cartão com a Rosa dos Ventos, que indicava os pontos cardeais. Para alguns, ele é tido como o próprio inventor do objeto.

No entanto, foi somente no século XIX que a bússola moderna foi elaborada por William Sturgeon, que construiu, em 1825, o primeiro eletroímã que auxiliou na orientação da bússola a partir do magnetismo terrestre.

Atualmente, podemos nos orientar pela bússola através de nossos celulares, tablets e computadores, a partir de um aplicativo instalado em algum dos dispositivos!

Funcionamento da Bússola

A bússola é composta por uma agulha magnetizada que é encaixada na posição horizontal, respeitando seu centro de gravidade para que ela fique livre para se orientar.

Modelo de bússola moderna que é utilizada atualmente.Modelo de bússola moderna que é utilizada atualmente.

Assim, a bússola é capaz de localizar os pontos cardeais (com referência na Rosa dos Ventos) a partir do Norte Magnético da Terra, que funciona como um “enorme ímã” que exerce força de atração em sua direção.

Diferença entre Norte Geográfico e Norte Magnético

Podemos nos referenciar a partir de dois nortes:

  • Norte Geográfico: utiliza como base o ângulo de 90º entre meridianos e paralelos. Normalmente é usado em mapas, cartas e plantas.
  • Norte Magnético / Norte Verdadeiro: utiliza como base a inclinação natural da Terra, de aproximadamente 22º. Normalmente é usado em representações mais aprofundadas, técnicas e específicas.

Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2005)

Leia o texto abaixo:

O jardim de caminhos que se bifurcam

(....) Uma lâmpada aclarava a plataforma, mas os rostos dos meninos ficavam na sombra. Um me perguntou: O senhor vai à casa do Dr. Stephen Albert? Sem aguardar resposta, outro disse: A casa fica longe daqui, mas o senhor não se perderá se tomar esse caminho à esquerda e se em cada encruzilhada do caminho dobrar à esquerda. 

(Adaptado. Borges, J. Ficções. Rio de Janeiro: Globo, 1997. p.96.)

Quanto à cena descrita acima, considere que 

  • o sol nasce à direita dos meninos; 
  • o senhor seguiu o conselho dos meninos, tendo encontrado duas encruzilhadas até a casa.
  • Concluiu-se que o senhor caminhou, respectivamente, nos sentidos: 

    Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

    Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

    Carregando...