Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
História Geral

Reforma Protestante

Maria Clara Cavalcanti
Publicado por Maria Clara Cavalcanti
Última atualização: 14/11/2019

Introdução

Reforma Protestante foi o movimento religioso que ocorreu na Europa no Século XVI. Esse movimento surgiu a partir das inúmeras insatisfações de um determinado grupo de pessoas com a Igreja Católica e teve como um de seus principais líderes o até então monge católico Martinho Lutero.

A Reforma foi responsável por transformações no pensamento religioso do período, rompendo com o domínio absoluto do catolicismo no continente europeu. Os reformistas posicionaram-se, entre outras coisas, contra a venda de indulgências pelo clérigo e ao poder papal. Além disso, manteve profundas relações com questões políticas da época. 

Retrato de Martinho Lutero

Contexto Histórico

A Reforma Protestante ocorreu em um momento de transformações nas relações de poder estabelecidas na Idade Média, durante a transição do sistema feudal para o capitalismo. Essa transição foi marcada por uma intensa desigualdade social e forte efervescência política e social, com numerosas revoltas espalhadas pela Europa e com grande insatisfação da população. Nesse período, a descentralização política, a limitação dos poderes dos imperadores e a formação dos Estados Nacionais constituíram um cenário propício para o aumento da tensão entre a Igreja e o Estado

Os anos que antecederam a Reforma Protestante foram marcados pelos atritos entre monarcas e representantes da Igreja e entre os próprios clérigos. A crise na Igreja gerou uma quantidade significativa de movimento opositores que foram duramente reprimidos inicialmente. 

Antecederam à Reforma Protestante, por exemplo, movimentos chamados “pré-reformadores”, como o liderado por João Wycliff, e que tinham por objetivo combater o que consideravam ser irregularidades nas práticas da Igreja. 

As insatisfações vinham de muitas partes e possuíam diferentes razões. Por um lado, os monarcas, fortalecidos pela consolidação dos Estados Nacionais, passaram a desejar reter os impostos feudais, que iam diretamente para o Papa, em Roma. Além disso, os camponeses demonstravam cada vez maior descontentamento com a enorme riqueza da Igreja, mantida às custas do trabalho da população, enquanto essa enfrentava a pobreza e a miséria.

A burguesia, classe social que se formava e consolidava nesse momento, também encontrou problemas em relação à Igreja, uma vez que práticas como a “usura” (cobrança de juros em empréstimos) e o acúmulo de capital, eram considerados pecado pelos clérigos. 

Martinho Lutero e o princípio da Reforma Protestante

Martinho Lutero - monge agostiniano e professor de Teologia - é considerado o membro da Igreja Católica precursor da Reforma Protestante. Suas principais críticas eram voltadas para a vendas de indulgências (fiéis pagavam dízimos à Igreja em troca do perdão pelos seus pecados). 

Em 1517, quando um grupo de clérigos foi vender indulgências em Wittemberg, Lutero fixou na porta da Igreja da cidade as chamadas 95 teses - 95 tópicos que criticavam a Igreja e o próprio Papa - e que convidavam seus alunos a debater as questões que tanto incomodavam a Igreja naquele momento. Alguns desses alunos resolveram copiar as teses e lê-las para a população nas ruas. 

Três anos depois, o então Papa, Leão X, redigiu uma “Bula Papal” exigindo que Lutero se retratasse. Lutero, entretanto, queimou o documento em praça pública. Dessa forma, em 1521, em assembleia convocada pelo Imperador Carlos V, Lutero foi considerado herege pelas autoridades. Imediatamente viajou para a Alemanha onde foi acolhido no castelo de Wartburg. Nesse momento, as ideias de Lutero já se espalharam pela Alemanha e logo chegariam a outras regiões do continente europeu. Na Alemanha, Lutero se dedicou a traduzir a Bíblia para o idioma alemão e a escrever as teses de uma nova religião. 

Expansão do Protestantismo

Em 1530, Melanchthon, discípulo de Lutero, redigiu os princípios e fundamentou a doutrina Luterana. Houve grande movimentação na Europa a partir das teses protestantes de Lutero, dando origem a diversas guerras religiosas. Essas guerras só chegaram ao fim quando em 1555 foi determinada a chamada “Paz de Augsburgo”, onde cada governante de dentro do Sacro Império passou a poder optar pela sua própria religião e dos seus respectivos súditos. 

A religião protestante chegou a países como Noruega, Islândia, Suécia e Dinamarca. Inúmeros reformadores surgiram nesses países, com maior grau de radicalidade, inclusive, como foi o caso da Suíça. 

Alguns dos princípios fundamentais do protestantismo eram: a fidelidade às Escrituras e seu conteúdo, a salvação somente em Cristo (o que se opunha à venda de indulgências), a salvação somente pela graça divina e pela fé, a glória dada somente a Deus (e não a outros santos católicos, por exemplo). 

O mais conhecido seguidor de Lutero foi o francês João Calvino, responsável pela criação de um sistema mais completo teológico protestante e por dar início a construção das Igrejas Reformadas e Presbiterianas. Em “Instituição da religião cristã”, Calvino ampliou a doutrina luterana, determinando a proibição de imagens e sacerdotes paramentados nas igrejas. O Calvinismo rapidamente se expandiu por toda Europa. 


Exercícios

Exercício 1
(PUC-PR)

Nos começos do século XVI teve início a Reforma Religiosa, com a atuação de Martinho Lutero, monge agostiniano, então em Wittenberg. Sobre as causas desse movimento, é correto afirmar:

I – Os reformados tiveram apoio da burguesia, desejosa de firmar sua atividade capitalista de obter lucros, limitados pela Igreja e indicativos de pecado.

II – Um sentimento nacionalista surgira na Alemanha e Norte da Europa, passando o papa a ser visto como um estrangeiro a interferir em assuntos internos.

III – Em matéria de religião ocorreu o abuso de setores do clero, com a exploração das “relíquias sagradas” e venda de indulgências.

IV – O documento inicial que desencadeou a Reforma Luterana foi a Declaração de Augsburgo, redigida por Felipe Melanchton.

V – Ao tempo do início da Reforma Luterana era papa Júlio II, mecenas do Renascimento e que interpretou o ato de rebeldia de Lutero como uma simples querela de agostinianos contra dominicanos.

Estão corretas:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...