Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biologia

Sarampo

Jéssica Maciel
Publicado por Jéssica Maciel
Última atualização: 20/3/2020

Introdução

O Sarampo é uma doença viral que já foi uma das principais causas de mortalidade infantil no mundo. Felizmente, com o surgimento do diagnóstico e da vacina, o sarampo foi controlado. Entretanto, é sempre importante estar atento aos seus sintomas, riscos e, principalmente, prevenção. 

O que é sarampo

O sarampo é uma doença altamente contagiosa, muito comum principalmente na infância.  Além disso, ela é causada por um vírus chamado Measles morbillivirus.

Sintomas do sarampo

Os sintomas do sarampo nem sempre se manifestam, entretanto, na grande maioria dos casos, alguns sintomas são muito característicos: manchas no corpo e no rosto, coceira, febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos e infecção no ouvido

Quais são os riscos do sarampo?

Além desses sintomas, o sarampo pode apresentar alguns riscos. Isso porque crianças, que têm o sistema imunológico mais frágil, podem apresentar pneumonia, convulsões e, até mesmo, vir a falecer.

Outro risco do sarampo são os pacientes imunocomprometidos. Uma vez que seus sistemas imunológicos já estão comprometidos, eles ficam suscetíveis a essa e a outras doenças, assim como a avançar para possíveis complicações do sarampo.

Complicações do sarampo

Uma das principais complicações causadas pelo vírus do sarampo é a diarreia. Apesar de parecer uma complicação simples, ela é a porta de entrada para outros problemas. Isso porque com a perda de peso e a fraqueza, o corpo fica mais suscetível a outras complicações e doenças.

Em crianças, algumas complicações são mais comuns de acontecer:

  • Pneumonia: Uma das causas mais comuns de morte entre crianças pequenas com sarampo é a pneumonia. Esse agravamento pode surgir principalmente quando as tosses se intensificam.
  • Otite Média Aguda: Outro agravamento que tem como precursor as dores de ouvido causadas pelo sarampo é a infecção de ouvido. Esta, por sua vez, ainda pode se agravar e causar perda auditiva permanente.
  • Encefalite Aguda: A encefalite aguda nada mais é do que uma infecção no cérebro. Apesar de apenas uma em cada mil crianças apresentar esse agravamento, e uma a cada dez dessas falecerem, é preciso estar atento.
  • Morte: Por fim, outro agravamento possível é a morte do paciente. Estima-se que duas a cada mil crianças avancem para esse estágio. Por isso, é muito importante prevenir.

Adultos e, principalmente, gestantes, também precisam estar atentos, pois não estão imunes ao desenvolvimento de pneumonia como complicação do sarampo. No caso das gestantes, a doença pode ocasionar, ainda, parto prematuro.

Tratamento do sarampo

Um ponto importante sobre o sarampo é que não existem tratamentos. No geral, costuma-se tratar os sintomas que surgem no paciente. Dois desses tratamentos comuns são o uso de antitérmicos e de vitamina A devidamente prescritos por profissionais.

Prevenção ao sarampo

O vírus do sarampo é facilmente transmitido de pessoa para pessoa via secreções. Ou seja, espirros, tosses e outros contatos podem transmitir a doença. Por isso, é preciso se prevenir, e a principal forma de prevenção do sarampo é a vacina

Vacina do sarampo

Na maioria dos casos, as vacinas contra o sarampo são aplicadas em crianças. Atualmente, estão disponíveis para a população três tipos de vacina:

  • Dupla viral: Protege do vírus do sarampo e rubéola
  • Tríplice Viral: Protege do vírus do sarampo, caxumba e também rubéola.
  • Tetra Viral: Protege do vírus do sarampo, caxumba, rubéola e varicela.

É importante estar atento à quantidade de doses e à idade que ela deve ser tomada para que o efeito surja corretamente. Por exemplo, a tríplice viral está disponível em três doses: crianças de seis meses a um ano, crianças de um ano e crianças com um ano de idade.

Aqueles que não foram vacinados quando crianças também podem se proteger até os 49 anos. Por isso, é muito importante procurar profissionais e se informar de suas vacinas.

Quem tomou a vacina contra sarampo pode pegar?

As vacinas do vírus do sarampo possuem 90% de eficácia. Entretanto, essa prevenção não é eterna. 

Apesar de possuir um efeito duradouro, no geral, após quinze anos, é possível que quem tomou a vacina esteja novamente vulnerável. Para essas pessoas, a recomendação é uma dose extra.

Quem teve sarampo pode pegar de novo?

Por fim, se você já teve sarampo em algum momento de sua vida, pode ficar tranquilo. Isso porque ao adquirir a doença, o corpo cria anticorpos para combatê-la, por isso, não a contrai novamente. Entretanto, é recomendado que, em épocas de surto, seja procurado um posto de saúde para verificar a necessidade de vacinas.


Exercícios

Exercício 1
(UFPR/2019)

No Brasil, doenças como a febre amarela, o sarampo e a tuberculose são problemas de saúde pública. Com relação a essas doenças, assinale a alternativa correta.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...