Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Filosofia

Tomás de Aquino

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 6/6/2019

Introdução

Tomás de Aquino, também chamado de São Tomás de Aquino, foi um frei dominicano nascido na Itália no período da Idade Média. Foi, também, responsável por deixar um legado importante tanto na filosofia, quanto nas ideias da igreja católica.

Tomás de Aquino participava ativamente do período que marca a tensão ideológica na Idade Média, responsável por questionar uso exclusivo de princípios católicos, entre eles a noção de direito divino. A ruptura de um modelo de pensamento quase único acontece graças à contribuição da filosofia e ao surgimento da escolástica.

Igreja Medieval

Biografia

Tomás de Aquino nasceu em 1225 em Aquino, região do Lácio na  Itália. Filho de Landulf de Aquino, abastado conde da região, teve acesso a uma boa educação. Conheceu livros, esculturas, pinturas e todo tipo de informação que pudesse contribuir para a sua formação intelectual.

Até os 10 anos, Tomás de Aquino foi educado por monges. Posteriormente, ingressou na Universidade de Nápoles, no curso de Artes Liberais. No período em que passou na Universidade, entrou em contato com as obras de Aristóteles e Averróis

Aos 19 anos, Aquino reconheceu sua vocação religiosa, e então, decidiu abandonar a Universidade e dedicar-se ao trabalho e estudo na Ordem dos Dominicanos no convento Saint Jacques, em Paris.

O italiano passou alguns anos na França, até mudar para Colônia, na Alemanha, onde tornou-se discípulo do filósofo, teólogo e bispo Alberto Magno.

Em 1252, Tomás de Aquino retornou à França e iniciou os estudos em teologia. Após a conclusão do curso, passou a trabalhar como professor nas cidades de Roma e Nápoles.

Após a conclusão dos estudos teológicos, Tomás de Aquino dividiu-se entre a docência, a filosofia e as atividades religiosas. Em 1274, durante uma viagem à França para participar do II Concílio de Lyon, o frei adoeceu e acabou falecendo em 7 de março do mesmo ano.

Contexto histórico

São Tomás de Aquino produziu sua obra no período conhecido como baixa Idade Média, momento marcado pela decadência da sociedade feudalrenascimento comercial e urbano, ascensão da burguesiaformação dos estados nacionais e centralização política.

No período da baixa Idade Média, a Igreja católica ainda representava um forte poder e influência sobre os indivíduos e, também, sobre os modelos educacionais e sociais a serem seguidos.

Filosofia de Tomás de Aquino

A construção das ideias de São Tomás de Aquino teve influência direta do filósofo grego Aristóteles e do filósofo árabe Averróis. Aquino retomou o realismo aristotélico e apresentou pontos de vista distintos de Santo Agostinho, que defendia as obras idealistas de Platão.

A filosofia desenvolvida por Tomás de Aquino mescla a razão filosófica e a fé católica, a  junção entre razão e fé no desenvolvimento de ideias filosóficos recebe o nome de filosofia escolástica. A junção entre razão e fé é tão significativa no contexto da Idade Média e da hegemonia do pensamento católico que Tomás de Aquino recebeu o título de Príncipe da Escolástica.

A partir da defesa da fé e da razão, São Tomás de Aquino tentou mostrar que, embora pareçam muito distintas, as ideias defendidas na igreja e na filosofia não se excluem, muito pelo contrário, a junção de pensamentos distintos auxilia, aperfeiçoa e completa as ideias.

Em um primeiro momento, a retomada de Aristóteles e a união entre fé e razão não agradou à igreja, pois negava a revelação. Séculos mais tarde, a igreja, no entanto, reconheceu a importância da obra tomista.

Estátua de Averróis, Córdoba, Espanha.

Aristóteles e a Suma Teológica

Após os estudos das obras aristotélicas Tomás de Aquino desenvolve sua Suma Teológica e apresenta as seguintes conclusões:

  • A filosofia aristotélica não era essencialmente pagã, já que o filósofo havia nascido antes de Cristo e, portanto, ainda não tinha conhecimentos acerca do Deus católico, no entanto, conhece os deuses gregos e tem, por isso, uma concepção particular e distinta sobre a religião.
  • A razão humana e a fé não se excluem, pelo contrário, a razão pode conduzir à verdade.
  • A revelação divina atua de forma a orientar e complementar a razão humana.

Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2018)

Ora, desde que tenhamos compreendido o significado da palavra “Deus”, sabemos, de imediato, que Deus existe. Com efeito, esta palavra designa uma coisa de tal ordem que não podemos conceber nada que lhe seja maior. Ora, o que existe na realidade e no pensamento é maior do que o que existe apenas no pensamento. Donde se segue que o objeto designado pela palavra “Deus”, que existe no pensamento, desde que se entenda esta palavra, também existe na realidade. Por conseguinte, a existência de Deus é evidente (TOMÁS DE AQUINO. Suma teológica. Rio de Janeiro. Loyola).

O texto apresenta uma elaboração teórica de Tomás de Aquino caracterizada por:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...