Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Geografia

Meritocracia

Maria Clara Cavalcanti
Publicado por Maria Clara Cavalcanti
Última atualização: 6/11/2018

Introdução

A meritocracia é uma ideia que procura explicar e determinar os lugares sociais ocupados pelos indivíduos na sociedade a partir da concepção do mérito individual. Sendo assim, é um modelo que busca justificar a distribuição de renda, poder e posições políticas entre os indivíduos com base no ideal do merecimento.

Segundo essa lógica, o lugar social de cada indivíduo, assim como seu sucesso profissional, econômico, político e social, depende apenas de seu esforço individual. Ou seja, a meritocracia é um modelo que atribui prêmios e vantagens considerando unicamente o desempenho individual de cada pessoa.

Como funciona um sistema meritocrático?

É importante pontuar que o sistema meritocrático é uma das bases fundamentais do liberalismo econômico e sendo assim, constitui as sociedades ocidentais modernas.

Nesse sistema, o acesso aos bens de consumo e serviços e as condições socioeconômicos dos sujeitos são diretamente ligados ao seu esforço individual. Ou seja, ao quanto um indivíduo se dedica ao estudo, trabalho, etc.  

Histórico

A etimologia da palavra “meritocracia” remete à expressão “poder do mérito”, uma vez que advém do latim “meritum” (mérito) e do grego “cracía” (poder).

A primeira vez que a palavra meritocracia surgiu como um conceito foi no livro “Rise of the Meritocracy”, publicado em 1958 pelo político e sociólogo inglês Michael Young. Na narrativa do livro, Young criou uma sociedade hipotética, onde todas as pessoas eram avaliadas e hierarquizadas apenas por seus méritos.

Contrariando o que se poderia entender como o ideal da meritocracia - não favorecer ninguém por nenhum outro motivo que não seja o seu mérito - a sociedade do livro de Young acaba por ter a desigualdade social extremamente aumentada.

Entretanto, muito antes do termo aparecer no livro de Michael Young, a ideia da meritocracia já estava presente no mundo. Desde a Revolução Francesa, Napoleão Bonaparte instituiu que a origem dos indivíduos, ou seja, seus lugares de nascimento - seja da nobreza, burguesia, etc - não contariam para ingressar em carreiras públicas. O acesso passou a acontecer a partir do merecimento. Líder burgueses e jacobinos da Revolução Francesa foram também importantes na defesa da liberdade individual e da meritocracia.

A partir do século XIX essa foi uma perspectiva que se ampliou pelo mundo. Nos Estados Unidos por exemplo, é forte a ideia do self-made man, o indivíduo que conquista seu espaço na sociedade a partir de seu esforço.

Tirinha Mafalda, do autor Quino. Tirinha Mafalda, do autor Quino. 

Crítica à meritocracia

Apesar de surgir em um contexto de ampliação da possibilidade de mobilidade social, a meritocracia, como ideia ou sistema, para ser perfeitamente eficaz e justa, só funciona em um contexto onde todas as pessoas possuem as mesmas condições e oportunidades de desenvolvimento. Ou seja, se fizéssemos uma analogia a uma corrida de atletismo, todas as pessoas precisariam partir exatamente do mesmo ponto na pista.

Entretanto, sabemos que vivemos em uma sociedade onde o acesso à educação formal, aos bens de serviço, à estruturas familiares saudáveis etc., não acontece da mesma forma para todas as pessoas.

Nesse sentido, pessoas que estudaram em boas escolas, tiveram uma infância saudável, tempo e incentivo para seu desenvolvimento pessoal e profissional terão mais chances de alcançarem níveis socioeconômicos maiores que pessoas que não estiveram inseridas em estruturas benéficas como essas.

A meritocracia tem sido usada como argumento para justificar e fazer a manutenção de sociedades desiguais, onde a população mais rica continua enriquecendo pelas oportunidades que lhe são dadas, enquanto a população mais pobre permanece nas lógicas de escassez.

Em suma, as críticas de importantes políticos, filósofos, sociólogos e historiadores ao conceito de meritocracia acontecem no sentido de exigir que as mesmas condições de moradia, educação, saúde e serviços sejam dadas a todos sujeitos de uma sociedades para que, assim sendo, a corrida a partir dos esforços individuais seja justa.


Exercícios

Exercício 1
(FGV/2016)

Na frase “Apesar de aparentar ser uma ideologia justa, a meritocracia, por causa principalmente de disparidades socioeconômicas, revela-se imparcial, uma vez que só detêm méritos aqueles que são beneficiados com oportunidades para alcançá-los”, pode-se apontar incoerência devido ao emprego inadequado da palavra  

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...