Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
História do Brasil

Revolução Farroupilha

Maria Clara Cavalcanti
Publicado por Maria Clara Cavalcanti
Última atualização: 29/8/2018

Introdução

A Revolução Farroupilha, também chamada de Guerras dos Farrapos, foi a mais longa Revolta Regencial, com 10 anos de duração. Esse conflito aconteceu no Rio Grande do Sul, teve início em 1835 e só chegou ao fim no ano de 1845.

A Revolução foi inicialmente uma revolta tributária, promovida pelos ricos pecuaristas donos de terras. Esse grupo questionava os altos impostos cobrados sobre o valor do charque que produziam, comercializado apenas dentro do próprio Império. Entretanto, no decorrer dos anos, ganhou caráter separatista, abolicionista e republicano.

Mapa da região onde ocorreu a Revolução Farroupilha. Mapa da região da Revolução Farroupilha

Contexto Histórico

A Revolução Farroupilha aconteceu durante o Período Regencial (1831-1840), momento em que o Brasil foi governado por regentes, enquanto se aguardava a maioridade de Dom Pedro II.

Esse período foi marcado por fortes conflitos políticos e pelas chamadas Revoltas Regenciais, como a Cabanagem, a Balaiada, a Sabinada e a própria Revolução Farroupilha.

Desde o período colonial, as elites locais do Rio Grande do Sul atuaram na defesa do território contra as investidas espanholas. Por isso, nos tempos do Império, esperavam como contrapartida que o Governo Central investisse no desenvolvimento econômico da região.

Entretanto, não foi assim que aconteceu. Pelo contrário, o Governo Federal aplicou pesadas taxas nos produtos rio-grandenses.

A base da economia no Sul do país, nesse período, era a criação de gado, a erva-mate, o charque e seus derivados.

Causas

Apesar da produção de charque no Rio Grande do Sul, os altos impostos cobrados pelo Governo tornavam o produto produzido fora do Brasil (Argentina e Uruguai) mais barato que o charque nacional, tornando-o menos competitivo.

Além disso, o Governo também aumentou os incentivos à importação de charque da região do Prata e subiu a taxa de importação de sal, insumo básico para a manufatura do produto.

Essas atitudes do Governo desagradaram enormemente a elite do Rio Grande do Sul.

Inspirados pelos ideais iluministas e liberais, esse grupo começou a se aproximar politicamente das ideias de autonomia e federalismo.

Insatisfeita com a submissão imposta ao Estado, com o descaso do Governo e com a centralização política que em nada favorecia ao Rio Grande do Sul, a elite local decidiu se rebelar contra o Império.

A Revolução

No dia 20 de setembro de 1835, as tropas farroupilhas comandadas por Bento Gonçalves conseguiram conquistar Porto Alegre, destituindo o então presidente da província, Fernandes Braga.

Gonçalves deu posse ao então vice-presidente Marciano Ribeiro. Em poucos dias, todo o Estado acabou nas mãos dos farroupilhas, com exceção de Rio Grande, São Gabriel e Rio Pardo.

As tensões entre farroupilhas e o Império foram acentuadas quando o Governo ordenou a transferência das repartições de Porto Alegre para Rio Grande, marcando uma profunda ruptura.

Em 15 de julho de 1836, o Império retomou o poder de Porto Alegre. Alguns integrantes da Revolução Farroupilha conseguiram escapar e chegaram a tomar pontos importantes da cidade.

Entretanto, nenhuma das tentativas lideradas pelo líder farrapo Bento Gonçalves teve êxito, e os revolucionários nunca chegaram a retomar a cidade.

Em setembro de 1836, aconteceu a primeira grande batalha envolvendo as tropas do Governo e os farrapos. Comandados pelo General Netto, os farrapos obtiveram vitória e, empolgados com esse momento, declararam a separação do Estado e proclamaram a República Rio-Grandense.

Nesse momento, a revolta tomou delineadas formas separatistas e revolucionárias.

É nesse contexto que os líderes farrapos determinam que os escravizados que se alistassem nas tropas revolucionários seriam libertos, o que aumentou em muito o contingente de soldados.

A República Rio-Grandense não durou muito. Em outubro de 1836, o Império derrotou os farroupilhas e prendeu Bento Gonçalves e outros oficiais.

Entretanto, essa derrota não significou que a força revolucionário foi abatida. Muito pelo contrário, sobre a liderança de Antônio Netto, permaneceram resistentes e obtiveram outras vitórias.

Em novembro de 1836, os farrapos declaram a República em Piratini e nomearam Bento Gonçalves, ainda preso, como presidente.

Em outubro de 1837, Bento Gonçalves fugiu da prisão e assumiu a presidência da República. Os anos que se seguiram foram de intensos conflitos e tensões e, apesar da forte repressão do exército imperial, os farroupilhas ainda conquistaram a vila de Laguna e declararam a República Catarinense.

Essas conquistas mais uma vez duraram pouco. Logo Laguna voltou para o controle do Império e o Governo investiu mais de dois terços do contingente do exército nacional para o desmanche da Revolução Farroupilha.

Em 1842, Duque de Caxias foi nomeado pelo Império para pôr fim ao movimento. Enfim, após três anos de batalhas, a guerra chega ao fim com um acordo assinado por ambas as partes, o chamado “Tratado de Poncho Verde”.

No documento que selava o acordo, ficou determinado que:

  • os oficiais farrapos seriam anexados ao exército nacional;
  • as dívidas do governo republicano ficariam por conta do Império;
  • os escravos que lutaram nas tropas republicanas seriam libertos;
  • os prisioneiros políticos seriam soltos;
  • o aumento das taxas para a importação do charque estrangeiro.

Exercícios

Exercício 1
(UNESP/2012)

A Revolução Farroupilha foi um dos movimentos armados contrários ao poder central no Período Regencial brasileiro (1831-1840). O movimento dos Farrapos teve algumas particularidades, quando comparado aos demais.

Em nome do povo do Rio Grande, depus o governador e entreguei o governo ao seu substituto legal. E em nome do Rio Grande do Sul, digo que nesta província extrema, afastada da Corte, não toleramos imposições humilhantes. O Rio Grande é a sentinela do Brasil que olha vigilante o Rio da Prata. Não pode e nem deve ser oprimido pelo despotismo. Exigimos que o governo imperial nos dê um governador de nossa confiança, que olhe pelos nossos interesses, ou, com a espada na mão, saberemos morrer com honra, ou viver com liberdade.

(Carta escrita em 1835 por Bento Gonçalves, líder farroupilha, ao Regente Feijó.

Adaptado de PESAVENTO, S. J. A Revolução Farroupilha. São Paulo: Brasiliense, 1990)

Entre os motivos da Revolução Farroupilha, podemos citar:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

HISTÓRIA DO BRASIL
Cabanagem
Cabanagem
HISTÓRIA DO BRASIL
Guerra de Canudos
Guerra de Canudos
HISTÓRIA DO BRASIL
Guerra do Contestado
Guerra do Contestado
HISTÓRIA DO BRASIL
Inconfidência Mineira
Inconfidência Mineira
HISTÓRIA GERAL
Primavera dos Povos - Revoluções de 1848
Primavera dos Povos - Revoluções de 1848
HISTÓRIA DO BRASIL
Revolta da Chibata
Revolta da Chibata
HISTÓRIA GERAL
Revolução Francesa
Revolução Francesa
HISTÓRIA GERAL
Revolução Industrial
Revolução Industrial
HISTÓRIA GERAL
Revolução Russa
Revolução Russa
HISTÓRIA GERAL
Revoluções de 1830
Revoluções de 1830
HISTÓRIA GERAL
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial
HISTÓRIA DO BRASIL
Tiradentes
Tiradentes