Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
História do Brasil

Revolta da Chibata

Maria Clara Cavalcanti
Publicado por Maria Clara Cavalcanti
Última atualização: 29/8/2018

Introdução

A Revolta da Chibata foi um movimento urbano que aconteceu durante a Primeira República, entre os dias 22 e 27 de novembro de 1910.

A Revolta teve como objetivo principal pôr fim aos castigos corporais infligidos aos integrantes negros da Marinha do Brasil, reivindicando, assim, maior equidade no tratamento de brancos e negros dentro da instituição e melhores condições de trabalho para todos os marinheiros.

Contexto Histórico

No dia 13 de maio de 1888, foi assinada a Lei Áurea, que, pelo menos no papel, colocou fim ao trabalho escravo no Brasil.

A Lei, entretanto, não significou a inserção efetiva dos ex-escravizados na sociedade e nem pôs fim ao racismo que essa população sofria. Sendo assim, grande parte da população negra encontrava-se sem empregos, oportunidades e em estado de miséria.

Uma das poucas alternativas encontradas por essa população era ingressar ao trabalho na Marinha. Essa era, na época, uma função cansativa, mal remunerada e os indivíduos que nela atuavam eram extremamente explorados.

A Marinha Brasileira, no período, havia adquirido uma série de navios produzidos na Inglaterra, tornando-se um dos corpos militares que mais possuía aparatos tecnológicos e modernos do mundo. Essa modernidade, entretanto, não havia chegado aos manuais de conduta impostos aos marinheiros.

As faltas cometidas pelos integrantes da Marinha Brasileira eram punidas com castigos corporais, as chibatadas. Os castigos eram mais frequentes entre os integrantes negros, que na época, eram maioria. A mesma prática punitiva comumente aplicada aos negros escravizados era aplicada aos marinheiros negros, então livres.

Os baixos salários, os castigos corporais, os maus-tratos e o racismo que permeava todas essas práticas foram as causas da Revolta da Chibata.

A Revolta

Mediante à insatisfação com os vários tipos de violências sofridas, o marinheiro João Cândido Felisberto, começou a tramar uma revolta.

Para isso, reuniu marinheiros, negros e mulatos descontentes em navios, como o encouraçado Minas Gerais - do qual fazia parte -, encouraçado São Paulo, navio Deodoro, navio Bahía, entre outros.

Inicialmente, os revoltosos esperavam a tomada de poder do Marechal Hermes da Fonseca para se manifestar. Entretanto, a punição de 250 chibatadas dada a Marcelino Rodrigues Menezes, fez eclodir antecipadamente a revolta.

A Revolta começou em Minas Gerais e foi, aos poucos, se espalhando para outros navios. Em meio aos conflitos, muitos marinheiros brancos que tentaram impedir a movimentação dos revoltosos acabaram morrendo.

Todos os navios tomados pelos manifestantes foram apontados na direção do Rio de Janeiro, e o Governo enviou um representante para entender as reivindicações do movimento.

Uma imagem histórica da Revolta da Chibata é a fotografia de João Cândido lendo as questões fundamentais pelas quais o movimento lutava, como:

  • o fim dos castigos corporais;
  • melhores salários;
  • melhores dormitórios e refeitórios;
  • igualdade na concessão das patentes.

João Cândido lendo o manifesto da Revolta da Chibata. João Cândido lendo o manifesto da Revolta da Chibata

O Governo, inicialmente, assumiu uma postura intransigente e afirmou que não negociaria com revoltosos.

Como represália, João Cândido fez disparos na direção do Congresso Nacional, o que levou ao presidente Hermes da Fonseca a prometer atender às reivindicações, encerrando a Revolta no dia 27 de novembro de 1910.

Na negociação inicial do presidente da República com os revoltosos, havia ficado acordado o perdão aos marinheiros participantes, o que garantiria sua liberdade.

A pressão da imprensa, que acusou o Governo de negociar com homens que teriam “atirado contra o próprio país”, acabou por fazer o presidente voltar atrás em sua decisão, terminando com a prisão de centenas de marinheiros, incluindo João Cândido.

Apesar de terem alcançado seu objetivo e conseguirem retirar os castigos corporais dos manuais da marinha, os manifestantes acabaram sofrendo duras punições ao final da Revolta da Chibata.


Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2010)

Leia o seguinte texto:

O Mestre-sala dos mares
 Há muito tempo nas águas da Guanabara
 O dragão do mar reapareceu
 Na figura de um bravo marinheiro
 A quem a história não esqueceu
 Conhecido como o almirante negro
 Tinha a dignidade de um mestre-sala
 E ao navegar pelo mar com seu bloco de fragatas
 Foi saudado no porto pelas mocinhas francesas
 Jovens polacas e por batalhões de mulatas
 Rubras cascatas jorravam nas costas
 Dos negros pelas pontas das chibatas…
 (BLANC, A.; J. O Mestre-sala dos mares. Disponível em: www.usinadeletras.com.br
)

Na História Brasileira, a chamada Revolta da Chibata liderada por João Cândido, e descrita na música, foi:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

HISTÓRIA DO BRASIL
Cabanagem
Cabanagem
HISTÓRIA DO BRASIL
Guerra de Canudos
Guerra de Canudos
HISTÓRIA DO BRASIL
Guerra do Contestado
Guerra do Contestado
HISTÓRIA DO BRASIL
Inconfidência Mineira
Inconfidência Mineira
HISTÓRIA GERAL
Primavera dos Povos - Revoluções de 1848
Primavera dos Povos - Revoluções de 1848
HISTÓRIA DO BRASIL
Revolução Farroupilha
Revolução Farroupilha
HISTÓRIA GERAL
Revolução Francesa
Revolução Francesa
HISTÓRIA GERAL
Revolução Industrial
Revolução Industrial
HISTÓRIA GERAL
Revolução Russa
Revolução Russa
HISTÓRIA GERAL
Revoluções de 1830
Revoluções de 1830
HISTÓRIA GERAL
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial
HISTÓRIA DO BRASIL
Tiradentes
Tiradentes