Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
História do Brasil

Tiradentes

Maria Clara Cavalcanti
Publicado por Maria Clara Cavalcanti
Última atualização: 28/8/2018

Introdução

Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, é um dos personagens mais conhecidos da História do Brasil. O mais conhecido líder da chamada Inconfidência Mineira, se tornou mártir da liberdade republicana muitos anos depois se sua morte, com o advento da República.

Quem foi Tiradentes?

Tiradentes nasceu na então Capitania de Minas Gerais, em 1746. Filho de um proprietário rural e sua esposa, Tiradentes ficou órfão ainda na infância, tendo sido criado por um padrinho.

Durante sua vida, chegou a trabalhar em diversas profissões, como pequeno minerador, militar e comerciante. Dentre suas atividades, esteve a de dentista, motivo que fez com que Joaquim José da Silva Xavier ficasse conhecido como Tiradentes.

Ao se alistar na tropa da Capitania de Minas Gerais - na qual chegou até a patente de alferes - Tiradentes viu de perto os abusos da metrópole na cobrança dos impostos às regiões de exploração de minérios, localizadas na colônia.

Tiradentes era um ótimo orador e interessado em questões políticas. Após abandonar a carreira militar, uniu-se a um grupo de integrantes da elite brasileira composto por intelectuais, coronéis e outras figuras importantes da região de Minas Gerais. Alguns dos mais conhecidos membros do grupo foram o poeta Tomás Antônio Gonzaga e o advogado Cláudio Manuel da Costa.

Esse grupo, assim como Tiradentes, fora inflamado pelos ideais Iluministas franceses e influenciado pela recém Independência dos Estados Unidos.

Contexto Histórico

No contexto colonial no qual Tiradentes viveu, Portugal explorava e canalizava os recursos mais valiosos da região, o ouro. A metrópole cobrava altos impostos em cima da extração do minério, como o chamado “Quinto”, taxa de 20% sob todo ouro retirado das minas.

Desde a segunda metade do século XVIII, o ouro começou a ficar mais escasso. Entretanto, Portugal não diminuiu os impostos sobre ele, já que o país havia acabado de passar por um terremoto e precisava de recursos para se restabelecer.

Ao contrário, decretou a chamada “Derrama”, imposto que obrigava cada região aurífera (extratora de ouro) a recolher uma tonelada e meia de ouro por ano e entregá-lo para Portugal.

Além disso, em 1785, Dona Maria I, rainha de Portugal, decretou a proibição das manufaturas no Brasil.

Ao impedir a produção industrial, a medida pretendia obrigar o Brasil a importar os produtos industrializados de Portugal a um preço cada vez mais alto. A proibição foi mal vista pela elite mineira, que a interpretou como sinal de atraso e aumento da dependência econômica do Brasil.

A Inconfidência Mineira

Mediante à intensa insatisfação com a coroa portuguesa e influenciados pelos recentes acontecimentos e ideais estrangeiros, Tiradentes e um consistente grupo da elite mineira começaram a conspirar contra Portugal.

Deram origem, então, à chamada Inconfidência Mineira, um movimento de caráter emancipatório, que pretendia pôr fim ao pacto colonial e proclamar a República no Brasil.

A Inconfidência Mineira não chegou a se concretizar, porque antes da data prevista para acontecer, seus participantes foram delatados por um traidor, José Silvério dos Reis.

Ao serem presos, a maior parte dos inconfidentes não confessaram a conspiração, por exceção de Tiradentes.

Em 21 de Abril de 1972, Joaquim José da Silva Xavier foi enforcado, esquartejado e teve as partes de seu corpo expostas em praças públicas, como forma do Governo “emitir um aviso” sobre o “fim provável dos rebeldes”.

Tiradentes, o Herói

Desde os tempos do Império, Tiradentes começou a ser utilizado como imagem do defensor da emancipação, independência e progresso no Brasil. Entretanto, foi mesmo com o advento da República que os maiores investimentos foram feitos em sua representação.

Transformado em ícone da liberdade, defensor dos oprimidos e dono de um ótimo caráter, as representações, tanto imagéticas como imateriais de Tiradentes, aproximavam-o da imagem de Jesus.

Tiradentes em pintura como mártir religioso. Sua imagem se aproxima de Jesus Cristo nessa pintura.Tiradentes como mártir religioso

Isso, porque tendo sido tanto o processo da Independência do Brasil como a Proclamação da República eventos que quase não contaram com a participação do povo, Tiradentes se tornou o mártir ideal para a construção de uma memória nacional com apelo popular.


Exercícios

Exercício 1
(UNICAMP/2015)

A aquarela do artista João Teófilo, aqui reproduzida, dialoga com a pintura de Pedro Américo, “Tiradentes esquartejado” (1893).

Tiradentes esquartejado (1893) pintura de Pedro Américo. Questão da UNICAMP 2015

Sobre a obra de João Teófilo, publicada na capa de uma revista em 2015, é possível afirmar que:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

HISTÓRIA DO BRASIL
Cabanagem
Cabanagem
HISTÓRIA DO BRASIL
Guerra de Canudos
Guerra de Canudos
HISTÓRIA DO BRASIL
Guerra do Contestado
Guerra do Contestado
HISTÓRIA DO BRASIL
Inconfidência Mineira
Inconfidência Mineira
HISTÓRIA GERAL
Primavera dos Povos - Revoluções de 1848
Primavera dos Povos - Revoluções de 1848
HISTÓRIA DO BRASIL
Revolta da Chibata
Revolta da Chibata
HISTÓRIA DO BRASIL
Revolução Farroupilha
Revolução Farroupilha
HISTÓRIA GERAL
Revolução Francesa
Revolução Francesa
HISTÓRIA GERAL
Revolução Industrial
Revolução Industrial
HISTÓRIA GERAL
Revolução Russa
Revolução Russa
HISTÓRIA GERAL
Revoluções de 1830
Revoluções de 1830
HISTÓRIA GERAL
Segunda Revolução Industrial
Segunda Revolução Industrial