Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
44b2bf06763ecf82840f8e534cedad96ce514051 3a0f35705cf17b6195d42728a19d56943c07144b
Universidades

26 universidades particulares estão entre as cem melhores em pesquisas no Brasil

por Mathias Sallit em 10/05/19 540 visualizações

As universidades particulares são minoria na lista por qualidade de pesquisa do Ranking Universitário Folha (RUF) 2018, da Folha de S.Paulo. Entre as cem primeiras, apenas 26 instituições são privadas. A única dentro do top 20 é a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), na 19ª colocação.

Em 22º, está a PUC Rio. Após as duas, uma universidade particular só volta a aparecer na 44ª posição: PUCPR. Dentro das 50 primeiras, ainda estão a Universidade Católica de Brasília (UCB), em 46º, e a Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), em 49º.

As últimas semanas foram movimentadas para o campo das pesquisas científicas no Brasil. Em maio, as universidades receberam um ofício da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que informou a suspensão de novas bolsas para pesquisas.

Antes disso, no final do mês de abril, o MEC anuncio o bloqueio de 30% dos recursos das universidades públicas federais. Essas instituições são responsáveis por boa parte das principais pesquisas científicas que acontecem no país. Mais da metade das universidades no top 100 do RUF de Pesquisa são federais.


As estaduais também sofrem com o corte de novas bolsas pelo Capes. Elas lideram oito dos nove indicadores do ranking de pesquisa da Folha. A Universidade de São Paulo (USP), primeira do geral, encabeça cinco deles: total de publicações e citações, citações por docente, publicações em revistas nacionais e recursos captados.

Outros três indicadores são liderados pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 78ª no RUF, a Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) é a única particular a liderar algum dos itens avaliados. É a instituição brasileira com mais citações por artigo publicado.

PUCRS trabalha com estudos em diversas áreas

Líder entre as particulares, a PUCRS desenvolve pesquisas em múltiplas áreas. Recentemente, publicou um estudo inédito sobre a origem da composição de hidratos de gases na Foz do Rio Amazonas.

“Somos os pioneiros a abordar este assunto no meio científico internacional na área. Basicamente, a origem deste gás provém de microrganismos que decompõem a matéria orgânica”, explica Luiz Frederico Rodrigues, pesquisador do Instituto do Petróleo e dos Recursos Naturais da universidade.

Pesquisa da PUCRS apontou que 7 em cada 10 peixes vendidos como bacalhau, na verdade, não eram bacalhau

Durante o período da Páscoa de 2018, o Instituto Nacional de Ciências Forense da PUCRS realizou uma pesquisa junto à Polícia Federal que mostrou irregularidades na venda de bacalhau. O estudo apontou que sete em cada dez peixes comercializados em mercados da região de Porto Alegre eram vendidos como bacalhau, mas na verdade eram espécies mais baratas.

A universidade ainda tem equipes de pesquisa em áreas como a Saúde, Educação, Tecnologia da Informação e Sociedade e Desenvolvimento.

Pesquisas em instituições privadas também podem ser afetadas

As universidades particulares que se destacam no cenário nacional de pesquisas também sustentam seus trabalhos utilizando recursos públicos.


A primeira instituição privada do estado de São Paulo a aparecer no RUF de Pesquisa é a Universidade do Vale do Paraíba (Univap). 57ª no geral e sexta entre as particulares, ela tem participação importante no cenário das pesquisas no Brasil, com programas de pesquisa credenciados pela Capes desde 1998.

"Quando a universidade foi criada, em 1992, uma preocupação era como ia se dar o desenvolvimento da pesquisa", conta a doutora Sandra Costa. "A opção que nós tivemos foi maximizar os investimentos, minimizar custos e otimizar a utilização dos recursos. Então nós criamos, naquele momento, o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D)", completa a professora, que é pró-reitora de Pesquisa da Univap.

Por estatuto, o IP&D concentra as pesquisas e os cursos de pós-graduação stricto sensu da Univap. No momento, há cinco programas em funcionamento: Engenharia Biomédica, Planejamento Urbano e Regional, Física e Astronomia, Processamento de Materiais e Bioengenharia.

Para manter a estrutura atendendo a demanda de pesquisadores, professores e alunos, todos programas possuem um aporte da Capes, além de recursos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e do Conselho de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 

O movimento atual de cortes e suspensão de bolsas e verbas para pesquisas preocupa as instituições. "Os programas acadêmicos rodam muito bem porque temos o apoio da Capes", afirma Sandra, que define esse suporte como fundamental.

"O Brasil é um país que precisa da pesquisa, para ele poder realmente se reinventar e sair dessa condição de subdesenvolvimento. Sem isso, a gente não avança nem economicamente, nem socialmente", completa a doutora.

Cortes nas federais pode concentrar pesquisa nas regiões Sul e Sudeste

O top 100 do RUF de Pesquisa possui 34 universidades públicas fora da região Sul e Sudeste. Entre as particulares, depois da UCB (46ª colocada), outra instituição além do eixo Sul-Sudeste só volta a aparecer na 88ª posição: Universidade Tiradentes (Unit). Apenas mais uma aparece entre as cem primeiras do ranking. Em 98º lugar, está a Universidade de Fortaleza (Unifor).

Afetada com os cortes do Capes, a Universidade Federal do Ceará (UFC), primeira fora do eixo a aparecer no RUF, na 10ª posição, é outra que começa a apresentar dificuldades para a pesquisa.

"Essa descontinuidade afeta muito os projetos de pesquisa, a formação de mestres e doutores e, praticamente, faz com que a gente perca recursos públicos que já haviam sido investidos nos projetos", diz o pró-reitor adjunto de Pesquisa e Pós-Graduação da UFC, Jorge Herbert Soares de Lira.

Em um esforço que vem desde a década de 90, a UFC conseguiu atingir níveis de excelência internacional em pesquisa. A instituição iria participar de programas de "internacionalização" de pesquisa e começou a se organizar para receber parceiros internacionais e a enviar estudantes para fora do Brasil. Mas logo a falta de recursos começou a dificultar.

"Isso tudo fica comprometido e o dinheiro que já foi investido se perde na finalidade inicial", afirma o professor. "Em termos práticos, não tem como você sustentar um estado que é particularmente pobre em pesquisas de ponta com alunos que estão extremamente fragilizados no ponto de vista econômico", completa.

Em seu grupo de pesquisa, no campo da Matemática, o doutor possui projetos para reverter o quadro de educação básica do estado do Ceará. Mas, sem recursos suficientes, os trabalhos concentrado nisso também perdem o foco. Esse tipo de exemplo mostra como a falta de estímulo à educação de nível superior afeta diretamente a educação básica.

"A Matemática é um dos principais gargalos para o desenvolvimento tecnológico e econômico do país. Igualmente, se a gente tem interrupção de financiamento, todo o esforço que vinha sendo feito na direção de melhorar a educação básica acaba também se perdendo", conclui o doutor.

44b2bf06763ecf82840f8e534cedad96ce514051 3a0f35705cf17b6195d42728a19d56943c07144b

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE BOLSAS i-close
Gostaria de estudar na faculdade de sua preferência com bolsa de estudo?
ALERTA DE BOLSAS i-close
Sabia que dependendo do seu período é melhor começar de novo?Thinking face f5c039d3e92b0c131b3780cdbc1ee3d7966cc05cafc35064b70df0e0e049c24d

Caso você ainda esteja no primeiro ou segundo período da faculdade, você pode economizar começando o curso novamente com bolsa de estudo.

ALERTA DE BOLSAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você encontra as melhores bolsas de estudo em diversos turnos, até mesmo ensino a distância.

Preencha os campos abaixo para receber avisos de bolsas de estudo disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE BOLSAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE BOLSAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores bolsas de estudo chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber bolsas de estudo de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Gostaria de estudar na faculdade de sua preferência com bolsa de estudo?
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Basta entrar em contato conosco em até 6 meses após o pagamento, informando seus dados e o motivo da devolução.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2019 CNPJ: 10.542.212/0001-54