Educação Física na UNISA

  • Graduação
  • 8 semestres
  • 56 disciplinas
  • Bolsas a partir de R$ 95,90
4,2

Boa

(43)

Ofertas para começar a estudar, aproveita!

Como é o curso de Educação Física na UNISA?

Educação Física é a área que estuda e promove atividades físicas, visando o desenvolvimento corporal e mental. Ela é importante para a promoção da saúde, melhoria da qualidade de vida, e desenvolvimento de habilidades motoras, sociais e cognitivas.

Resumo do curso

  • Área de conhecimento: Humanas e Biológicas

  • Duração: em média, 4 anos

O que você vai aprender?

  • História Da Educação

  • Prática Textual Em Língua Portuguesa

  • Formação Docente Para A Diversidade

  • Escola E Sociedade

Ver toda a grade curricular

Como é a faculdade UNISA

Avaliação dos Alunos

4,2

Boa

43 avaliações

  • Empregabilidade
    3,9
  • Estrutura
    4,2
  • Professores
    4,4
  • localização
    4,4

Resumo da faculdade

  • mais de 32.000 alunos matriculados
  • mais de 690 docentes
  • 78 cursos de graduação e 234 de pós-graduação
  • 642 unidades

Dúvidas mais frequentes

Os diferenciais da UNISA são perceptíveis por meio de sua infraestrutura moderna, composta por laboratórios, biblioteca e salas de aula equipadas com tecnologia. Além disso, todos os seus cursos são reconhecidos e autorizados pelo Ministério da Educação (MEC), englobando, também, programas pós-graduação nas áreas de Ciências Humanas, Exatas, Biológicas e da Saúde.

De forma complementar, a UNISA conta com um corpo docente experiente, formado por professores com doutorado e mestrado em suas áreas de atuação, que contribuem para o desenvolvimento de aulas e pesquisas. A universidade também investe em desenvolvimento de tecnologias para o avanço do conhecimento e o desenvolvimento da sociedade.

Por fim, a UNISA está localizada em uma região estratégica da cidade de São Paulo, próximo a importantes vias de acesso e ao transporte público, facilitando o deslocamento dos estudantes.

A faculdade de Educação Física é composta por conteúdos da área de Ciências Biológicas, como fisiologia, anatomia e ortopedia, que fundamentam às práticas físicas no combate ao sedentarismo e estimulo do bem-estar.

Para o desenvolvimento do curso, o aluno pode optar pela licenciatura ou bacharelado. A licenciatura é voltada à formação de educadores, que atuam em escolas e ambientes pedagógicos. Já o bacharelado amplia as perspectivas profissionais, para a atuação em academias, hospitais, clínicas e outros ambientes.

A duração média da graduação em Educação Física é de quatro anos, com estágio obrigatório. O curso pode ser desenvolvido de forma presencial ou à distância.

O curso de Educação Física EaD apresenta as disciplinas de forma on-line, permitindo que o aluno desenvolva seus estudos quando e onde quiser, por meio da plataforma virtual da instituição. Além disso, o estudante conta com o apoio de ferramentas e recursos digitais, como videoaulas, chats interativos e materiais on-line. Já na modalidade presencial, o estudante tem acesso à infraestrutura da instituição de ensino, incluindo os laboratórios e quadras demandadas para a realização do curso.

Após formado, o profissional graduado em Educação Física pode ingressar em uma pós-graduação, seja de nível lato sensu (especialização e MBA) ou stricto sensu (mestrado e doutorado).

O mestrado em Educação Física forma pesquisadores e professores com habilidade para realizar ensaios e propagar os conhecimentos da área. O programa inclui disciplinas teóricas avançadas e a realização de uma pesquisa original, que culmina na defesa de uma dissertação. Já o doutorado, que geralmente dura cerca de quatro anos, aprofunda-se ainda mais no contexto dissertativo, formando pesquisadores capazes de produzir novos conceitos ligados às práticas físicas.

Entre as possibilidades de pós-graduação destinadas a profissionais formados em Educação Física, destacam-se:

  • Educação Física Escolar;
  • Treinamento Desportivo;
  • Fisiologia do Exercício;
  • Personal Training;
  • Gestão Esportiva;
  • Musculação e Condicionamento Físico.

Por fim, também é possível realizar o curso de Educação Física como segunda graduação. Esse nível de ensino é destinado a licenciados que desejam se aprofundar nos estudos das práticas físicas, para lecionar em escolas.

O curso de Educação Física é o oitavo curso de graduação com o maior número de matrículas no Brasil em 2022. 254.383 estudantes realizaram matrículas no curso, sendo a maioria na modalidade EaD (171.756). Vale destacar que Educação Física (licenciatura) é o nono curso em número de vagas ofertadas na modalidade EaD para instituições privadas de ensino (248.954).

Saiba as últimas notícias sobre Educação Física

Comissão aprova projeto de incentivo a atletas e paratletas

A Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 2596/23, que estabelece um programa nacional para incentivar a prática esportiva e o desenvolvimento de atletas e paratletas. As informações foram divulgadas pela Agência Câmara de Notícias.

De autoria do deputado Jonas Donizette (SP), o programa será coordenado pelo Ministério dos Esportes, incluindo parcerias, e terá dois eixos principais:

Promover a prática de esportes entre pessoas de todas as idades e camadas sociais, com ênfase em crianças e adolescentes. Além de identificar estudantes com potencial atlético para desenvolver suas habilidades e formar equipes esportivas.

Para participar desse segundo eixo, os alunos deverão frequentar a escola regularmente e manter notas que garantam sua aprovação.

O programa será implementado em polos regionais com a infraestrutura e os profissionais necessários para as atividades esportivas, oferecendo equipamentos, alojamento e alimentação adequados.

A proposta também prevê incentivos tributários para pessoas físicas e jurídicas que investirem no programa, além de bolsas de estudo em escolas particulares que aderirem ao projeto.

O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Comissão aprova projeto que proíbe agressor de mulher em academia de frequentar estabelecimento durante a pena

A Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que proíbe agressores de mulheres em academias de frequentar qualquer academia durante o cumprimento de penas restritivas de direito.

O texto aprovado é um substitutivo apresentado pelo relator, deputado Mauricio do Vôlei (Minas Gerais), ao Projeto de Lei 3801/23, do deputado Jeferson Rodrigues (Goiás). As informações foram divulgadas inicialmente pela Agência Câmara de Notícias. Mauricio do Vôlei questionou as exigências impostas às academias no projeto original.

O texto de Jeferson Rodrigues propunha que as academias solicitassem comprovante de antecedentes criminais no momento da matrícula e previa penalidades para os responsáveis pelas academias em caso de descumprimento. “O poder público não pode responsabilizar esses estabelecimentos por uma fiscalização que foge à sua natureza. É atribuição do poder público criar tais mecanismos”, afirmou Mauricio do Vôlei.

Segundo o relator, o texto original punia as academias por situações de violência que estão fora de seu controle. "As academias são responsáveis pelas questões de saúde esportiva em seus espaços, não pela investigação criminal de possíveis frequentadores”, disse Mauricio.

Por outro lado, o texto aprovado prevê que a academia rescinda o contrato de qualquer aluno envolvido em casos de violência contra a mulher ocorridos dentro do estabelecimento.

A rescisão será feita sem ônus para a academia e visa garantir um ambiente seguro para todas as pessoas que frequentam o espaço.

Audiência pública vai debater livre acesso de personal trainers em academias

A Comissão de Esporte (CEsp) vai promover uma audiência pública sobre o projeto que garante aos personal trainers livre acesso a academias de ginástica. O pedido para a realização do debate foi feito pelo relator da matéria e presidente do colegiado, senador Romário (Rio de Janeiro). A data da audiência ainda não foi divulgada.

As informações foram divulgadas inicialmente pela Agência Senado.

Segundo Romário, é necessário aprimorar a discussão após surgirem dúvidas quando o parecer foi lido em uma reunião da Cesp. O PL 4.717/2020, de autoria do senador Jorge Kajuru (Goiás), assegura ao profissional de educação física que presta serviços personalizados (personal trainer) livre acesso, sem custos, a unidades de promoção de saúde física, academias e similares nos horários de atendimento aos seus alunos regularmente matriculados nessas unidades. Na sessão em que o relatório foi discutido, no dia 21 de maio, o senador Plínio Valério (Amazonas) apresentou um pedido de vistas.

A matéria tramita em caráter terminativo na Cesp. Caso seja aprovada, seguirá para apreciação da Câmara dos Deputados, desde que não haja requerimento para votação no Plenário do Senado.

Comissão da Câmara aprova obrigatoriedade de clube inscrever programa de formação de atleta no conselho da criança:

A Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei que exige que os clubes registrem seus programas de formação de atletas no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. As informações foram divulgadas primeiramente pela Agência Câmara de Notícias.

Esse conselho é um órgão colegiado que supervisiona as políticas públicas voltadas para crianças e adolescentes no município. O objetivo do projeto é incluir esses conselhos na fiscalização dos clubes que formam futuros atletas.

O Projeto de Lei 1476/22, de autoria do ex-deputado Milton Coelho (Pernambuco), foi aprovado por recomendação do relator da comissão, deputado Bandeira de Mello (Rio de Janeiro). “A iniciativa é meritória. Trata-se de articular, em relação às relevantes práticas formadoras de atletas, a atuação do espaço institucional destinado à proteção dos direitos da adolescência”, afirmou o relator.

O texto será agora examinado, em caráter conclusivo, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Anteriormente, a proposta também havia sido aprovada pela Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família.

Comissão de Educação debate importância de esportes adaptados nas escolas:

No dia 7 de maio, a Comissão de Educação da Câmara dos Deputados realizará uma audiência pública para discutir a relevância dos esportes adaptados como uma ferramenta essencial na redução da evasão escolar entre crianças com deficiência e do espectro autista. Essas informações foram divulgadas pela Agência Câmara de Notícias.

A proposta para a realização desse debate foi apresentada pelo deputado Otoni de Paula, do Rio de Janeiro, que enxerga a evasão escolar como um dos principais desafios enfrentados pela educação brasileira, especialmente no contexto das pessoas com deficiência e autistas.

Segundo ele, "a integração do esporte com as atividades escolares pode fortalecer a autoestima e a sociabilidade, possibilitando uma maior interação do aluno com seus colegas e incentivando o interesse pela continuidade dos estudos".

A audiência está programada para ocorrer às 10 horas, no plenário 10.

Educação Física é a área que estuda e promove atividades físicas, visando o desenvolvimento corporal e mental. Ela é importante para a promoção da saúde, melhoria da qualidade de vida, e desenvolvimento de habilidades motoras, sociais e cognitivas.

O curso de Educação Física prepara profissionais para atuar no ensino, treinamento esportivo, saúde e lazer, promovendo o bem-estar físico dos indivíduos. A formação pode ser dividida em duas modalidades principais: licenciatura, para aqueles que desejam atuar na educação, e bacharelado, voltado para atuação em áreas como treinamento esportivo, recreação e saúde.

As disciplinas do curso incluem Anatomia Humana, que aborda a estrutura do corpo; Fisiologia, que estuda o funcionamento do organismo; Biomecânica, focada na mecânica do movimento humano; e Psicologia do Esporte, que explora os aspectos psicológicos relacionados à atividade física. Além disso, os conteúdos de Nutrição Esportiva, Gestão e Organização de Eventos Esportivos, e Metodologia do Treinamento Desportivo complementam o curso.

Na licenciatura, há um enfoque em disciplinas pedagógicas, preparando o aluno para lecionar Educação Física em escolas. Isso inclui Didática, Metodologia do Ensino da Educação Física e Prática de Ensino. Já no bacharelado, o foco é mais amplo, abrangendo gestão esportiva, treinamento personalizado, atividades em academias, clubes e clínicas.

A metodologia do curso valoriza a combinação entre teoria e prática. Os alunos participam de aulas em quadras, piscinas e academias, e realizam estágios supervisionados em diferentes contextos, como escolas, clubes esportivos e centros de reabilitação.

Além disso, muitos cursos oferecem disciplinas optativas, que permitem ao aluno se especializar em áreas específicas de interesse, como esportes para indivíduos com necessidades especiais, atividade física para idosos, entre outras.

Os estudantes graduados em Educação Física são capazes de compreender o processo de treinamento em relação à saúde e ao bem-estar, além de desenvolver programas de atividade física que possam melhorar a condição física dos seus clientes.

Para atuar na área, os profissionais devem contar com registro no Conselho Regional de Educação Física (CREF). A entidade é responsável por supervisionar a atuação dos formados em cada região e contribuir para a regulamentação do campo.

Veja também: Todos os detalhes sobre o curso de Gestão Desportiva no site da Quero Bolsa.

Quanto tempo dura a faculdade de Educação Física?

A faculdade de Educação Física tem duração média de três anos para a licenciaturas, com carga horária de 2.800 horas, e quatro anos para o bacharelado, com cerca de 3.200 horas de extensão.

Qual é a diferença entre bacharelado e licenciatura em Educação Física?

A licenciatura em Educação Física prepara o profissional para atuar no ensino público e privado, lecionando aulas e promovendo atividades físicas em escolas. O bacharelado, por outro lado, habilita o profissional a trabalhar em áreas recreativas fora do ambiente escolar, como academias, hotéis e clubes.

Vale ressaltar que um bacharel em Educação Física pode dar aulas, mas com algumas restrições. Ele está qualificado para ensinar, mas apenas em contextos fora do sistema educacional formal. Ele pode lecionar atividades em academias e clubes esportivos. Para dar aulas no ensino básico e médio, é necessário ter a licenciatura, que o habilita especificamente para a prática pedagógica em escolas.

Qual é a importância da Educação Física?

A Educação Física contribui significativamente para a prevenção de doenças crônicas, auxilia no controle do peso e do diabetes, previne a perda óssea, reduz a pressão arterial, diminui o risco de doenças cardiovasculares, ajuda no controle do colesterol e melhora o condicionamento físico geral.

Em contextos escolares, a Educação Física é determinante para estimular o desenvolvimento físico, social e emocional dos alunos, além de promover hábitos saudáveis e colaborar no combate ao sedentarismo.

Com o Quero Bolsa, entrar na faculdade é muito mais fácilCadastre-se e receba alertas por e-mail e WhatsApp assim que chegarem novas vagas do seu interesse.
Busque sua vaga
Compare preços e escolha a vaga que cabe no seu bolso
Garanta sua vaga
Pague a taxa de serviço, chamada de pré-matrícula
Estude pagando menos
Aí é só fazer o processo seletivo e a matrícula na faculdade

As melhores vagas da UNISA perto de você

Medicina Veterinária
A partir de
R$ 819,10/mês
Odontologia
A partir de
R$ 799,02/mês
Educação Física
A partir de
R$ 135,13/mês
Análise e Desenvolvimento de Sistemas
A partir de
R$ 135,12/mês
Direito
A partir de
R$ 253,24/mês