Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biologia

Comensalismo

William Mira
Publicado por William Mira
Última atualização: 18/9/2018

Introdução

O comensalismo é um tipo de relação ecológica caracterizada pela associação entre dois indivíduos onde um é beneficiado e o outro se mantém indiferente a essa associação, não sofrendo benefícios nem prejuízos.

Esse tipo de interação, embora comum na ecologia e importante em muitas populações e comunidades, não é frequentemente considerado em estudos experimentais e teóricos, devido justamente a essa ausência de dinâmica mútua entre os dois participantes.

O comensalismo está presente na maioria dos ecossistemas terrestres e aquáticos. Serve como uma forma de facilitação da sobrevivência de algum organismo ou espécie sem prejudicar a existência de outra.

Dinâmica da Interação

O comensalismo é um tipo de relação interespecífica, isto é, estabelecida entre indivíduos de espécies diferentes.

Devido ao benefício apresentado a uma das partes, é considerada uma relação harmônica. É representado pelo símbolo +/0, mostrando que uma espécie é beneficiada (+) enquanto a outra não sofre benefícios nem prejuízos (0).

Os indivíduos participantes desse tipo de relação não são considerados dependentes um do outro, de modo que, muitas vezes, essa relação é agrupada em um conjunto de relações consideradas "facilitadoras", pois auxilia na sobrevivência de um organismo ou espécie, embora não seja fundamental.

Gráfico da dinâmica do comensalismo. No gráfico 1 as espécies A e B interagem no mesmo habitat e no gráfico 2 as espécies estão separadas.Gráfico da dinâmica do comensalismo.

Os gráficos acima mostram a dinâmica populacional entre duas espécies (A e B) quando compartilham o mesmo habitat (gráfico 1) e quanto separadas (gráfico 2).

Em ambos os gráficos, é possível notar que o número de indivíduos da espécie A se mantém constante, com ou sem a presença da espécie B. Isso demonstra que esses indivíduos não são afetados pela presença da outra espécie, mantendo-se indiferentes.

No entanto, a espécie B apresenta um crescimento muito maior quando compartilha o mesmo habitat que a espécie A.

Dessa forma, através da esquematização gráfica das relações ecológicas, é possível verificar que a alteração positiva no número de indivíduos de uma espécie, quando associada a outra espécie que se mantém constante ao longo do tempo, caracteriza a relação de comensalismo.

O indivíduo participante que é beneficiado na relação é chamado de comensal, enquanto o organismo que permanece indiferente pode ser chamado de anfitrião ou, em alguns casos, hospedeiro.

Comensalismo e Inquilinismo

O inquilinismo é outro tipo de relação ecológica harmônica interespecífica de caráter benéfico-indiferente (+/0). Nesse tipo de relação, um organismo serve de abrigo para outro, não sendo prejudicado nem beneficiado.

O comensalismo, por apresentar o mesmo caráter benéfico-indiferente (+/0), é caracterizado como uma relação que envolve a obtenção de alimentos por uma das espécies envolvidas.

Mas, alguns pesquisadores classificam a relação harmônica envolvendo proteção e abrigo como um tipo de comensalismo, sendo o inquilinismo um subgrupo dentro da relação de comensalismo.

Ainda assim, o comensalismo é entendido como uma relação harmônica interespecífica de caráter benéfico-indiferente que visa a obtenção de alimentos - ou restos alimentares -, coletados de um indivíduo (0) por outro (+). Já o inquilinismo é uma relação harmônica interespecífica de caráter benéfico-indiferente que envolve o abrigo e proteção de um indivíduo (+) dentro ou próximo de outro (0).

Exemplos

Rêmora e Tubarão

É a relação comensal mais conhecida atualmente. A rêmora é um peixe carnívoro de médio porte que possui, na sua parte superior, ventosas chamadas de apreensórios. Essas ventosas permitem que a rêmora se fixe na região inferior do corpo de tubarões, próxima a boca. Dessa forma, além de ser transportada pelo tubarão, a rêmora consegue se alimentar dos restos de alimentos que caem de sua boca. Nessa relação, o tubarão não é beneficiado nem prejudicado.

Rêmora e tubarão.Rêmora e tubarão.

Leões e Hienas

Esse tipo de integração mostra como as relações ecológicas não são fixas dentro de um ecossistema.

Leões e hienas compartilham o mesmo habitat e o mesmo nicho ecológico. Ambos são caçadores, vivem em bando e se alimentam de animais de médio e grande porte.

A relação de comensalismo é estabelecida pois as hienas possuem hábitos necrófagos, ou seja, alimentam-se de restos mortais deixados por outros animais, no caso, o leão. Dessa forma, O leão caça sua presa e se alimenta, e o que restar é consumido pelas hienas.

É importante ressaltar que dependendo das condições impostas pelo ambiente, leões e hienas podem estabelecer relação de competição interespecífica. Por possuírem nichos ecológicos similares, esses animais podem competir pelo alimento, ao invés de estabelecer uma relação comensal.

Isso dependerá da quantidade de alimentos presentes no ecossistema e do número de leões e hienas existentes.

Leão e hiena.Leão e hiena.

Carnívoros e Abutres

Abutres são aves necrófagas que se alimentam da carcaça de outros organismos. Animais carnívoros podem, após a caça e a alimentação, deixar restos alimentares que serão consumidos pelos abutres.

Esse tipo de relação beneficia o abutre, enquanto o animal carnívoro se mantém indiferente.

Abutre se alimentando dos restos de um ruminante.Abutre se alimentando dos restos de um ruminante.

Humanos e Urubus

Assim como os abutres, os urubus podem se alimentar de restos de alimentos deixados por outros organismos. Os seres humanos concentram seus lixos em ambientes conhecidos como lixões, que atraem urubus.

Urubu.Urubu.

Humanos e Entamoeba coli

A Entamoeba coli é um protozoário amebóide que reside no interior do intestino dos seres humanos. Em condições normais, não causa nenhum tipo de prejuízo ao hospedeiro.

Essa ameba se alimenta de restos de alimentos ingeridos pelo homem. Em alguns casos, a forte concentração desses protozoários, ou a mutação quando em contato com outros organismos, pode causar amebíase. Dessa forma, a relação deixa de ser comensal e passa a ser parasitária (endoparasita).

Entamoeba coli.Entamoeba coli.

Anêmonas-do-mar e Peixe-palhaço

Outro tipo de relação que causa confusão. Isso de deve porque, geralmente, o peixe-palhaço utiliza as anêmonas-do-mar como abrigo, estabelecendo relação de inquilinismo.

Como alguns estudiosos configuram o inquilinismo como um subgrupo dentro das relações de comensalismo, em alguns livros esse tipo de relação é considerada comensal.

Peixes Palhaços em uma Anêmona.Peixes Palhaços em uma Anêmona.


Exercícios

Exercício 1
(UNICENTRO)

As rêmoras alimentam-se de fragmentos de comida deixados pelo seu tubarão hospedeiro, bem como de invertebrados pelágicos e pequenos peixes. Esses peixes, então, ficam com as “migalhas” que sobram quando o tubarão captura sua presa (1º caso). Porém, agora, sabe-se que algumas rêmoras também se alimentam de ectoparasitas de tubarões. O tubarão hospedeiro, portanto, pode beneficiar-se da situação quando os ectoparasitas que vivem presos à sua pele são removidos pela rêmora (2º caso).

Esse texto descreve duas interações ecológicas entre seres de diferentes espécies. Assinale a alternativa que apresenta, correta e respectivamente, as interações que ocorrem no 1º e 2º casos.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

BIOLOGIA
Ecossistema
Ecossistema
BIOLOGIA
Mutualismo
Mutualismo
BIOLOGIA
Nicho Ecológico
Nicho Ecológico