Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biologia

Sistema Nervoso Periférico

Aline Miranda
Publicado por Aline Miranda
Última atualização: 20/8/2018

Introdução

O Sistema Nervoso Periférico (SNP) é constituído pelos nervosgânglios e fibras nervosas.

Nervos

Os nervos são formados por dendritos e axônios (prolongamentos dos neurônios), que levam mensagens para o Sistema Nervoso Central

Devido ao seu conteúdo rico em mielina e colágeno, os nervos geralmente são esbranquiçados. 

A principal função dos nervos é estabelecer uma comunicação entre as estruturas do organismo, mais especificamente os chamados órgãos efetores e os receptores e o Sistema Nervoso Central. 

Os nervos podem ser de dois tipos, sendo chamados motores aqueles que levam a mensagem do Sistema Nervoso Central para os órgãos efetores e sensoriais aqueles que captam os estímulos dos órgãos receptores e os enviam ao Sistema Nervoso Central.

Gânglios

Os gânglios são pequenas dilatações contendo corpos celulares de neurônios, presentes em certos nervos e localizados fora do Sistema Nervoso Central. 

Em sua maior parte, os gânglios são órgãos esféricos, protegidos por tecido conjuntivo e associados a nervos. 

Alguns gânglios podem ser formados por um pequeno grupo de células nervosas situadas no interior de determinados órgãos, como na parede do trato digestivo. 

Assim como os nervos, conforme a direção do impulso nervoso, ou seja, da informação, os gânglios podem ser sensoriais, levando impulsos para o Sistema Nervoso Central ou eferentes, levando impulsos dos centros nervosos para os órgãos comandados por esses centros. 

Fibras nervosas

As fibras nervosas são constituídas por um axônio e suas bainhas (camadas) envoltórias. Grupos dessas fibras nervosas formam os feixes do Sistema Nervoso Central e os nervos do Sistema Nervoso Periférico. 

Todos os axônios do tecido nervoso adulto são envolvidos por uma camada de dobras únicas ou múltiplas formadas por uma célula envoltória

Nas fibras do Sistema Nervoso Central, as células envoltórias são chamadas oligodendrócitos. No Sistema Nervoso Periférico, as células envoltórias são as células de Schwann

Sistema Nervoso Periférico voluntário e autônomo (involuntário)

O Sistema Nervoso Periférico consegue abranger todas as partes do corpo humano. Além disso, o Sistema Nervoso Periférico é responsável pelo controle de ações voluntárias e involuntárias, fato que proporciona a sua divisão em:

Sistema Nervoso Periférico Voluntário

Esse sistema, também chamado de Sistema Nervoso Periférico Somático, atua a partir do conjunto de nervos que chega aos músculos estriados esqueléticos do corpo, ou seja, aqueles que são responsáveis por realizar movimentos que estão sob o controle voluntário do indivíduo, como o movimento de pernas, braços, dedos, tronco e face. 

Ao chutar uma bola, por exemplo, inicia-se uma ação que envolve áreas do encéfalo, além dos nervos e da medula espinhal, até que os nervos motores estimulem a musculatura da perna e promovam os movimentos. 

Sistema Nervoso Periférico Autônomo

A rede de nervos desse sistema regula os órgãos internos, cujo funcionamento é involuntário

Relaciona-se com o controle da musculatura lisa, de órgãos como os intestinos, o coração, os rins, além da secreção de algumas glândulas. 

Tem como função ajustar certas atividades do organismo, a fim de manter a constância do meio interno (homeostase).

Ao encostar-se acidentalmente a mão em uma superfície superaquecida, nervos sensoriais localizados na pele (tato) são estimulados e conduzem o estímulo até o Sistema Nervoso Central. 

Nervos motores enviam a resposta ao atingirem os músculos do braço e da mão, fazendo com que esta seja afastada rapidamente da superfície aquecida. Este movimento é, a princípio involuntário e inconsciente, pois não envolve imediatamente áreas do cérebro, sendo chamado de ato reflexo

Existem também ações de elaboração complexa que não são conscientes, como o controle nervoso do ritmo cardíaco. Existem terminações de nervos sensoriais (receptores) na parede de vasos sanguíneos, receptores que detectam alterações no volume sanguíneo, entre outros. 

Quando ocorre algum desequilíbrio, esses receptores enviam estímulo ao Sistema Nervoso Central, que determina o aumento ou a diminuição do ritmo cardíaco, dependendo da alteração percebida nos vasos sanguíneos. 

O Sistema Nervoso Periférico Autônomo pode ser dividido em Simpático, que de maneira geral atua como um sistema de alerta e Parassimpático, que normaliza essa condição.

Os sistemas Simpático e Parassimpático coordenam ações antagônicas no controle das funções do organismo.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

BIOLOGIA
Baço
Baço
BIOLOGIA
Boca
Boca
BIOLOGIA
Cerebelo
Cerebelo
BIOLOGIA
Corpo Humano
Corpo Humano
BIOLOGIA
Encéfalo
Encéfalo
BIOLOGIA
Esôfago
Esôfago
BIOLOGIA
Estômago
Estômago
BIOLOGIA
Faringe
Faringe
BIOLOGIA
Fígado
Fígado
BIOLOGIA
Hemoglobina
Hemoglobina
BIOLOGIA
Hipófise
Hipófise
BIOLOGIA
Intestino Delgado
Intestino Delgado
BIOLOGIA
Intestino Grosso
Intestino Grosso
BIOLOGIA
Laringe
Laringe
BIOLOGIA
Leucócitos
Leucócitos
BIOLOGIA
Nariz
Nariz
BIOLOGIA
Neurônio
Neurônio
BIOLOGIA
Órgãos do Corpo
Órgãos do Corpo
BIOLOGIA
Ovários
Ovários
BIOLOGIA
Pâncreas
Pâncreas
BIOLOGIA
Pênis
Pênis
BIOLOGIA
Sistema Digestivo
Sistema Digestivo
BIOLOGIA
Sistema Endócrino
Sistema Endócrino
BIOLOGIA
Sistema Excretor
Sistema Excretor
BIOLOGIA
Sistema Imunológico
Sistema Imunológico
BIOLOGIA
Sistema Nervoso
Sistema Nervoso
BIOLOGIA
Sistema Nervoso Central
Sistema Nervoso Central
BIOLOGIA
Sistema Nervoso Simpático
Sistema Nervoso Simpático
BIOLOGIA
Sistema Reprodutor
Sistema Reprodutor
BIOLOGIA
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
BIOLOGIA
Sistema Reprodutor Masculino
Sistema Reprodutor Masculino
BIOLOGIA
Sistema Respiratório
Sistema Respiratório