Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
História Geral

Pearl Harbor

Otávio Spinace
Publicado por Otávio Spinace
Última atualização: 13/8/2018

Introdução

Ao longo da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), muitos foram os pontos de inflexão e mudança durante o conflito.

O ataque a Pearl Harbor, base naval dos Estados Unidos localizada no Havaí, realizado pela força aérea japonesa, foi um deles.

Grande responsável pela entrada dos Estados Unidos na guerra, também ficou marcado no imaginário dos americanos como uma das maiores agressões externas que o país havia sofrido até então, e mudou radicalmente a opinião pública sobre a participação no conflito.

Contexto histórico

Após o início da Segunda Guerra Mundial, em 1939, os Estados Unidos permaneceram relativamente isolados, apesar dos esforços da Inglaterra para que o país entrasse na guerra contra os alemães.

Embora pudessem obter ganhos econômicos e políticos com o conflito, os americanos ainda viviam uma situação delicada após a crise de 1929.

Depois da quebra da bolsa de Nova York, o país iniciou os anos 1930 no período que ficou conhecido como “Grande depressão”, devido às dificuldades econômicas e sociais vividas.

Com a promessa de enfrentar a crise, Franklin Delano Roosevelt foi eleito em 1933, e iniciou o New Deal.

O programa previa grandes estímulos do Estado para recuperar a atividade econômica e reduzir o desemprego. Embora tivesse alcançado bons resultados, o New Deal ainda não havia promovido a recuperação esperada quando se iniciou a guerra na Europa em 1939.

Do outro lado da disputa, o Império Japonês, desde a Restauração Meiji (1868-1869), adotou uma política imperialista na disputa por territórios e recursos naturais.

Em virtude disso, entre o final do século XIX e o início do século XX, o Japão entrou em conflitos com Rússia, China, Coréia e países europeus que possuíam colônias no Pacífico.

Esse expansionismo japonês também acirrou disputas com os Estados Unidos, que detinham diversos interesses na região do Pacífico. É nesse cenário que surgem os primeiros sinais de que o conflito poderia se agravar.

O ataque japonês

Sem conseguir resolver os impasses comerciais e diplomáticos com os Estados Unidos, o governo do Japão preparou um ataque contra a base de Pearl Harbor, localizada no Havaí, que naquele momento ainda não era oficialmente um estado americano.

Em 7 de dezembro de 1939, a marinha americana detectou a presença de um minissubmarino japonês próximo à base naval, mas não esperava um ataque de grande porte.

Contudo, algumas horas depois, ainda na manhã do mesmo dia, mais de 400 aviões japoneses iniciaram o bombardeio contra posições americanas em Pearl Harbor.

O resultado foi que os militares que estavam presentes na base não estavam preparados para o ataque, que aconteceu praticamente de surpresa.

As perdas do lado americano foram muitas, mas o impacto causado junto à opinião pública foi incalculável.

Estima-se que mais de dois mil americanos tenham perdido a vida durante o ataque, e mais de mil tenham ficado feridos.

Em aspectos materiais, diversos navios de guerra afundaram ou foram danificados, aviões foram destruídos, entre outras perdas. Do lado japonês, embora alguns aviões tenham sido abatidos, as perdas, tanto humanas quanto materiais, foram bem menores.

O ataque gerou uma grande comoção entre a população americana e foi o estopim para que os Estados Unidos declarassem guerra ao Japão, que à época já possuía um acordo militar com Alemanha e a Itália, no dia seguinte.

A Guerra do Pacífico

O ataque a Pearl Harbor deu início oficialmente à Guerra do Pacífico, uma das frentes de batalha mais importantes da Segunda Guerra Mundial.

Ainda que contando com aliados, os principais adversários nesse conflito eram Estados Unidos e Japão.

Sucessivas investidas foram feitas de ambos os lados, mas após a vitória americana na batalha de Midway, em junho de 1942, a superioridade militar dos Estados Unidos ficou evidente.

Apesar de virtualmente derrotado, o Japão permaneceu em guerra após a rendição da Alemanha nazista, em maio de 1945, fazendo uso, inclusive, de pilotos kamikazes, que preferiam desferir ataques suicidas a se render.

Alguns meses depois, em agosto de 1945, a Segunda Guerra Mundial (e consequentemente a Guerra do Pacífico) terminaria após o lançamento das bombas atômicas pelos Estados Unidos nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, levando à rendição do Japão em 15 de agosto de 1945.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

HISTÓRIA GERAL
Adolf Hitler
Adolf Hitler
HISTÓRIA GERAL
Congresso de Viena
Congresso de Viena
HISTÓRIA GERAL
Crise de 1929
Crise de 1929
HISTÓRIA GERAL
Cruzadas
Cruzadas
HISTÓRIA GERAL
Descolonização da África e da Ásia
Descolonização da África e da Ásia
HISTÓRIA GERAL
Fascismo
Fascismo
HISTÓRIA GERAL
Guerra Fria
Guerra Fria
HISTÓRIA GERAL
Hiroshima e Nagasaki
Hiroshima e Nagasaki
HISTÓRIA GERAL
Muro de Berlim
Muro de Berlim
HISTÓRIA GERAL
Napoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte
HISTÓRIA GERAL
Nova Ordem Mundial
Nova Ordem Mundial
HISTÓRIA GERAL
Plano Marshall
Plano Marshall
HISTÓRIA GERAL
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
HISTÓRIA DO BRASIL
Primeira República - República Velha
Primeira República - República Velha
HISTÓRIA GERAL
Revolução Russa
Revolução Russa
HISTÓRIA GERAL
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
HISTÓRIA GERAL
Totalitarismo
Totalitarismo
HISTÓRIA GERAL
URSS - União Soviética
URSS - União Soviética