Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Português

Verbos Transitivos

Bianca Ferraz
Publicado por Bianca Ferraz
Última atualização: 5/5/2019

Introdução

Os verbos formam uma das dez classes gramaticais existentes na Língua Portuguesa. Essas palavras podem ser classificadas de diferentes maneiras: os verbos podem ser, por exemplo, auxiliares ou principais, podem indicar estado ou ação, podem ser regulares ou irregulares, entre outras possibilidades de organização.

Outro critério de classificação que pode ser aplicado aos verbos é em relação a sua transitividade.

A transitividade verbal diz respeito à necessidade (ou não) que um verbo tem de ser complementado com outros elementos linguísticos, que podem, embora não obrigatoriamente, se ligar a ele por meio de preposição. 

Quando se fala de transitividade verbal, portanto, fala-se, também, da compreensão sobre o sentido da ação expressa por um verbo.

Se essa ação pode ser entendida completamente apenas por meio do verbo, sem necessidade de algum complemento, ele é classificado como um verbo intransitivo.

Se, por outro lado, a ação precisa de informações que a componham para ser compreendida de forma adequada, já que não apresenta um sentido completo apenas pelo verbo, o verbo é classificado como um verbo transitivo, que se caracteriza pela necessidade de um complemento verbal.

Mesmo entre os verbos transitivos, é possível fazer uma classificação: eles se dividem entre verbos transitivos diretos e verbos transitivos indiretos.

Classificação dos verbos transitivos

Os verbos transitivos podem ser classificados de acordo com o tipo de complemento verbal de que eles necessitam. Esse tipo de verbo pode ser classificado como transitivo direto ou como transitivo indireto. Há a possibilidade, ainda, de um verbo ser bitransitivo, ou seja, ser, de forma simultânea, transitivo direto e indireto.

  • Verbos transitivos diretos: são os verbos que precisam de um complemento verbal que se liga diretamente ao verbo, sem a necessidade de uma preposição. Esse tipo de complemento é chamado de objeto direto, comumente representado por OD.
  • Verbos transitivos indiretos: são aqueles que precisam de uma preposição para ligá-los a seus complementos, chamados de objeto indireto (OI).
  • Verbos bitransitivos: são os verbos transitivos diretos e indiretos. Possuem dois complementos, um objeto direto (OD) e um objeto indireto (OI).

Veja as frases a seguir:

“O carteiro entregou a encomenda.”

Nessa frase, temos um verbo. A forma verbal “entregou” tem como complemento “a encomenda”, e a ligação entre esses elementos é feito de forma direta, isto é, sem a necessidade de preposição. Por isso, em relação à transitividade verbal, trata-se de um verbo transitivo direto e, consequentemente, “a encomenda” é objeto direto (OD).

“Gosto de chocolate.”

Nesse exemplo, a forma verbal “gosto” tem como complemento “chocolate”. No entanto, para que essas duas ideias sejam ligadas adequadamente, é necessário usar uma preposição (nesse caso, “de”). Assim, tem-se um verbo transitivo indireto, que é complementado por um objeto indireto (OI).

“Fui à escola, busquei minha irmã e, em seguida, entreguei os livros à Maria.”

Na frase acima, tem-se três verbos destacados. Veja como eles se classificam em relação a sua transitividade. A primeira forma verbal, “fui”, é complementada por “à escola”, ou seja, por um termo introduzido por preposição, também chamado de objeto indireto. Isso acontece porque a transitividade do verbo “ir” exige que uma preposição (“a”, no caso) ligue o verbo ao seu complemento.

A segunda forma verbal, “busquei”, por outro lado, está diretamente conectada com seu complemento, “minha irmã”, ou seja, não há a necessidade de uma preposição que ligue as duas ideias. Por isso, trata-se de um verbo transitivo direto e de um objeto direto.

Por fim, a última forma verbal, “entreguei”, apresenta dois complementos distintos: “os livros” e “à Maria”. Nesse caso, o complemento “os livros” liga-se ao verbo sem que ocorra preposição e, por isso, é chamado de objeto direto. O complemento “à Maria”, por sua vez, é introduzido pela preposição “a”, portanto, sua classificação é de objeto indireto. Se o mesmo verbo apresenta tanto objeto direto quanto objeto indireto, ele deve ser classificado como bitransitivo ou, ainda, transitivo direto e indireto.

Referências

BECHARA, Evanildo. Gramática Fácil da Língua Portuguesa – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2014.

TERRA, Ernani. Minigramática.São Paulo: Scipione, 2007.


Exercícios

Exercício 1
(FAAP)

Leia o texto abaixo:

Olhos de Ressaca

Enfim, chegou a hora da encomendação e da partida. Sancha quis despedir-se do marido, e o desespero daquele lance consternou a todos. Muitos homens choravam também, as mulheres todas. Só Capitu, amparando a viúva, parecia vencer-se a si mesma. Consolava a outra, queria arrancá-la dali. A confusão era geral. No meio dela, Capitu olhou alguns instantes para o cadáver tão fixa, tão apaixonadamente fixa, que não admira lhe saltassem algumas lágrimas poucas e caladas... As minhas cessaram logo. Fiquei a ver as dela; Capitu enxugou-as depressa, olhando a furto para a gente que estava na sala. Redobrou de carícias para a amiga, e quis levá-la; mas o cadáver parece que a retinha também. Momentos houve que os olhos de Capitu fitaram o defunto, quais os da viúva, sem o pranto nem palavras desta, mas grandes e abertos, como a vaga do mar lá fora, como se quisesse tragar também o nadador da manhã. (Machado de Assis)

Só um destes verbos é transitivo direto, ao lado do qual aparece o objeto direto:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...