Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Vestibular e Enem

Saiba tudo sobre a redação da Unicamp

por Isabela Giordan em 04/12/19 160 visualizações

Você já ouviu falar da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)? Considerada uma das melhores universidades da América Latina pela Times Higher Education (THE), essa instituição, localizada no interior paulista, é uma das mais concorridas do Brasil. 

Anualmente, milhares de estudantes de todo o País tentam ser aprovados pelo seu rigoroso processo seletivo. Em 2019, 72.859 candidatos estão concorrendo às 2.570 vagas oferecidas pelo vestibular 2020. 

Veja também: Como é o vestibular da Unicamp?

Composto por duas fases, sendo a primeira com questões objetivas e a segunda com discursivas, essa prova passou por uma grande mudança de composição em 2019: a partir deste ano, o candidato terá que fazer apenas uma redação! 


Anteriormente, a Unicamp cobrava dos candidatos duas redações, com temas e gêneros textuais diferentes. "Essa é a mudança mais profunda no vestibular. Até o ano passado, o candidato tinha que escrever dois textos e agora ele escolhe apenas o que ele se sentir mais a vontade, seja pelo gênero ou pelo tema", aponta Sérgio Paganim, coordenador de Linguagens do Anglo Vestibulares.

Enquanto a segunda fase da Unicamp não chega, a Revista Quero consultou dois especialistas no assunto, Sérgio Paganim e Diogo D'Ippolito, professor de redação e língua portuguesa do Colégio pH, para descobrir tudo o que você precisa saber sobre a redação da Unicamp. Confira:

Qual é a estrutura da redação?

"A redação da Unicamp tem uma estrutura que é, de certa forma, desconstruída. Ela não tem uma disposição pré-formatada, como é a maioria das provas de redação dos vestibulares que temos atualmente", explica Diogo. 

Ou seja, além do tema diferente a cada ano, o gênero textual cobrado também é alterado anualmente.

Alguns dos tipos de redação cobrados em anos anteriores foram: resenha, texto científico, relatório e comentário de internet. Para o professor do Colégio pH, esses gêneros tornam a redação mais real, ou seja, o candidato consegue relacionar a assuntos do seu dia a dia. 

"É um texto em que o aluno vai ter que pensar como se estivesse naquela situação, tendo atenção à pertinência da linguagem, não ficar preso a um modelo pré-definido, compreender que, dependendo do gênero, será necessário usar uma linguagem mais informal mesmo", frisa Diogo.

Por que a Unicamp cobra gêneros textuais diferentes?

Desde a edição de 2011, o vestibular da Unicamp cobrava a produção de duas redações, sendo cada uma de um gênero diferente. Esse estilo de prova permaneceu até este ano, quando o formato do vestibular mudou, e os candidatos receberão duas propostas de redação, mas serão obrigados a produzir apenas uma

Porém, entre os principais vestibulares do Brasil, a Unicamp é uma das poucas que ainda cobra dos estudantes diferentes gêneros textuais a cada ano.

Para Sério Paganim, essa escolha se deve a uma linha de estudos modernos de linguística, que propõe que o aluno em situações mais concretas pode demonstrar melhor a sua capacidade de leitura e de produção textual. 

"Uma coisa é ele escrever um texto dissertativo sobre um tema qualquer, a outra é estar inserido em um cenário, em um contexto que acaba interferindo totalmente na escrita. Por mais que uma cena, isso exige que o candidato entre num contexto de produção mais concreto. Por isso que existe essa perspectiva de serem gêneros textuais diferentes", explica Paganim.

O professor e coordenador ainda aponta que a Unicamp não divulga quais serão os gêneros cobrados nas próximas edições porque ela supõe que a escola já tenha colocado os alunos em contato com esses diferentes tipos de texto.

Diogo D'Ippolito reforça que esse tipo de cobrança valoriza a capacidade do candidato em pensar estratégias que possam se adaptar aos gêneros avaliados.

A redação da Unicamp é mais difícil do que a do Enem?

Os gêneros e temas cobrados por esse vestibular mudam todos os anos, mas, afinal, esse tipo de redação é mais fácil ou mais difícil do que a do Enem? 

"Na visão dos alunos, eles acreditam que é mais difícil, pois é uma proposta que dá muita liberdade e eles estão acostumados com modelos pré-formatados. É uma redação marcada pela imprevisibilidade. Pelo lado docente, não há essa comparação de mais fácil ou mais difícil, e sim que é uma prova diferente que exige outros recursos e vai avaliar com outros critérios", explica Diego. 

Já para Paganim, isso depende do preparo prévio do aluno, mas que, para ele, esse tipo de redação é mais confortável de produzir, já que está inserida em um contexto mais real e concreto. "No geral, as propostas de gêneros textuais da Unicamp acabam sendo confortáveis, por serem mais verossímeis, mais próximas do mundo real", reforça.

O que fazer quando o gênero for inusitado?

Nos últimos anos, alguns dos gêneros cobrados pelo vestibular foram:

  • 2015: síntese e carta-convite;
  • 2016: resenha e texto de divulgação científica;
  • 2017: carta e texto de apresentação;
  • 2018: palestra e artigo de opinião;
  • 2019: abaixo-assinado e postagem em fórum;
Saiba mais: 5 últimas propostas de redação da Unicamp

Quais desses tipos de texto você saberia produzir? Apesar de alguns gêneros serem comuns, alguns fogem um pouco mais do comum. O que fazer nesse caso? 


Para o professor de redação, Diogo D'Ippolito, a melhor estratégia é tentar visualizar aquela situação no mundo real. Assim, o candidato poderá utilizar alguma referência do seu dia a dia, mesmo que ele não tenha tanta familiaridade com o gênero. 

"Outra estratégia que pode ajudar é se ater às instruções que são dadas na prova e às orientações do texto base. Muitas propostas têm comandos que são listados para o candidato e é importante estar atento a eles" relembra Diogo.

Entretanto, apesar das variações de gêneros textuais, não fique com medo, a Unicamp dificilmente cobrará alguma tipo que já não tenha sido abordado em sala de aula.

"A Unicamp tem muita consciência de são alunos oriundos do Ensino Médio. Então, ela não vai jogar um gênero inusitado sem dar apoio na proposta e no parágrafo de instrução. A dica mais importante é: não se apavore com o gênero, porque se for algo que a banca sabe que pode ser considerado mais inusitado, a própria proposta é auxiliadora", aconselha Paganim.

Como estudar para a redação da Unicamp?

Assim como em outras redações, apesar das variações de gêneros textuais, as indicações para ir bem são parecidas com as de outros vestibulares como, por exemplo, ficar atento às regras gramaticais, estudar os tipos de texto que podem ser cobrados e ficar de olho nas edições anteriores.

Entretanto, uma unanimidade entre os dois professores é: preste muita atenção no parágrafo de instrução da proposta de redação escolhida! Isso é primordial para o que o aluno tenha um bom desempenho na redação.

"Essa parte tem todos os recursos que o candidato precisa para montar o texto. Quem ele será, para quem ele escreverá, qual é o gênero solicitado pela banca, quais são os itens que ele precisa cumprir, que é algo que faz parte da estrutura do planejamento, pois tudo isso será cobrado na avaliação", explica Sérgio Paganim sobre a importância da instrução. 

A Unicamp possui ainda como prática colocar em negrito as palavras-chave com as indicações do que o candidato deve fazer no gênero pedido. Veja o exemplo de uma das redações cobradas no vestibular 2018 da universidade:


O coordenador de Linguagens do Anglo reforça que é mais importante atender a tudo o que esse parágrafo indica, do que se preocupar apenas com o gênero pedido.

"Isso é algo que o pessoal da Unicamp fala com todas as letras: mais importante do que a preocupação com as características formais dos gêneros, é a preocupação em o texto atender a todos as demandas que foram feitas no parágrafo de instrução", reforça.

Dica extra: estratégia de redação! 

O coordenador de Linguagens do Anglo Vestibulares indicou uma estratégia para que os candidatos consigam aproveitar o tempo de prova para fazer uma boa redação.

Dividida em três partes, essa fórmula recomenda que o participante mescle as questões discursivas cobradas no exame com as etapas da produção da redação (escolha do tema, rascunho e texto final):

            1. Leitura das propostas, fazer a seleção do projeto de texto que mais se encaixa nas suas habilidades (intervalo com duas questões);
            2. Execução do texto no rascunho (intervalo com mais duas questões);
            3. Revisão gramatical e dos recursos de linguagens, e aí passar a limpo a redação.

            "Assim, você otimiza a produção do texto e também controlar melhor a qualidade de cada uma dessas etapas", finaliza Paganim.

            Veja também: Guia completo de redação do Enem

            Tags relacionadas:

            banner image banner image

            O que você achou deste artigo?

            ALERTA DE VAGAS i-close
            Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
            ALERTA DE VAGAS i-close
            Descubra qual profissão mais se encaixa com você.

            Não fique na dúvida sobre o seu futuro. Faça o Teste Vocacional do Quero Bolsa.

            ALERTA DE VAGAS i-close
            Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

            Aqui no Quero Bolsa você compare vagas com bolsa em mais de 1.000 faculdades

            Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

            ALERTA DE VAGAS i-close
            Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
            ALERTA DE VAGAS i-close
            Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

            As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

            Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

            CENTRAL DE AJUDA i-close
            Como podemos te ajudar?

            Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

            Veja as perguntas frequentes

            Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

            Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
            i-close

            Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

            Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

            Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

            O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

            O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

            Feito com pela Quero Educação

            Quero Educação © 2011 - 2020 CNPJ: 10.542.212/0001-54