Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Biografias

Michelangelo

Gabriela Costa Costa
Publicado por Gabriela Costa Costa
Última atualização: 13/4/2019

Introdução

Considerado um dos maiores representantes do Renascimento Italiano, Michelangelo Lodovico Buonarotti é considerado um dos maiores artistas da história.

Pintor, escultor, poeta e arquiteto, é autor de obras-primas, como as esculturas “Pietá” e “Davi” e as pinturas “A Criação de Adão” e “Juízo Final”, que estampam o teto da Capela Sistina.

Legenda: Retrato de Michelangelo aos 60 anos, por Jacopino del Conte, 1535

A fama de Michelangelo foi tão grande que, ainda em atividade, registros sobre ele e sua carreira eram guardados, assim como objetos que ele usava e esboços que fazia para suas obras.

Foi um dos primeiros artistas ocidentais a ter sua biografia publicada ainda em vida.

Trajetória e obras

Michelangelo nasceu em 06 de março de 1475, em Caprese, região da Toscana, na Itália. Seu pai, Ludovico di Lionardo Buonarroti, tinha planos para sua carreira e o matriculou em uma escola de Gramática, em Florença, quando ele ainda tinha 7 anos.

No entanto, quando o jovem Michelangelo completou 10 anos, seu pai concordou em apoiar sua carreira, matriculando-o na oficina de um dos principais mestres de Florença, Domenico Ghilandaio, na qual Michelangelo teve a oportunidade de criar uma sólida base para o desenho, a pintura, o afresco e a escultura.

Depois de alguns anos, Michelangelo cursou a escola de Lorenzo de Médici, onde recebeu influências artísticas de vários pintores, escultores e intelectuais da época. Neste período, cria relações com a elite nobre e intelectual. Médici, interessado no jovem artista, tornou-se seu mecenas, bancando-o financeiramente.

Em 1499, trabalhou na famosa escultura “Pietá”, onde o tema é a Virgem Maria segurando o filho morto. Entre 1501 e 1504, Michelangelo trabalhou na escultura de “Davi”, herói bíblico que venceu o gigante Golias. 

“A figura já está na pedra, trata-se de arrancá-la para fora” é uma de suas frases mais famosas a respeito de seu trabalho como escultor.

Em 1508, o Papa Júlio II encarregou o artista de decorar a Capela Sistina, em Roma. Michelangelo exclamou: “Não sou pintor, sou escultor”. Mas seus protestos de nada valeram e, durante quatro anos, produziu 300 figuras com cenas do Velho Testamento.

Nomeado primeiro arquiteto, pintor e escultor do Vaticano pelo papa Paulo III, Michelangelo projetou a enorme cúpula da Basílica de São Pedro.

Já no fim de sua vida, se dedica principalmente à Arquitetura. Morre em 1564, aos 89 anos, em Roma.

Renascimento e Humanismo

Na época em que passou no castelo de Lourenzo Médici, Michelangelo vivenciou e ajudou a dar forma a um movimento cultural que valorizava a cultura greco-romana.

Na transição da Idade Média para a Idade Moderna, esse movimento ficou conhecido como Renascimento.

Michelangelo foi um grande nome dessa escola artística. Suas esculturas e pinturas renderam estudos sobre anatomia, perspectiva e profundidade. Ao seu lado, figuram nomes como Leonardo da Vinci e Rafael.

doutrina filosófica que deu consistência ao movimento foi o Humanismo, valorizando o ser humano. Essa corrente é caracterizada por uma mudança de perspectiva, na qual o homem é considerado o centro da criação divina e, portanto, do mundo. Assim, temos uma nova relação entre sociedade e religião.


Exercícios

Exercício 1
(IFMT/2017)

As esculturas Pietá e Davi, assim como afresco, presentes no teto da Capela Sistina, no Vaticano, são exemplos irrefutáveis da genialidade de Michelangelo Buonarroti. Artista renascentista, desde muito cedo nutriu uma devoção por Florença, cidade de seus ancestrais e berço da Renascença.

Sobre o Renascimento Cultural, é CORRETO afirmar que:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...