Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
História Geral

Idade Moderna

Otávio Spinace
Publicado por Otávio Spinace
Última atualização: 12/9/2018

Introdução

A Idade Moderna, ao contrário do que se pode imaginar, não se refere ao momento histórico em que vivemos atualmente, mas é um período da história ocidental compreendido entre os anos de 1453, com a tomada de Constantinopla pelo Império Otomano, e 1789, início da Revolução Francesa. Como todos os períodos em que geralmente se divide a história para facilitar sua compreensão, a Modernidade, como também é chamada, foi assim designada posteriormente, com o intuito de ressaltar certos aspectos em detrimento de outros. Dessa maneira, deve ser observada como um processo, que apresenta tanto continuidades quanto rupturas com o período anterior e o que a sucede.

Em aspectos gerais, podemos caracterizar a Idade Moderna como o período de formação dos Estados Modernos. Durante a Idade Média, houve uma descentralização política na Europa, o que levou à divisão territorial em diversas unidades rurais - os feudos - fortalecendo a nobreza que era proprietária de terras e enfraquecendo a figura do rei. Com a crise do feudalismo, o processo inverso ocorreu. Os senhores feudais foram perdendo poder relativo e houve uma centralização política, formando os Estados modernos e estabelecendo o Antigo Regime. No campo cultural, o Renascimento impulsionou o Humanismo e uma nova relação entre o ser humano e a religião, que influenciou as Reformas Religiosas. A Idade Moderna também foi o palco das grandes navegações, do renascimento do comércio e das cidades, e da ascensão da burguesia. A Idade Moderna se encerra com o início da Revolução Francesa, que marcou, também, a crise do Antigo Regime.

Características

Podemos caracterizar a Idade Moderna a partir de algumas de suas características principais:

  • Renascimento cultural: foi um movimento cultural que vigorou entre os séculos XIV e XVI, e influenciou diversos aspectos da sociedade europeia, se constituindo como grande precursor da Modernidade. Entre suas principais características, podemos mencionar o humanismo, o racionalismo, o desenvolvimento cultural e científico;
  • Renascimento comercial: o renascimento cultural foi acompanhado por um intenso renascimento comercial, possibilitado pela reconquista de antigas rotas comerciais com o Oriente e no Mar Mediterrâneo, o que possibilitou o surgimento da burguesia, classe social ligada à atividade comercial;
  • Centralização do poder político: com as revoltas camponesas e o renascimento comercial, o feudalismo, antigo modelo de organização social, entrou em crise. Os senhores feudais perderam gradualmente seu poder, que se concentrou na mão dos reis, o que culminou com a formação dos Estados Modernos;
  • Reformas religiosas: no aspecto religioso, a ascensão do Humanismo, entre outros fatores, teve impacto nas críticas à Igreja Católica, que culminaram com a Reforma Protestante no século XVI. A Igreja Romana, por sua vez, promoveu a Contrarreforma para evitar perder o poder que havia acumulado durante a Idade Média.
  • Expansão marítima: com a centralização política e a criação dos Estados Modernos, os reis passaram a financiar e incentivar grandes expedições marítimas que tinham por objetivo promover o comércio com a região das Índias. Posteriormente, essas expedições tiveram outros objetivos, e culminaram com o estabelecimento de colônias europeias no continente americano.
  • Colonialismodepois do estabelecimento de colônias na América, os países europeus passaram a basear grande parte de sua economia na exploração colonial.

O Estado Moderno

Com a crise do feudalismo, o poder foi gradativamente se concentrando nas mãos dos reis. Além das revoltas camponesas, que enfraqueceram os senhores feudais, a ascensão da nova classe social da Modernidade, a burguesia, contribuiu para o estabelecimento de governos centrais que pudessem regular as atividades comerciais por extensos territórios. Processos de formação do Estado Moderno se iniciaram ainda no século XIV, em Portugal, e no século XV, em países como Espanha, França e Inglaterra. Como se tratou de um processo, a formação dos Estados Modernos não ocorreu de uma hora para a outra, mas se consolidou através dos séculos.

Podemos definir o Estado Moderno, no período que ficou conhecido como Antigo Regime, a partir de algumas características gerais:

  • Absolutismo: centralização do poder político nas mãos de um rei, que era soberano sobre todo o território nacional. Esse poder era justificado pela crença de que o rei era um representante de Deus entre os homens, e cabia a ele, portanto, governar uma determinada região e seu povo;
  • Mercantilismo: foi o principal modelo econômico dos Estados Modernos. Embora cada nação o aplicasse com particularidades, podemos sintetizar o mercantilismo como um modelo econômico em que:
  • O Estado controlava a economia a fim de expandir suas fronteiras comerciais;
  • Buscava-se a manutenção da balança comercial favorável, ou seja, um país deveria procurar exportar mais do que importar;
  • Adoção do protecionismo, prática que visava a imposição de barreiras para a entrada de produtos estrangeiros;
  • Metalismo, prática que visava acumular metais preciosos, como ouro e prata, conseguidos principalmente nas Américas.
  • Sociedade estamental: a Idade Moderna e o Antigo Regime mantiveram a divisão da sociedade em estamentos, divisões determinadas pelo nascimento que impediam a mobilidade social. Dessa forma, o rei, acompanhado pela nobreza, e o clero possuíam privilégios sociais em relação ao restante da sociedade, composta por burgueses, artesãos, trabalhadores urbanos e camponeses.

Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2014)

Todo homem de bom juízo, depois que tiver realizado sua viagem, reconhecerá que é um milagre manifesto ter podido escapar de todos os perigos que se apresentam em sua peregrinação; tanto mais que há tantos outros acidentes que diariamente podem aí ocorrer que seria coisa pavorosa àqueles que aí navegam querer pô-los todos diante dos olhos quando querem empreender suas viagens.”

J. P. T. Histoire de plusieurs voyages aventureux. 1600. In: DELUMEAU, J. História do medo no Ocidente: 1300-1800. São Paulo: Cia. das Letras, 2009 (adaptado).

Esse relato, associado ao imaginário das viagens marítimas da época moderna, expressa um sentimento de:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

HISTÓRIA GERAL
Absolutismo
Absolutismo
LITERATURA
Classicismo
Classicismo
HISTÓRIA GERAL
Colonialismo
Colonialismo
LITERATURA
Humanismo
Humanismo
HISTÓRIA GERAL
Mercantilismo
Mercantilismo