Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biologia

Mitose

William Mira
Publicado por William Mira
Última atualização: 25/9/2018

Introdução

O processo em que uma célula consegue, a partir de si mesma, gerar outras células é conhecido como Divisão Celular. Nesse processo, a célula progenitora, chamada de célula-mãe, se divide, gerando células-filhas.

É um processo complexo, pois a célula precisa garantir que as células-filhas possuam independência metabólica, de forma que consigam desempenhar suas funções, mesmo após a divisão.

O termo divisão celular é genérico para agrupar dois tipos de divisões que podem ocorrer nas células eucarióticas: a mitose e a meiose. A mitose é o tipo de divisão celular em que uma célula-mãe gera duas células-filhas idênticas (entre si e entre a célula-mãe).

O termo “idêntico”, aqui empregado, se refere à quantidade de cromossomos presentes nas células e no código genético de um modo geral. Ou seja: as células geradas possuem o mesmo código genético e a mesma quantidade de cromossomos que a célula-mãe. Exemplos:

  • Uma célula diplóide (2n) que sofre mitose gerará duas células-filhas, ambas diplóides (2n).
  • Uma célula haplóide (n) que sofre mitose gerará duas células também haplóides (n).

Esse tipo de divisão celular ocorre nas células somáticas do indivíduo.

Essa capacidade da mitose em conservar a carga cromossômica das células faz com que esse processo seja conhecido como uma Divisão Equacional (E!).

Mitose esquematizada. Uma célula diplóide (2N), após o processo de mitose, gera duas células-filhas também diplóides (2N), e uma célula haplóide (N), após uma divisão mitótica, gera duas células, ambas haplóides (N).Mitose esquematizada. Uma célula diplóide (2N), após o processo de mitose, gera duas células-filhas também diplóides (2N), e uma célula haplóide (N), após uma divisão mitótica, gera duas células, ambas haplóides (N).Mitose esquematizada. Uma célula diplóide (2N), após o processo de mitose, gera duas células-filhas também diplóides (2N), e uma célula haplóide (N), após uma divisão mitótica, gera duas células, ambas haplóides (N).Mitose esquematizada.

Funções da Mitose

As divisões mitóticas estão presentes ao longo da vida inteira do organismo, sendo responsáveis por diversos eventos.

  • Reprodução assexuada: para organismos unicelulares, a mitose representa uma modalidade de reprodução assexuada. Amebas, por exemplo, se dividem gerando células idênticas à original, em um processo conhecido como bipartição. Outros organismos, como poríferos e espongiários, podem gerar descendentes através do desenvolvimento de uma saliência lateral que, com o tempo, se separa do organismo gerador e se torna um indivíduo independente. Este processo é chamado de brotamento.
  • Desenvolvimento de indivíduos: é através de sucessivas divisões mitóticas que o zigoto (célula gerada após o encontro dos gametas) consegue originar todas as células do seu organismo. A mitose, portanto, é responsável pelo crescimento e desenvolvimento de embriões.
  • Reparação de células no corpo: a mitose pode agir como mecanismo de reparação tecidual ao gerar células para compor algum tecido lesado. Ao longo da vida de um indivíduo, inúmeras células são mortas, por processos naturais ou não, e essas células precisam ser repostas para a manutenção das funções vitais do organismo. As células repostas são oriundas das células vizinhas, que se dividiram por mitose.

Etapas da Mitose

A mitose é um processo complexo que pode ser dividido em etapas ou fases bem características.

Mas, antes de detalhar cada uma das fases, é importante ter conhecido de que o ciclo de crescimento celular, chamado apenas por “ciclo celular”, é composto por dois períodos:

  • Intérfase: período em que a célula não está se dividindo;
  • Fase M: período em que a célula está se dividindo, seja por mitose ou meiose.

É importante citar a intérfase ao se falar de divisão celular, pois na fase S da intérfase ocorre o processo de replicação do DNA. Este processo duplica a quantidade de DNA e é fundamental para que a célula consiga se dividir e gerar outras células, cada uma com uma cópia desse material genético.

A mitose ocorre após o período de intérfase, e é dividida em fases com processos bem específicos:

Prófase

É a etapa mais longa da mitose. É marcada pelo desaparecimento ou desagregação da carioteca. O material genético, agora enovelado na forma de cromossomos, entre em contato com as fibras do fuso mitótico.

Características da Prófase:

  • Desagregação da Carioteca e do nucléolo;
  • Condensação dos cromossomos;
  • Centríolos migram para os pólos opostos da célula.

Célula animal em prófase.Célula animal em prófase.

Em alguns livros, a finalização do processo de desagregação da carioteca e da condensação dos cromossomos está em uma fase a parte, entre a prófase e a metáfase, conhecida como prometáfase.

Metáfase

Fase marcada pelos cromossomos bem enovelados e localizados no centro da célula (região equatorial da célula).

Características da Metáfase:

  • Centríolos nos pólos opostos das células, com projeções chamadas de fuso mitótico já em contato com os cromossomos;
  • Cromossomos na região equatorial da célula, com fibras do fuso mitótico ligadas aos centrômeros;
  • No final da metáfase ocorre a duplicação dos centrômeros.

Célula animal em metáfase.Célula animal em metáfase.

Em vegetais, não há a presença de centríolos. Porém, mesmo assim, a célula possui regiões conhecidas como MTOCs (centro organizador de microtúbulos), que permitem a polimerização do fuso mitótico e ligação aos cromossomos mesmo sem centríolos.

A Metáfase é a fase que permite a melhor visualização dos cromossomos.

Anáfase

As fibras do fuso mitótico começam a se contrair e a puxar os cromossomos duplicados, compostos por duas cromátides-irmãs (ver cromossomo).

Com os centrômeros duplicados, as cromátides-irmãs se separam e migram para os pólos opostos da célula.

Características da Anáfase:

  • Contração das fibras do fuso mitótico, formadas pela proteína Tubulina;
  • Separação das cromátides-irmãs.

Célula Animal em anáfase.Célula Animal em anáfase.

Telófase

O material genético, agora dividido nos pólos da célula, começa a se desenovelar. A célula começa a se preparar para sair do processo de divisão celular, gerando duas células-filhas.

Características da Telófase:

  • Cromossomos irmãos começam a se descondensar;
  • As fibras do fuso mitótico se desagregam;
  • Carioteca e nucléolo em processo de reorganização;
  • Citocinese como evento final que separa as duas células geradas.

A citocinese em células animais é diferente da citocinese em células vegetais.

  • Em vegetais: não há a presença de centríolos. A divisão é, portanto, “acêntrica”. A citocinese em células vegetais acontece do centro para a periferia celular (centrífuga). A região mediana passa a concentrar vesículas do complexo golgiense, chamadas fragmoplastos. Elas sintetizam componentes que vão separar uma célula da outra através da formação da lamela média (estrutura concreta que separa duas células vegetais próximas). Após a formação da lamela média, que ocorre do centro da célula para a periferia, a parede celular é formada para finalizar a separação das duas células geradas.
  • Em animais: há a presença de centríolos, que fazem com que a divisão seja “cêntrica”. A citocinese acontece de fora para dentro (centrípeta), através da contração de proteínas de actina presentes no citoesqueleto. O processo dura até a separação completa das duas células. Esse tipo de citocinese é conhecido como estrangulamento.

Célula animal em telófase. Acima, a citocinese por estrangulamento.

Célula animal em telófase. Acima, a citocinese por estrangulamento.


Exercícios

Exercício 1
(CES JF-MG)

Entre as frases a seguir, em relação à divisão celular por mitose, uma é incorreta. Aponte-a.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...