Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biologia

Código Genético e Síntese de Proteína

William Mira
Publicado por William Mira
Última atualização: 10/9/2018

Introdução

As informações genéticas contidas no DNA são transcritas para a molécula de RNAm, que se liga aos ribossomos. Esse processo traduz a sequência de nucleotídeos em uma sequência de aminoácidos, que formam as proteínas.

Entende-se por Código Genético essa relação entre as bases nitrogenadas (que compõem os ácidos nucléicos) e os aminoácidos (que compõem uma proteína).

A molécula de DNA é composta por monômeros, chamados nucleotídeos. Cada nucleotídeo contém uma base nitrogenada, que tem a função de compor o código genético.

📚 Você vai prestar o Enem 2020? Estude de graça com o Plano de Estudo Enem De Boa 📚

Códons

A informação é gerada pela sequência de três pares de bases, que formam um códon. O códon é um verdadeiro código, correspondente a um aminoácido específico que irá compor a proteína.

Por exemplo, o primeiro códon descoberto era composto por uma trinca de uracila, formando UUU presente no RNA mensageiro que, ao ser traduzido para uma sequência peptídica, mostrou ser correspondente ao aminoácido fenilalanina.



Segunda Base



UCAG

Primeira BaseUUUUFenilalaninaUCUSerinaUAUTirosinaUGUCisteínaUTerceira Base
UUCUCCUACUGCC
UUALeucinaUCAUAAStop CódonUGAStop CódonA
UUGUCGUAGStop CódonUGGTriptofanoG
CCUULeucinaCCUProlinaCAUHistidinaCGUArgininaU
CUCCCCCACCGCC
CUACCACAAGlutaminaCGAA
CUGCCGCAGCGGG
AAUUIsoleucinaACUTreoninaAAUAsparaginaAGUSerinaU
AUCACCAACAGCC
AUAACAAAALisinaAGAArgininaA
AUGMetioninaACGAAGAGGG
GGUUValinaGCUAlaninaGAUÁcido AspárticoGGUGlicinaU
GUCGCCGACGGCC
GUAGCAGAAÁcido GlutâmicoGGAA
GUGGCGGAGGGGG

Tabela de Códons, com seu respectivo aminoácido.

Além dos códons que correspondem aos aminoácidos constituintes das proteínas, há dois tipos de códons que controlam essa síntese protéica:

  • Códon de iniciação: está presente no início da informação contida no RNAm e marca o inicio do processo de tradução. É formado pela trinca Adenina-Uracila-Guanina (AUG), e corresponde ao aminoácido metionina. Assim, toda proteína contém a metionina como primeiro aminoácido, mesmo que seja necessário retirá-la através de alguma modificação pós-traducional (modificação na qual a proteína é submetida para a sua ativação após o seu processo de síntese).
  • Códon de parada: Os códons UAG, UGA e UUA não correspondem a nenhum aminoácido. São conhecidos como códons de parada (Stop-códon) e marcam o fim do processo de síntese protéica.

🎓 Você ainda não sabe qual curso fazer? Tire suas dúvidas com o Teste Vocacional Grátis do Quero Bolsa 🎓

Código genético

O código genético possui três características principais:

  • Especificidade: cada códon codificará o mesmo aminoácido;
  • Universalidade: a especificidade do códons é a mesma para qualquer indivíduo. O códon para o aminoácido alanina, por exemplo, é o mesmo em uma bactéria, um fungo, uma planta, um peixe e um ser humano.
  • Degenerado/Redundância: são quatro bases nitrogenadas que compõem o DNA e o RNA. Elas se dispõem em trincas, formando os códons. Assim, são 64 códons diferentes que correspondem aos vinte aminoácidos que compõem as proteínas. Portanto, mais de um códon corresponde ao mesmo aminoácido.

Dessa forma, o código genético é conhecido por ser específico, universal e degenerado.

O código genético relaciona as informações presentes no DNA na forma de genes, que são transcritos na forma de RNAm e, posteriormente, são traduzidos na forma de proteína.processos de transcrição e tradução 

O código genético relaciona as informações presentes no DNA na forma de genes, que são transcritos na forma de RNAm e, posteriormente, são traduzidos na forma de proteína.

Síntese Protéica

As proteínas são as macromoléculas com as funções mais variadas dentro das células. Sua produção é feita nos ribossomos, através das informações armazenadas no DNA e levadas pelo RNA.

Os éxons presentes no DNA são regiões compostas por genes, trechos de DNA com informação necessária para a síntese protéica.

Esses trechos de DNA são transcritos na forma de RNA (transcrição) que, sendo uma molécula menor e mais simples de ser transportada, se movimenta até o ribossomo - organela não membranosa que é responsável por sintetizar as proteínas.

O processo de síntese protéica, conhecido como tradução, se inicia após o acoplamento do RNAm (RNA mensageiro que é sintetizado a partir do gene e contém informação completa para a síntese protéica) ao ribossomo (ativado pelo RNA Ribossômico - RNAr).

Um terceiro tipo de RNA, o RNAt (RNA transportador), percorre o citoplasma em busca de aminoácidos que irão compor a cadeia peptídica que dará origem a proteína.

Esses RNAts se ligam aos aminoácidos e possuem regiões nas extremidades, chamadas de anticódon. Essas regiões se pareiam com os códons existentes no RNAm.

Dessa forma, o ribossomo é constituído por duas subunidades que facilitam a formação de proteínas:

  • Subunidade menor: onde ocorre a ligação ao RNAm;
  • Subunidade maior: onde o RNAt se pareia com o RNAm através do anticódon e do códon. Também é onde se forma a cadeia polipeptídica, composta pelos aminoácidos trazidos por esses RNAts.

As fases da síntese protéica

A síntese protéica, portanto, é composta por três fases:

  • Iniciação: quando o RNAm se liga ao ribossomo já ativado. O primeiro aminoácido é emparelhado no ribossomo. No caso, como explicado acima, o primeiro códon é sempre correspondente a metionina (AUG);
  • Alongamento/Elongação: os RNAts ligados aos aminoácidos vão se emparelhando ao RNAm através dos anticódons. As ligações peptídicas entre os aminoácidos são formadas com gasto de ATP. Na subunidade maior do ribossomo, há três sítios de ligação, cada um para um RNAt. Assim que o segundo RNAt se liga e pareia com o RNAm, o primeiro se desliga e volta ao citoplasma, para procurar outro aminoácido correspondente ao seu anticódon. Assim, permite-se que o terceiro RNAt se ligue ao terceiro sítio de ligação. Dessa forma, a síntese protéica ocorre ao longo da fita de RNAm,com alongamento da cadeia polipeptídica.
  • Terminação: o RNAt,composto pelo anticódon complementar ao códon de parada (stop-códon), se pareia com o RNAm. Porém, não leva nenhum aminoácido ligado, finalizando, assim, a síntese protéica.

Após a formação da cadeia polipeptídica, a proteína recém-formada pode, ainda, passar por processos conhecidos como modificações pós-traducionais.

Esses processos são necessários para a ativação de algumas proteínas. Isso é feito através da adição de uma cadeia lipídica - para formar as lipoproteínas - ou de uma cadeia de carboidrato - formando as glicoproteínas.


Exercícios

Exercício 1
(MACKENZIE)

Assinale a alternativa correta a respeito do processo de síntese protéica.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

BIOLOGIA
Célula
Célula
BIOLOGIA
Citoesqueleto
Citoesqueleto
BIOLOGIA
Citoplasma
Citoplasma
BIOLOGIA
Cromossomos
Cromossomos
BIOLOGIA
DNA - Ácido Desoxirribonucleico
DNA - Ácido Desoxirribonucleico
BIOLOGIA
Eucariontes
Eucariontes
BIOLOGIA
Fermentação
Fermentação
BIOLOGIA
Fotossíntese
Fotossíntese
BIOLOGIA
Genoma
Genoma
BIOLOGIA
Meiose
Meiose
BIOLOGIA
Mitocôndria
Mitocôndria
BIOLOGIA
Mutação Genética
Mutação Genética
BIOLOGIA
Respiração Celular
Respiração Celular
BIOLOGIA
Ribossomos
Ribossomos
BIOLOGIA
RNA - Ácido Ribonucleico
RNA - Ácido Ribonucleico