logo
Lista de faculdades Lista de cursos Lista de profissões Revista Quero Central de ajuda

banner image banner image
Pós-graduação

É possível fazer mestrado depois do tecnólogo?

por Caroline Sassatelli em 09/09/19 1,5 mil visualizações

Desde a publicação da Resolução CNE/CP 3, de 18 de dezembro de 2002, os cursos superiores de tecnologia são reconhecidos como uma graduação de nível superior. Mas por terem uma duração mais curta do que um curso tradicional, muitas pessoas ficam em dúvida se o seu diploma será válido para fazer uma pós-graduação, seja lato sensu (especialização e MBA) ou stricto sensu (mestrado e doutorado).

imagem de estudantes se formando
Afinal, quem fez tecnólogo pode fazer mestrado?

Izabel da Penha Gomes, de 22 anos, é um exemplo de que é possível fazer uma pós mesmo tendo realizado um tecnólogo. Ela, que cursou Mecânica com ênfase em Projetos pela Fatec-SP (Faculdade de Tecnologia de São Paulo), é hoje aluna do mestrado pela Faculdade de Engenharia Mecânica da Unicamp (Universidade de Campinas), na área de Materiais e Processos de Fabricação. 

“Antes de optar pelo tecnólogo, comparei diversas grades curriculares de várias universidades e, então, pude escolher o curso que mais me agradava na área da Mecânica”, conta a estudante. 

Os cursos de tecnologia são voltados para a formação de empreendedores e profissionais capazes de inovar no mercado de trabalho. As disciplinas da grade de aula são mais voltadas à prática, preparando o aluno para ingressar no mercado de trabalho o quanto antes.

Segundo Izabel, o tecnólogo que fez teve duração de três anos - e ter conseguido um diploma de ensino superior nesse tempo mais enxuto com certeza foi uma grande vantagem. “Além disso, como o tempo de formação é reduzido, a grade tende a ser mais concentrada e o conteúdo muito mais específico da área, focando na formação do profissional direto para o mercado de trabalho.”

Leia também:
Como é fazer um mestrado?
É possível fazer doutorado sem cursar o mestrado antes?

Início no mestrado

Durante o tecnólogo, Izabel participou de um programa de monitoria na Fatec, sendo monitora na área de Cálculo durante dois anos. Essa experiência lhe permitiu dar explicações, aulas e auxiliar os outros alunos. Foi, assim, então, que ela começou a se apaixonar pela docência e a pensar em dar aulas no futuro.

“Antes mesmo de sair da faculdade, fui pesquisar processos seletivos em outras universidades para dar continuidade aos estudos com uma pós-graduação stricto sensu, e posteriormente, conseguir espaço na docência de cursos superiores”, ela relembra.

Conforme afirma, em uma dessas pesquisas (e tendo contato com alguns professores), conseguiu uma vaga como aluna especial (sem vínculo com a universidade) na Unicamp apenas um semestre após se formar no tecnólogo. Daquela forma ela poderia assistir aulas e conseguir créditos para posterior defesa da dissertação.

imagem aérea Unicamp
Izabel ingressou no mestrado da Unicamp após fazer tecnólogo

Porém, no semestre seguinte, Izabel entrou na mesma universidade como aluna regular e, dessa forma, conseguiu uma bolsa de fomento para se manter definitivamente residindo em Campinas. 

Mas será que o embasamento adquirido durante o tecnólogo seria suficiente para que Izabel pudesse encarar um mestrado? Essa foi a dúvida que a estudante ficou no começo. De acordo com o que conta, ela ainda questionada se teria alguma defasagem em relação aos alunos formados em uma graduação em Engenharia, mas que, na prática, não foi assim.

Leia também:
Qual a diferença entre mestrado e doutorado?
Cursos tecnólogos: 8 coisas que você deve saber sobre esse tipo de graduação

“Ocorreu sim uma certa dificuldade devido aos conhecimentos avançados que eram cobrados, mas não acredito que tenha sido um problema da minha formação anterior, uma vez que a dificuldade era a mesma apresentada por mim e os demais alunos formados em Engenharia”, diz ela. 

Além dela, Izabel conta conhecer mais duas pessoas que trilharam o mesmo caminho que o seu. Uma delas também está no curso de mestrado e a outra é membro do seu mesmo grupo de pesquisa e já está fazendo o curso de doutorado. 

Planos para o futuro

Izabel deve defender sua dissertação em agosto de 2020, mas não deve parar os estudos por aí. 

Isso porque o seu plano profissional é seguir pela docência e dar aulas em faculdades públicas e particulares no futuro. Por isso, após seu mestrado, a estudante afirma querer seguir para o curso de doutorado também na Unicamp. 

Que tal fazer uma pós-graduação?

Quer dar aquela alavancada na carreira e se tornar um especialista em um assunto? Ou então seguir para a docência e cursar um mestrado ou doutorado? Então chegou a hora de começar a fazer uma pós-graduação. Para isso, nada melhor do que estudar em uma instituição reconhecida e pagar uma mensalidade que cabe no seu bolso, não é mesmo?

Então está na hora de conhecer o Quero Bolsa, o site onde você pode garantir sua vaga e começar o curso dos seus sonhos - seja presencial, a distância, intensivo ou com uma duração maior. São diversas opções de especializações, MBA, doutorado e mestrado.

Dê uma olhada no link abaixo:

Bolsas por WhatsApp

É só clicar no botão acima e enviar a mensagem! ;)


Tags relacionadas:

banner image banner image

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2022 CNPJ: 10.542.212/0001-54