Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Vestibular e Enem

Posse e porte de arma de fogo no Brasil: saiba como argumentar na redação do Enem

por Giovana Murça em 07/06/19 60 mil visualizações

O tema “Posse e porte de arma de fogo no Brasil” voltou a ser discutido recentemente devido ao decreto do governo Bolsonaro que flexibilizou as regras para posse de arma de fogo no país.

O decreto nº 9.785, de 7 de maio de 2019, facilita a posse de armas para cidadãos comuns e o porte para alguns profissionais que exercem atividade de risco ou por ameaça, como advogados, jornalistas, caminhoneiros e políticos.

bolsonaro decreto posse e porte de armas
O presidente Bolsonaro assinando o novo decreto no dia 7 de janeiro de 2019 (Foto: Marcos Corrêa/Wikimedia Commons)

O novo decreto altera o Estatuto do Desarmamento, de 2003, que tinha como objetivo diminuir a circulação de armas no país e dificultou a compra e porte de armas de fogo. Antes disso, o Estatuto já teve algumas outras alterações discutidas em governos anteriores.

No Estatuto estava previsto um referendo popular, realizado em 2005, para consultar a população sobre o artigo 35 que tratava sobre a comercialização de armas e munição. Com a pergunta “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?”, o “não” venceu com 63,68% votos e o Estatuto continuou em vigor com a exclusão desse artigo.

Diferença entre posse x porte

O novo decreto de Bolsonaro muda somente as regras para a posse de armas e não para o porte. No caso da posse, a arma de fogo só pode ser mantida dentro da casa ou empresa do proprietário. Já o porte permite que o dono do armamento possa também circular com a arma e é liberado apenas para alguns profissionais.

Na hora da redação

Com o tema “Porte e posse de armas no Brasil” em alta, é possível que ele seja tema de redação no Enem ou outros vestibulares. Em geral, as provas pedem um texto dissertativo-argumentativo com uma proposta de intervenção. No caso desse tema, é mais difícil defender um meio termo, é necessário que você dê uma posição em seu texto.

Independente de uma opinião favorável ou contrário ao armamento para civis, você precisa apresentar argumentos bons, coerentes e que sejam embasados por dados.

Geralmente, a proposta de redação traz dados e opiniões nos textos de apoio e você pode e deve usá-los para embasar seus argumentos. Lembrando que sua tese, seus argumentos e sua proposta não podem ferir os direitos humanos.

Como argumentar

A principal tese defendida por quem é contrário à posse e porte de armas é que o aumento da circulação de armas de fogo leva ao aumento da violência. Já a tese de quem é favorável à posse e porte de armas é de que justamente por conta do aumento da violência, os cidadãos têm o direito à autodefesa e liberdade.

Para você ter redação nota máxima, a Revista Quero reuniu alguns argumentos contra e a favor do armamento para civis no país. Encaixamos os argumentos por subtemas e dividimos em prós, a favor do posse e porte de armas, e contras, contrários ao posse e porte de armamento pelo população civil. Confira!

Leia também: Guia definitivo para fazer uma Redação do Enem nota 1000
8 temas de redação que podem cair no Enem 2019

Aumento da violência

Pró: Com o aumento da violência e incapacidade de proteção do Estado, os cidadãos devem ter o direito à autodefesa. De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2018, a taxa de mortes violentas intencionais cresceu 2,9% de 2016 para 2017, contabilizando a 175 mortos por dia em 2017.

Contra: Todas as pessoas têm o direito de se defender, mas não de violar a vida de outras pessoas. De acordo com o Atlas da Violência 2019, em 2017, o Brasil alcançou a marca histórica de 65.602 homicídios, uma taxa de 31,6 mortes para cada 100 mil habitantes. Mais de 70% dessas mortes foram causadas por armas de fogo.

Estatuto da desarmamento

Pró: O Estatuto do Desarmamento foi ineficaz, pois os criminosos continuaram armados e a população insegura e mais violenta. De acordo com o Atlas da Violência 2019, em 2016 se manteve o mesmo índice de mortes de arma de fogo de 2003, cerca de 70%.

discussão senado estatuto do desarmamento
Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania discutia alteração no Estatuto de Desarmamento em 2013 (Foto: José Cruz/Agência Senado)

Contra: O Estatuto do Desarmamento foi eficaz pois desacelerou o crescimento das mortes por arma de fogo. São menos armas em circulação, no mercado legal e ilegal e, consequentemente, menos armas na mãos de criminosos. Segundo o Mapa da Violência de 2016, os homicídios por arma de fogo cresceram num ritmo de 8,1% por ano, de 1980 a 2003. A partir de 2004, a porcentagem de mortes por arma de fogo se estabiliza, mantendo-se em cerca de 71% desde então.

Armas com civis

Pró: Se armar deve ser uma escolha da população para se defender contra a violência. No referendo sobre a comercialização de armas em 2005, uma maioria de 63,68% votou não para a pergunta “O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil?”.

Contra: Em países com leis de posse e porte de armas mais restritivas, como Austrália, Alemanha, Japão e Reino Unido, apresentam menores índices de morte por arma de fogo. Nesses países as taxas de homicídios por arma de fogo para cada 100 mil habitantes de 2016 não passam de 1.0, segundo a Pesquisa Global de Mortalidade por Armas de Fogo, 1990-2016.

posse e porte de armas brasil
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Armas e mortes

Pró: Mais armas não significam mais mortes. A Áustria, por exemplo, tem 30 armas de fogo a cada 100 habitantes, segundo o estudo “Estimating Global Civilian-held Firearms Numbers” feito pela Small Arms Survey em 2018, e tem sua taxa de homicídio por armas de fogo de 20.1 por 100 mil habitantes, de acordo com a Pesquisa Global de Mortalidade por Armas de Fogo, 1990-2016.

Contra: Quanto mais armas, mais mortes, é o que afirma o estudo Menos Armas, Menos Crimes do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). Quanto menos armas, menor o risco de acidentes e crimes domésticos e no trânsito. Analisando as estatísticas do estado de São Paulo entre 2001 e 2007, o estudo concluiu que um aumento de 1% no número de armas em circulação provocaria um crescimento de 2% no número de homicídios.

Armamento nos EUA

Pró: Nos Estados Unidos, o número de cidadãos com arma cresceu e a taxa de crimes violentos diminuiu. Segundo estudo do Centro de Pesquisa para a Prevenção de Crimes, de 2015, enquanto o número de cidadãos americanos com licença para portar armas cresceu 178%, de 2007 a 2014, a taxa de crimes violentos caiu 25%, de 5,6 para os 4,2 homicídios por 100 mil habitantes.


Contra: Os Estados Unidos é o país com maior taxa de armas por habitante do mundo e as armas podem ser culpadas pelo aumento da violência. Segundo estudo do Centro de Pesquisa para a Prevenção de Crimes, de 2015, enquanto o número de cidadãos americanos com licença para portar armas cresceu 178%, de 2007 a 2014. Já o relatório do National Bureau of Economic Research, da Escola de Direito de Stanford concluiu que os estados dos EUA que facilitarem o porte de armas tiveram um aumento de 13% a 15% em crimes violentos nos 10 anos após a promulgação dessas leis.

Utilize os dados a seu favor

Perceba que alguns dados podem ser usados tanto nos argumentos prós como nos contras. Saber manejar esses dados a seu favor é uma boa estratégia, pois os textos de apoio, em sua maioria, trazem apenas um ou dois dados para lhe ajudar a sua redação.

Agora que você conhece vários argumentos, é só treinar! Bons estudos ;)


Guia completo: Redação do Enem

Ainda não sabe escrever uma redação para o Enem? Neste guia, você aprende como deve ser o formato da redação, quais são os critérios de avaliação e vê exemplos de redações de sucesso e dicas de quem tirou nota 1.000 e é especialista no assunto. 

Baixar Guia sobre Redação

banner image banner image

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
ALERTA DE VAGAS i-close
Descubra qual profissão mais se encaixa com você.

Não fique na dúvida sobre o seu futuro. Faça o Teste Vocacional do Quero Bolsa.

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você compare vagas com bolsa em mais de 1.000 faculdades

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2020 CNPJ: 10.542.212/0001-54