Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Filosofia

Racionalismo

nicholas cysne
Publicado por nicholas cysne
Última atualização: 21/8/2018

Introdução

Racionalismo é uma corrente filosófica do século XVII. Ela estabelece a razão como a única fonte confiável de todo o conhecimento humano.

Para ela, não é necessário nada além da razão para que o homem entenda e domine todo o Universo à sua volta, encontrando o conhecimento absoluto, ou a Verdade, como diz René Descartes.

Entre os filósofos que conceberam o Racionalismo, destacam-se:

  • B. Espinoza
  • G. W. Leibniz
  • Ch. Wolff
  • Platão
  • Descartes
  • Noam Chomsky

O Racionalismo fundamenta-se na análise e demonstração a fim de conceber conhecimentos a priori, ou seja, que não são inatos - aqueles que possuímos desde que nascemos e que não nos foi preciso ensinar - e nem mesmo empíricos - conhecimentos advindos da técnica de experimentação e repetição.

Entretanto, este aspecto não demonstra uma negação do conhecimento inato. Os racionalistas somente refutam o conhecimento empírico, dado que este pode ser falho se os resultados advém de nossos sentidos humanos.

No Racionalismo, a todo acontecimento atribui-se uma causa e efeito. E, com uma metodologia de raciocínio pautado na razão, tenta-se determinar estes aspectos.

René Descartes

René Descartes, considerado o pai da Filosofia Moderna, era um dos fervorosos defensores do Racionalismo, considerado o criador do mesmo.

Segundo ele, somente o Racionalismo levaria o homem a encontrar a Verdade Absoluta. Isto, porque ele defende que nossos sentidos são falhos e duvidosos, ou seja, eles nos entregam uma imagem distorcida do Universo a nosso redor e não como se é verdadeiramente.

Uma vez que o primeiro passo de relações lógicas não pode ser dado através dessa imagem, Descartes convence-se de que somente com a pura razão podemos compreender e encontrar a Verdade.

Com base no Racionalismo e nos seus estudos em geometria, René Descartes elaborou seu método científico, dividido em quatro partes:

  • Evidência: jamais acolher alguma coisa como verdadeira se não conhecer evidentemente como tal.
  • Análise: dividir cada uma das dificuldades que examinar em tantas parcelas quantas possíveis e quantas necessárias forem para melhor resolvê-las.
  • Sántese: conduzir por ordem os pensamentos, começando pelos objetos mais simples e mais fáceis de conhecer, para subir, pouco a pouco, como por degraus, até o conhecimento dos mais compostos, e supondo mesmo uma ordem entre os que não se precedem naturalmente uns aos outros.
  • Controle: fazer em toda parte enumerações completas e revisões gerais, a fim de ter a certeza de nada omitir.

Descartes separava as ideias em três campos:

  • as adventícias: ideias advindas dos sentidos humanos;
  • as factícias: que derivam de nossa imaginação;
  • as inatas: que estão conosco desde o nascimento, sem necessidade de comprovação experimental.

Diferenças entre Racionalismo e Empirismo

Apesar de semelhantes quanto a relação da utilização de proposições lógicas em busca de uma verdade absoluta, o Racionalismo e o Empirismo possuem características que se contrariam.

O Empirismo afirma que toda realidade que conhecemos e os conhecimentos adquiridos são advindos da experiência sensorial, e todo conhecimento que importa deve ser possível de medida e verificação científica.

Neste escopo, alia-se com as ciências naturais no intuito de avançar nesta área através desta metodologia.

Descartes contraria essa linha de pensamento quando descreve nossas experiências sensoriais como dúbias e apenas imagens que refletem a realidade, levando a divergência do Racionalismo neste ponto.

O Racionalismo difere do Empirismo por não consider o método experimental como um bom recurso na busca pela verdade. Entre outras coisas, o Racionalismo apoia a intuição e ideias inatas, conhecimentos presentes no ser humano sem prévia visualização, enquanto o Empirismo repudia tais ideias.

O Racionalismo ainda utiliza o método dedutivo para o raciocínio lógico, quando se parte de um conhecimento genérico para se obter um mais específico. Já o Empirismo utiliza o método indutivo, partindo de um conhecimento específico a fim de obter um de maior abrangência.


Exercícios

Exercício 1
(UNICAMP/2014)

A dúvida é uma atitude que contribui para o surgimento do pensamento filosófico moderno. Neste comportamento, a verdade é atingida através da supressão provisória de todo conhecimento, que passa a ser considerado como mera opinião. A dúvida metódica aguça o espírito crítico próprio da Filosofia. 

(Adaptado de Gerd A. Bornheim, Introdução ao filosofar. Porto Alegre: Editora Globo, 1970, p. 11.) 

A partir do texto, é correto afirmar que:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

FILOSOFIA
Empirismo
Empirismo
FILOSOFIA
René Descartes
René Descartes
FILOSOFIA
Thomas Hobbes
Thomas Hobbes