Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Filosofia

Empirismo

nicholas cysne
Publicado por nicholas cysne
Última atualização: 21/8/2018

Introdução

O empirismo é uma doutrina filosófica do século XVII que trata do conhecimento advindo das experiências sensoriais humanas.

O empirismo se contrapõe diretamente ao inatismo. Essa vertente afirma que a existência de todo conhecimento está no ser humano desde seu nascimento, sendo necessário somente a introspecção para alcançá-lo.

Além do inatismo, o empirismo também se contrapõe ao Racionalismo. Este confere a descoberta da Verdade somente através do raciocínio lógico, revelando profunda aversão ao método experimental.

O filósofo empírico, contrário a estes conceitos, afirma que a origem de todas as ideias necessariamente vem da relação do homem com a ambiente externo. Ou seja, através nossos sentidos biológicos

De Aristóteles a John Locke

Apesar de ser concretizado teoricamente somente no século XVII com John Locke, o empirismo é retratado muito antes com Aristóteles, em seus estudos sobre a busca de uma Verdade absoluta.

Em seus estudos, Aristóteles indicava que um meio de se chegar à Verdade era através das experiências sensoriais e pelo método lógico indutivo.

A indução é, como a razão aos racionalistas, parte fundamental do empirismo. A indução mostra que são poucas as ideias que podem ser totalmente concluídas e validadas quando não se detém fontes de conhecimento que advém da experiência

Um exemplo clássico de como o método indutivo funciona é a questão: “se uma árvore cai na floresta e ninguém está perto para ouvi-la, sua queda produzirá som?” Como não há ninguém perto para que possa experimentar o ocorrido, não é possível então dizer ao certo se produzirá ou não o som.

Entre os filósofos que se destacam no tema estão Francis BaconThomas Hobbes, John Stuart Mill, David Hume e John Locke. Este último sendo considerado o pai do Empirismo (ou Empirismo Britânico).

Locke começou seus estudos sobre o empirismo em seu livro “Ensaio acerca do Entendimento Humano” (1690), em que estipula o ser humano ao nascer como uma “tabula rasa”. Para ele, o indivíduo é um quadro em branco, onde se adicionam informações e conhecimentos conforme ganha experiência, passando, assim, a um ser capaz de gerar ideias e novas opiniões.

Ao considerar que todos os homens nascem sem conhecimento algum, Locke define os homens como iguais em seu nascimento, argumento que futuramente viria a contestar o absolutismo e seu “direito divino”.

Exemplificando os conceitos do empirismo, este nega - e, portanto, não consegue explicar - todos os conhecimentos que não possuem método de validação experimental, tomando por exemplo o instinto animal ou a migração de aves para locais que nunca foram. 

Francis Bacon

Francis Bacon (1561 - 1626) foi um dos principais filósofos e o primeiro a produzir um esboço da técnica científica moderna.

Ao considerar a filosofia aristotélica ultrapassada, ele começou a produzir um tratado que propunha organizar a filosofia sobre a busca do conhecimento.

Escreveu, assim, o “Novo Método” (1620), em que explicava o porquê de o homem necessita dominar a natureza e entender seu funcionamento, para que, entendendo suas engrenagens, pudesse transformar e trazer a si os benefícios produzidos por ela. Neste contexto, Bacon afirma que “saber é poder”.

Bacon, em seu tratado, ainda divide a ciência em áreas:

  • poesia ou ciência da imaginação;
  • história ou ciência da memória;
  • filosofia ou ciência da razão. 

Empirismo Atual - Neopositivismo

O empirismo atual - empirismo lógico - é conhecido como neopositivismo e é origem de três vertentes de pensamento: a integral, a moderada e a científica. 

Empirismo integral

O empirismo integral reduz a fonte todo o conhecimento às experiências sensíveis, inclusive na área da matemática.

John Stuart Mill em “Sistema da Lógica” (1843), coloca de maneira sistemática que os conhecimentos humanos são resultados do método indutivo, exceto a matemática, que seria uma generalização das experiências realizadas.

Entretanto, ele ainda afirma que os próprios axiomas da matemática são capazes de ser atingidos pelo método indutivo.

Empirismo moderado

Em segundo, o empirismo moderado - ou genético-psicológico - afirma que as experiências são fonte, mas não as únicas a serem capazes de validar os conhecimentos do mundo.

As ideias matemáticas são exemplo dessa vertente. Para os moderados, a matemática é processo do unicamente do pensamento, não sendo possível ser provado, medido, validado por simples experiências científicas.

Empirismo científico

Por fim, o empirismo científico valida somente como verdade aquelas ideias capazes de serem medidas e experimentadas, refutando até mesmo processos como a indução.

O método científico utilizado atualmente, iniciado com René Descartes através do “Discurso do Método” (1637), foi de grande influência ao empirismo científico.

A cada nova teoria que surge, faz-se necessário a experimentação, comprovação de dados e medições. Sistematicamente, tudo deve ser validado. Somente assim algo poderá ser considerado de valor para o meio científico.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

FILOSOFIA
Racionalismo
Racionalismo
FILOSOFIA
René Descartes
René Descartes
FILOSOFIA
Thomas Hobbes
Thomas Hobbes