Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Sociologia

Auguste Comte

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 13/8/2018

Introdução

Nascido em Montpellier, na França, em 1798, Auguste Comte desenvolveu sua filosofia e seus estudos sociais no contexto pós Revolução Francesapós primeira fase da Revolução Industrial e no contexto de surgimento da Ciência Moderna.

Auguste Comte considerava a estrutura social do momento em que vivia marcada pela desordem. O pensador afirmava que a sociedade encontrava-se em ebulição e em completo caos. Para que o estado de confusão e desordem acabasse, Comte defendia que era necessário estudar essa nova sociedade a partir do uso de fundamentos da razão.

Comte propôs um modelo racional para colaborar com a mudança no pensamento social e, a partir daí, criou a Filosofia Positiva. Por pensar em um novo modelo de observação e interpretação das relações sociais, Auguste Comte é considerado um dos precursores da Sociologia e seus trabalhos sobre a nova ordem social influenciaram a obra do sociólogo Èmile Durkheim.

Comte e o positivismo

A filosofia positivista adota critérios racionais, históricos e sistemáticos para entender as transformações sociais. Sendo assim, o uso exclusivo de elementos religiosos e naturais deve ser descartado por aqueles que desejam pensar a nova sociedade pós Revolução Francesa. A partir desse novo modelo de pensamento é possível, então, propor mudanças que gerem a ordem e coesão social.

A nova ciência fundada por Comte, primeiramente chamada de física social, posteriormente Sociologia, propõe o uso de observação, experimentação, estudos, comparação e de classificação a partir de métodos. Com isso, busca estabelecer que os fenômenos sociais devem ser explicados em termos sociais e não exclusivamente naturais e religiosos.

Pode-se afirmar que o modelo positivista de análise social busca conhecer para prever, prever para prover. O conhecimento racional positivista procura conhecer a realidade social para, com isso, prever acontecimentos gerados a partir da ação social do homem e, então, apresentar possíveis soluções racionais.

De acordo com Comte, a sociologia tem como um de seus objetivos a reconciliação entre pontos estáticos e dinâmicos na sociedade, e isso é caracterizado pela relação entre a ordem e o progresso.

O progresso está sempre subordinado à ordem, ou seja: para que exista progresso é preciso existir a ordem. O progresso é objetivo a ser atingido, sem que exista a necessidade de desordenar e abalar o sistema social.

O pensamento positivista de Comte influenciou o pensamento dos republicanos no Brasil e foi usado, inclusive, na bandeira nacional que contém a frase “Ordem e Progresso”.

bandeira brasileira. Com o texto "Ordem e Progresso", mensagem positivistaOrdem e Progresso na bandeira nacional

Lei dos três estados de Comte

Com base nas ideias positivistas, Comte criou e fundamentou as três Leis dos estados. O autor afirmava que as sociedades passariam por três estados de pensamento, com algumas características fortes e dominantes.

Os três estados são: o teológico, o metafísico e o positivo.

Estado teológico

Os fenômenos sociais são explicados através de ações divinas. O estado teológico subdivide-se em três fases:

  • Animismo ou fetichismo: dar a seres naturais as mesmas características humanas;
  • Politeísmo: a vontade de vários deuses determina o acontecimento de todas as coisas no mundo;
  • Monoteísmo: a vontade de apenas um deus determina e controla todos os acontecimentos.

Estado Metafísico

Os acontecimentos são explicados a partir de abstrações teóricas. O estado metafísico é o intermediário entre o pensamento teológico e o pensamento positivista.

Estado Positivo

Estado científico, onde as explicações e pensamentos são elaborados com base na razão. Neste estado, os acontecimentos dependem somente da ação racional e evolução mental da racionalidade humana.

A partir do desenvolvimento da teoria dos três estados, Comte eleva a sociologia à categoria de evolução máxima entre as ciências, pois a considera a ciência do todo sobre os elementos e, portanto, a mais evoluída porque tem como objeto o homem e as relações que este estabelece.


Exercícios

Exercício 1
(UEG/2016)

O objeto de estudo da sociologia, para Durkheim, é o fato social, que deve ser tratado como “coisa” e o sociólogo deve afastar suas prenoções e preconceitos. A construção durkheimiana do objeto de estudo da sociologia pode ser considerada 

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

SOCIOLOGIA
Émile Durkheim
Émile Durkheim
SOCIOLOGIA
Marxismo
Marxismo
SOCIOLOGIA
Max Weber
Max Weber
LITERATURA
Naturalismo
Naturalismo
SOCIOLOGIA
Pierre Bourdieu
Pierre Bourdieu
SOCIOLOGIA
Positivismo
Positivismo
FILOSOFIA
René Descartes
René Descartes
FILOSOFIA
Thomas Hobbes
Thomas Hobbes