Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Sociologia

Émile Durkheim

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 21/8/2018

Introdução

Émile Durkheim nasceu em 1858, na França. Viveu parte de sua vida na Alemanha e retornou a França, onde morreu em 1917. O sociólogo viveu em uma sociedade marcada pelas transformações estabelecidas pela Revolução Francesa e Revolução Industrial.

A sociedade francesa vivia um momento de grande expansão econsolidação das indústrias, organização e fortalecimento das associações de trabalhadores, intensas greves, lutas sociais e início da propagação das ideias socialistas.

Influenciado pela ideia positivista de Auguste Comte, de ordem social e racionalidade científica para estudar a sociedade, Durkheim passa a desenvolver sua própria teoria que insere a prática - e não somente a discussão - de teorias puras.

O fato social

Durkheim define um modelo para as pesquisas sociais baseado no rigor metodológico, na investigação e racionalidade. O sociólogo introduz ainda o conceito de fato social.

Fato social pode ser definido como um conjunto geral de regras que se repetem na maioria das sociedades. Para Durkheim os fatos sociais devem ser estudados como coisas e não devem depender das consciências individuais ou coletivas.

Ao tratar os fatos sociais como coisas, o pesquisador mantém distância sentimental e de afinidade com o tema a ser pesquisado. Durkheim acredita que esse distanciamento colabora para que a pesquisa seja imparcial e descreva somente os fatos estudados, sem juízo de valor por parte do pesquisador.

Os fatos sociais são diferentes dos objetos de estudo de outras ciências, pois são originados na sociedade e não nos ímpetos e vontades de cada indivíduo.

O fato social é externo ao indivíduo. Ele é definido de acordo com as regras de cada sociedade, por exemplo a maneira como os indivíduos devem se vestir e se comportar em determinados eventos.

Algumas regras são mais gerais, como não matar, não roubar ou respeitar os mais velhos. E, independente das nossas vontades, a sociedade nos impõe uma série de regras gerais ou específicas.

O fato social apresenta três características:

Coerção Social

É a força que os fatos sociais exercem sobre os indivíduos para que eles respeitem as regras, leis e normas sociais, independente da vontade individual .

Generalidade

Os fatos sociais são gerais, atingem todos os membros da sociedade e não levam em consideração as vontades e desejos de cada indivíduo. São atos que se repetem, como a linguagem, as tradições culinárias e tradições locais.

Exteriorização

Os fatos sociais são exteriores, isso porque desde o momento do nascimento, o indivíduo já absorve as regras, valores e costumes sociais, independente de sua vontade. O conjunto de regras atua da sociedade para o indivíduo, por isso é exterior a ele.

Fatos Sociais Normais e Patológicos

Seguindo as ideias positivistas, Durkheim enxerga a sociedade como uma estrutura que deve funcionar de forma organizada. A Sociologia Moderna serve para estudar os fatos que são normais e aqueles que são patológicos, a fim de propor soluções que garantam a normalidade e ordem no funcionamento social.

O fato social é considerado patológico (doente) quando foge dos padrões e regras impostos pela sociedade, quando altera a ordem social que deve sempre ser mantida. O fato social patológico deve ser rapidamente identificado e controlado, para que a sociedade volte à ordem e normalidade, servindo como exemplo que não deve ser repetido.

Consciência Individual e Consciência Coletiva

A consciência coletiva é definida como sendo o conjunto de regras e crenças que deve ser seguido por toda a sociedade. Formam maneiras de agir comum a todos, por exemplo usar roupas.

A consciência individual são as  vontades e gostos que pertencem a cada indivíduo e que transformam cada ser em único e com sentimentos pessoais próprios. Já que a consciência coletiva nos impõe o uso de roupas, a consciência individual nos permite escolher o que usar e de que maneira combinar os trajes.

As solidariedades orgânica e mecânica

Na obra Da divisão social do trabalho, de 1893, Durkheim afirma que a existência da coesão social, assim como a da própria sociedade, está baseada no consenso existente entre os indivíduos.

Na sociedades pré capitalistas (arcaicas), prevalece a solidariedade mecânica, na qual os indivíduos compartilham das mesmas crenças e valores e, a partir disso, garantem a coesão. Nesse modelo social, não existe ainda acentuada divisão do trabalho. Todos trabalham na agricultura ou pecuária, por exemplo. Há apenas a divisão de tarefas.

Nas sociedades modernas, predomina a solidariedade orgânica. Os indivíduos não compartilham dos mesmos valores individuais, e as relações de trabalho e socialização são mais complexas. variedade de profissões, mas os indivíduos dependem bastante um do outro.

O quadro abaixo mostra as principais diferenças entre as solidariedades mecânica e orgânica.

Solidariedade MecânicaSolidariedade Orgânica
Sociedades pré capitalistas (simples)Sociedades Capitalistas (complexas)
Funções sociais semelhantesFunções sociais especializadas e interdependentes
Sem significativa divisão do trabalhoDivisão do trabalho complexa
Coerção imediata, violenta e punitivaCoerção formal e mediada (Direito)
Direito PunitivoDireito Restitutivo
Economia simples e pouco diversificadaEconomias complexas e bastante diversificadas

Exercícios

Exercício 1
(UEG/2016)

O objeto de estudo da sociologia, para Durkheim, é o fato social, que deve ser tratado como “coisa” e o sociólogo deve afastar suas prenoções e preconceitos. A construção durkheimiana do objeto de estudo da sociologia pode ser considerada 

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

SOCIOLOGIA
Auguste Comte
Auguste Comte
SOCIOLOGIA
Funcionalismo
Funcionalismo
SOCIOLOGIA
Marxismo
Marxismo
SOCIOLOGIA
Max Weber
Max Weber
SOCIOLOGIA
Pierre Bourdieu
Pierre Bourdieu