Info Icon Help Icon Como funciona Ajuda
Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue
Sociologia

Estado Democrático de Direito

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 13/8/2018

Introdução

O Estado Democrático de direito é definido juridicamente pelo respeito aos direitos humanos fundamentais. É um Estado no qual os direitos individuais, coletivos, sociais e políticos são garantidos através do direito constitucional.

No Estado Democrático de Direito a atuação do Estado é definida e limitada pela Constituição do país.

Os cidadãos, por sua vez, tem os direitos sociais e proteção jurídicas garantidos pelo Estado através dos governantes, que são escolhidos de forma democrática.

O poder dos governantes e a soberania estatal emanam do poder popular, através da escolha direta dos seus governantes através de eleições.

Os eleitos devem respeitar e cumprir as obrigações previstas em lei. Um governante não pode tomar decisões que sejam contrárias à Constituição ou que firam os direitos básicos e essenciais aos cidadãos.

Contexto Histórico

O Estado de Direito surge após as Revoluções Burguesas ocorridas entre os séculos XVII e XVIII. A criação foi influenciada principalmente pela Revolução Francesa, e caracteriza-se por um Estado organizado por uma Constituição com valor jurídico.

A ideia da Constituição como lei maior do Estado tem na Carta Magna Inglesa de 1215 seu primeiro embrião.

O escrito já apresentava no século XIII elementos modernos e essenciais para o constitucionalismo, para limitação do poder do Estado e para direitos fundamentais para os cidadãos.

As Cartas Magnas e Constituições elaboradas pós Revolução Francesa marcaram o fim dos Estados Absolutistas e a separação entre Estado e governantes.

A partir daí, a célebre frase “o Estado sou eu” de Luís XIV perdeu completamente o sentido, já que o governante deixou de ser a personificação do Estado e das formas de governo.

Os direitos fundamentais e essenciais aos cidadão foram incluídos ao longo dos séculos nos mais diversos países, levando em consideração os contextos históricos, sociais e as necessidades de cada local.

O Estado de Direito e o Estado Democrático de Direito

Em ambas as formas de organização estatal, as decisões são juridicamente definidas pela Constituição.

No entanto, no Estado Democrático de Direito, as ações são voltadas para a garantia dos direitos sociais fundamentais.

Características do Estado Democrático de Direito

  • Divisão do Estado em três poderes independentes: Executivo, Legislativo e Judiciário.
  • As Leis promulgadas pelo legislativo devem ser obedecidas pelos três poderes e pelos cidadãos.
  • O Estado Democrático de Direito é criado e regulado por uma Constituição.
  • A Constituição é a lei maior de qualquer país e deve orientar as ações tanto do Estado quanto dos cidadãos.
  • Os órgãos estatais devem ser harmônicos e controlar uns aos outros.
  • A lei impõe limites ao poder de decisão dos governantes.
  • As decisões governamentais devem sempre obedecer a Constituição.
  • As ações e decisões devem garantir todos os direitos constitucionais dos cidadãos.
  • O Estado tem o dever de garantir a justiça social do país.
  • Soberania Popular: o povo exerce controle sobre o poder político e também é o destinatário de todas as decisões.
  • Os governantes não podem impor suas vontades e decisões, nem tomar nenhuma atitude não prevista na Constituição.

O Brasil e o Estado Democrático de Direito.

Artigo 1º da Constituição Brasileira de 1988 define o Brasil como um Estado Democrático de Direito. Um Estado no qual, os governantes são escolhidos de maneira democrática com a realização de eleições diretas e que acontecem há cada quatro anos.

O Estado Brasileiro deve garantir os direitos básicos e essenciais para uma vida justa e confortável a todos os cidadãos, independente de cor, religião ou orientação política.

Os direitos básicos garantidos pela Constituição promulgada em 5 de Outubro de 1988 são:

  • Direito à moradia;
  • Acesso à saúde;
  • Acesso à educação básica;
  • Acesso às informações pessoais;
  • Acesso ao sistema jurídico;
  • Sufrágio Universal.

Embora os direitos básicos sejam garantidos pela Constituição, o modelo Brasileiro sofre diversas críticas pois nem todos os cidadãos têm acesso a esses direitos.

A falta de informação da população sobre quais os direitos garantidos pela Constituição também dificulta a procura por eles quando necessário.


Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2012)
É verdade que nas democracias o povo parece fazer o que quer; mas a liberdade política não consiste nisso. Deve-se ter sempre presente em mente o que é independência e o que é liberdade. A liberdade é o direito de fazer tudo o que as leis permitem; se um cidadão pudesse fazer tudo o que elas proíbem, não teria mais liberdade, porque os outros também teriam tal poder.” (Adaptado de: MONTESQUIEU. Do Espírito das Leis. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1997)
A característica de democracia Montesquieu diz respeito
Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, shorts e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...

Veja também

SOCIOLOGIA
Ação Social
Ação Social
SOCIOLOGIA
Antropologia
Antropologia
SOCIOLOGIA
Cidadania
Cidadania
SOCIOLOGIA
Constituição Federal de 1988
Constituição Federal de 1988
SOCIOLOGIA
Cultura
Cultura
SOCIOLOGIA
Declaração Universal dos Direitos Humanos
Declaração Universal dos Direitos Humanos
SOCIOLOGIA
Desigualdade Social
Desigualdade Social
SOCIOLOGIA
Direitos Humanos
Direitos Humanos
SOCIOLOGIA
Estado de Bem Estar Social
Estado de Bem Estar Social
SOCIOLOGIA
Estigma Social
Estigma Social
SOCIOLOGIA
Estruturalismo
Estruturalismo
SOCIOLOGIA
Exclusão Social
Exclusão Social
SOCIOLOGIA
Feminismo
Feminismo
SOCIOLOGIA
Funcionalismo
Funcionalismo
SOCIOLOGIA
Movimentos Sociais
Movimentos Sociais
SOCIOLOGIA
Neoliberalismo
Neoliberalismo
SOCIOLOGIA
Social-Democracia
Social-Democracia
SOCIOLOGIA
Sociedade
Sociedade