Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Sociologia

Xenofobia

Natália Cruz
Publicado por Natália Cruz
Última atualização: 4/6/2019

Introdução

A palavra xenofobia vem do grego xénophobos (xénos significa estrangeiro e phobos, medo). Portanto, xenofobia significa o medo ou aversão ao estrangeiro ou a elementos culturais, religiosos, linguísticos e sociais proveniente de cultura estrangeira.

O repúdio e aversão ao estrangeiro ou as manifestações culturais estrangeiras, geralmente, vêm carregados de ódio, práticas violentas e preconceito extremo contra o outro e contra o que difere da cultura e hábitos que o indivíduo xenófobo conhece, aprecia e respeita.

Nem todas as discriminações, no entanto, são consideradas xenofobia. Em muitos casos, são atos de desvalorização, diminuição e preconceito contra o estrangeiro, a cultura, religião, grau de instrução, gênero ou cor da pele, mas não necessariamente são atos regidos e direcionados pelo medo do outro.

Desde o final do século XX, as práticas da xenofobia representam um dos fenômenos mais recorrentes nos países. As ondas de imigração causam o medo extremo de que os estrangeiros recém-chegados sejam responsáveis pelo aumento das taxas de desemprego entre os habitantes locais, pela falta de acesso à educação ou, até mesmo, pela dificuldade de acesso a alimentos.

Os xenófobos consideram que os estrangeiros são os responsáveis pelos problemas de saúde, alimentação, emprego e segurança. Dentre os argumentos utilizados para justificar as práticas violentas contra o próximo estão a tentativa de fazer crer que os estrangeiros ocupam as vagas de trabalho, nas escolas e nos programas de saúde, antes destinadas aos habitantes do país.

Os xenófobos afirmam que perdem seus empregos e direitos sociais para os estrangeiros. Para evitar que isso aconteça, acreditam que é preciso impedir a entrada de imigrantes.

Nas diversas regiões do mundo, existem grupos específicos que são vítima da xenofobia. No entanto, na maioria dos países, os imigrantes submetem-se a precárias condições de emprego e raramente têm acesso aos planos de saúde e ao sistema educacional do país.

Xenofobia nos Estados Unidos

Nos Estados Unidos, as práticas xenófobas, a dificuldade da entrada de imigrantes e a discriminação e violência são relacionadas diretamente aos mexicanos e povos latinos, de modo geral.

Durante muitos anos, os imigrantes latinos entraram nos Estados Unidos de maneira irregular, através do deserto mexicano.

Ao longo dos anos, as políticas anti-imigração se tornaram cada vez mais severas. A fronteira entre México e Estados Unidos é cada vez mais vigiada, e a passagem de imigrantes ilegais para o território estadunidense é cada vez mais arriscada.

O combate à entrada de imigrantes foi, inclusive, um dos principais planos de governo do presidente eleito Donald Trump, que defende a construção de um muro na fronteira com o México, para impedir a entrada de imigrantes ilegais.

Muro na fronteira dos EUA e México

Xenofobia na Europa

Especialmente nos últimos trinta anos, a xenofobia na Europa tem aumentado consideravelmente. Em tempos de crise econômica, a rejeição, medo e ódio ao estrangeiro cresce, bem como os ataques principalmente contra estrangeiros vindos da África, América e até mesmo de outros países europeus, principalmente aqueles que formavam a antiga União Soviética.

Durante o governo de Adolf Hitler, na Alemanha, os judeus foram alvo de práticas de ódio. Durante a Segunda Guerra Mundial, o país foi palco do Holocausto, que matou milhões de judeus e aumentou as práticas antissemitas.

As práticas de ódio aos judeus ainda são defendidas por grupos neonazistas espalhados pela Alemanha e outras partes da Europa.

Campo de Auschwitz, Polônia

Xenofobia no Brasil

Embora considerado um país de povo amigável e receptivo, os casos de ódio e aversão a estrangeiros vem aumentando no Brasil.

Os ataques aos imigrantes são motivados pela questão econômica. Assim como na Europa, os xenófobos justificam as agressões alegando que os imigrantes ameaçam o emprego e acesso ao serviço de saúde para os habitantes brasileiros.

Os principais alvos são haitianos, bolivianos e venezuelanos que entram no Brasil, muitas vezes ilegalmente, em busca de melhores condições de vida, já que em seus países enfrentam graves crises econômicas ou sofrem com desastres naturais.

Os imigrantes, geralmente, vivem temporariamente em galpões ou salões de igrejas e são ajudados por ONGs e instituições, até que consigam regularizar a situação e se estabilizar financeiramente. Os governos dos municípios que servem de entrada para os imigrantes têm, em alguns casos, tentado impedir sua entrada no país, muitas vezes sob a alegação de que os imigrantes podem ameaçar o emprego e serviços oferecidos aos moradores.

Família de imigrantes venezuelanos


Exercícios

Exercício 1
(FEPESE-SC/2018)

Na tentativa de combater a imigração ilegal, o governo norte-americano tomou uma atitude que provocou forte repúdio no mundo inteiro e mesmo entre o público interno. Assinale a alternativa que descreve corretamente o fato.

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...