Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
77d3618ff415044f19bb19338727d71e69001001 F195eea9d588d50316253182952267046a5964fe
Profissões

No futebol, mulheres cursam mais ensino superior do que homens

por Marcela Coelho em 18/06/19 230 visualizações

Quase 7% das jogadoras de futebol contratadas recentemente por clubes brasileiros estão cursando ou já completaram o ensino superior. O percentual é três vezes maior do que o dos jogadores, que só chega a 1,8%. O levantamento foi feito pela Revista QB com base nos dados de dezembro de 2018 a abril de 2019 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Nesse intervalo, 158 atletas de futebol feminino com 18 anos ou mais tiveram contratos assinados. Desse total, 11 declararam* ter cursado uma faculdade. A maioria das jogadoras, 72,15%, concluíram o ensino médio.

Escolaridade jogadoras de futebol
Fonte: Caged

Minas Gerais está no topo da lista de estados com o maior número de contratações, 45 ao todo, e foi o que registrou mais mulheres no ensino superior: são seis, sendo que quatro declararam ensino superior incompleto e 2 que são formadas.

Em seguida aparece o Rio Grande do Sul, com 35 contratos e 2 jogadoras que chegaram à universidade. Veja abaixo a tabela completa de contratações por estado:

Fundamental Incompl. Fundamental Completo Médio Incompl. Médio Completo Superior Incompl. Superior Completo Total
Minas Gerais - 3 6 30 4 2 45
Rio Grande do Sul - 3 10 20 1 1 35
São Paulo 5 2 1 22 - 3 33
Ceará - - 1 22 - - 23
Bahia 1 1 - 13 - - 15
Amazonas - - - 3 - - 3
Pernambuco - - - 2 - - 2
Paraná - - - 1 - - 1
Rio Grande do Norte - - - 1 - - 1


Menos que 2% dos jogadores tiveram acesso ao ensino superior

Embora o número de atletas de futebol masculino que movimentaram o mercado da bola entre dezembro de 2018 a abril de 2019 seja bem maior que o feminino, o percentual de jogadores que frequentaram uma faculdade é muito baixo.

No período analisado, 3.742 jogadores foram contratados, mas apenas 1,84% declararam o ensino superior, porcentagem que representa 69 atletas. Desses, 34 possuem ensino superior incompleto e 35 são formados. A maioria dos homens, 82,98%, tem o ensino médio completo.

Escolaridade dos jogadores de futebol
Fonte: Caged

Tanto o percentual de atletas femininas quanto o de masculinos que concluíram o ensino médio é maior que a média brasileira. Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad C) 2017, aproximadamente 46% dos brasileiros com 25 anos ou mais finalizaram o ensino médio.

Ensino superior como Plano B

No segundo jogo do Brasil na Copa do Mundo de Futebol Feminino 2019, contra a Austrália, ao marcar seu primeiro gol na competição, a jogadora Marta comemorou apontando para a sua chuteira. O calçado preto não mostrava a marca de algum patrocinador esportivo, mas um símbolo que representa a igualdade de gênero.

Marta - Copa do Mundo
Marta, jogadora da Seleção Brasileira de Futebol Feminino. Foto: Reprodução

Em todo o mundo, o futebol feminino é marcado por diversos entraves, como falta de oportunidades, preconceito e salário inferior ao masculino. Esses obstáculos são uma das justificativas para as jogadoras procurarem mais o ensino superior, encarado como uma alternativa de carreira.

Essa é a visão da meio-campista Luana, do Taubaté Futebol Feminino, e estudante do terceiro ano de Educação Física. “Meu sonho sempre foi ser jogadora de futebol, porém quando surgiu a oportunidade de fazer faculdade, eu agarrei. Apesar de ser algo que eu sempre quis, também encaro como um plano B para o futuro”, disse.

Das 25 jogadoras do time, sete estão no ensino superior, cursando Educação Física. O técnico do Taubaté Futebol Feminino, Arismar Júnior, afirma que sempre incentiva as suas jogadoras a estudar e que os convênios com as instituições de ensino ajudam muito.

“No nosso caso, o grande responsável pelo alto número de atletas já no ensino superior é a parceria com as universidades. Assim elas conseguem se preparar para o futuro e têm a opção de trabalhar como educadora física depois, no fim da carreira.”

Ele ainda conta que só não tem mais jogadoras do time na faculdade porque muitas não têm escolaridade para isso, pois estão terminando o ensino médio, e outras têm planos diferentes e não conseguem focar totalmente nos estudos no momento.

Outra jogadora bastante conhecida que recentemente declarou que está investindo na sua formação para garantir o amanhã, depois de se aposentar, é a goleira da Seleção Brasileira de Futebol Feminino, Bárbara. A futebolista projeta iniciar um novo desafio profissional na área da enfermagem.

Leia mais: 5 lições para aprender com a Copa do Mundo de Futebol Feminino

Visão além de campo

O ensino superior não precisa ser visto somente como um caminho para o futuro. Ele pode ser um diferencial na hora de jogar bola.

“Cursar Educação Física contribui no treinamento. Quando estou fazendo exercícios, já penso como agem no meu corpo”, comenta Luana.

Para Arismar, a faculdade é muito importante, inclusive como investimento pessoal:

“As minhas atletas que estudam conseguem ter uma leitura, uma interpretação de treinamento, de plano de carreira e de planejamento melhor. Quanto mais o ser humano estiver melhor, o atleta também estará”.

Taubaté Futebol Feminino
Elenco do Taubaté Futebol Feminino, com técnico Arismar Júnior (de blusa branca) e meio-campista Luana (1ª da esq. para a dir. agachada) Foto: Rafael Citro

E os treinadores?

De acordo com os dados do Caged, há uma grande diferença na formação dos técnicos em relação aos jogadores. Nos últimos cinco meses, 38 treinadoras profissionais de futebol assinaram novos contratos, sendo que mais de 70% tiveram acesso ao ensino superior.

No caso dos treinadores, a porcentagem também é alta: dos 538 contratados, quase 54% chegou a uma faculdade. E a grande maioria concluiu o curso: 257 profissionais possuem diploma de ensino superior.

Elaboração dos dados: Marcela Coelho/Rodrigo Simões.

Foto de capa: Reprodução/Instagram

*Os dados de escolaridade são autodeclarados, podendo haver alguma divergência com a realidade.


Leia mais: Faculdades para quem quer seguir carreira no futebol
Curso forma profissionais especializados em futebol

Tags relacionadas:

77d3618ff415044f19bb19338727d71e69001001 F195eea9d588d50316253182952267046a5964fe

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Você pretende trabalhar e estudar ao mesmo tempo?
ALERTA DE VAGAS i-close
Para se dedicar integralmente aos estudos é sempre bom economizar.Money c94fde8014ac9b0d5ad05d244e1821fb246018cdc3570b09f72c25fde99f7b1a

Gostaria de ser avisado sempre que uma vaga estiver disponível aqui no site Quero Bolsa?

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você encontra as melhores vagas em diversos turnos, até mesmo ensino a distância.

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Você pretende trabalhar e estudar ao mesmo tempo?
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Basta entrar em contato conosco em até 6 meses após o pagamento, informando seus dados e o motivo da devolução.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2019 CNPJ: 10.542.212/0001-54