Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Universidades

Damas em Ação: universitárias buscam protagonismo de mulheres no xadrez

por Mathias Sallit em 07/12/20

No xadrez, a dama é considerada a peça mais poderosa de um jogador. Se movendo por todo o tabuleiro na diagonal e horizontal, ela é decisiva nos resultados das partidas, e a desvantagem de perdê-la pode dificultar as estratégias do enxadrista durante o jogo.

Mas quando o assunto é a presença feminina no xadrez, a falta de visibilidade e incentivo é um desafio enfrentado por aquelas dentro desse cenário. Entre os 5.475 enxadristas brasileiros ranqueados pela Federação Internacional de Xadrez (FIDE), apenas 644 são mulheres, o que representa 11% dos jogadores - mesma média do ranking internacional.

A presença de mulheres no xadrez é tema da série "O Gambito da Rainha", da Netflix, que foi vista por mais de 62 milhões de pessoas nos primeiros 28 dias no ar. Antes da produção se tornar a minissérie mais assistida da plataforma, a enxadrista Julia Alboredo, de 23 anos, já havia começado a mover as peças para colocar as mulheres em evidência no cenário da modalidade no Brasil.

Foto: Claudia Aquino
julia alboredo xadrez feminino
Julia é criadora de projeto de valorização e incentivo ao xadrez feminino no Brasil

Em 2018, percebendo a carência do esporte feminino, ela estava no grupo de mulheres que criou o projeto "Damas em Ação", que busca valorizar e dar visibilidade às jogadoras de xadrez no país e incentivar novas atletas que estão começando nos tabuleiros.

Competindo em torneios desde os sete anos de idade, Julia não via entre as mulheres a mesma união que os homens tinham nos treinos e torneios. "Começamos a refletir: por que não as mulheres também? Por que não podemos nos unir, viajar juntas para competições, incentivar o xadrez de base, poder treinar juntas? Aí surgiu a ideia do projeto", conta a enxadrista, que é estudante de Química na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Colega de Julia no Damas em Ação e companheira nos principais torneios universitários de xadrez do Brasil e do mundo, Kathiê Librelato (22) joga desde os dez anos e vê a importância de projetos como esse darem visibilidade também nas redes sociais, com conteúdos e eventos relacionados ao xadrez.

"Acredito que iniciativas como esta são fundamentais na luta por mais espaço e visibilidade, tanto das mulheres dentro do xadrez como da modalidade em meio ao mundo externo", diz a jogadora, estudante de Educação Física na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc).

Foto: Divulgação
Kathie Librelato xadrez feminino
Kathiê é atleta de Iraça, em Santa Catarina

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O xadrez universitário no Brasil

Além de estarem juntas em olimpíadas, torneios mundiais, pan-americanos e nacionais, Julia e Kathiê dominam o cenário do xadrez universitário no Brasil. As duas contam com bolsas de estudo de incentivo ao esporte em suas faculdades. Kathiê, que já atua como auxiliar técnica, vê a formação em Educação Física como uma maneira de ampliar a sua relação com o esporte.

Julia mudou de faculdade por causa do xadrez. Ela não pôde entrar diretamente no Mackenzie porque estava participando de um campeonato na data do vestibular. Ela recomeçou o curso de Química em 2018 por causa do apoio que receberia da instituição.

"Em 2016, fui para a olimpíada de Baku, no Azerbaijão, e perdi duas semanas de aula. Quando voltei, tive compreensão zero na faculdade e tive que fazer cinco provas em um dia", ela relata. "Não tinha um apoio nem perto do esporte que tenho no Mackenzie, e isso foi o ponto de partida fundamental para eu mudar de faculdade."

Foto: Claudia Aquino
julia alboredo xadrez feminino
Julia competindo pelo Mackenzie em torneio universitário

Além de já assumir protagonismo em torneios profissionais no Brasil e no mundo, a dupla também é destaque nos campeonatos universitários. Desde 2017, elas se revezam nas primeiras posições do pódio nos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) e o troféu de campeã universitária está na prateleira das duas.

Em 2018, elas integravam a equipe brasileira que conquistou o 3º lugar no Mundial Universitário de Xadrez e também têm conquistas em torneios das Américas.

Foto: Divulgação
As duas integraram a equipe do Brasil que recebeu a medalha de bronze no mundial universitário de 2018, em Aracaju (SE)

"Cada conquista ajuda a mostrar que é possível seguirmos na trajetória esportiva, e ter oportunidades de seguir competindo e crescendo é fundamental também para a questão de bolsas universitárias e outros apoios", afirma Kathiê.

Julia compara as competições universitárias com as olimpíadas, onde é possível representar o país e a universidade em jogos contra os melhores atletas do mundo. Ela destaca a importância de adquirir experiência em torneios como esses. "Eu acredito que é uma boa oportunidade não só de colocar em prática aquilo que você vem estudando, mas também o espírito da competição em si é uma experiência bem bacana."

No Brasil, a organização de eventos nacionais para estudantes é da Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU).

"O esporte universitário é um período na vida dos alunos-atletas muito importante, e assim buscamos oportunizar experiências esportivas gratificantes, pois com certeza ficam marcadas para o resto de suas vidas", explica o diretor de Esportes e Eventos da CBDU, Alessandro Battiste. "A melhor forma de incentivar é dar a oportunidade de participação, e é isso que fazemos", completa.

Foto: Arquivo Pessoal
kathie xadrez feminino
Kathiê é presença constante na premiação de melhores atletas da CBDU

A "rivalidade sadia" entre Julia e Kathiê nos tabuleiros universitários é um fator que aproxima e incentiva as duas a continuarem os estudos e desenvolverem o jogo. Para Julia, "uma motiva a outra indiretamente". Já Kathiê conta que a colega foi um de seus primeiros desafios no xadrez e enaltece poder jogar contra Julia. "A disputa segue nos tabuleiros, mas fora das 64 casas é realmente uma parceria", ela brinca.

Veja também:
Esporte universitário: 4 razões para você entrar no time da sua faculdade
Bolsas de estudo para atletas incentivam o esporte universitário

O Gambito da Rainha e mulheres no esporte

"O Gambito da Rainha" foi ao ar em outubro e logo colocou o xadrez em alta. A trama gira em torno da protagonista Beth Harmon, que fica órfã quando criança e aprende a jogar com o zelador do orfanato onde vive na infância. Com o sucesso da série, buscas por termos relacionados ao xadrez no Google aumentaram em até 300% e as vendas de tabuleiros subiram 273% no site americano eBay.

A boa repercussão anima as enxadristas. "Eu achei muito bacana por colocar o xadrez em pauta e pela qualidade", conta Kathiê Librelato. "Temos ainda muitas vezes esse estereótipo da modalidade como algo chato, então mostrar como é emocionante é algo super legal."

Por ter uma protagonista mulher em um esporte majoritariamente masculino, o seriado pode encorajar muitas jogadoras a seguirem nos tabuleiros. "Acredito que muitas delas se motivaram", afirma Julia Alboredo. "Quando você vê uma representação ali, como a Beth, isso é bem interessante para ter um parâmetro e um espelho."

A enxadrista percebe esse crescimento feminino na prática do xadrez, principalmente online, segmento em que atua desde março de 2020. Julia é uma das mulheres pioneiras a atuar como comentarista de transmissões pela internet de partidas de xadrez, pela plataforma Chess24.

"A mulher está começando a tomar alguns papéis importantes, e com isso a gente pode incentivar o xadrez feminino de pouco a pouco. Eu fico feliz quando muitas meninas me escrevem e falam que gostam das minhas transmissões e lives. Eu sei que, de alguma forma, eu estou ajudando o xadrez feminino."

Mas o caminho ainda é longo e o preconceito é uma realidade. "Eu sofri muito no começo, as pessoas não estavam aceitando que tem uma mulher ali comentando, então sofri várias ofensas", Julia relata.

"Ainda sofro com o machismo nas transmissões praticamente todos os dias. Mas o que me motiva é o xadrez, porque eu acho que o xadrez é muito maior. E, claro, as pessoas que apoiam, que são muito mais importantes do que aquelas que criticam. Desistir de tudo isso é o que eles querem, então a gente tem que batalhar pelo xadrez", conta a atleta.

Veja mais: Saiba quais são as profissões com maior e menor número de contratações de mulheres no Brasil

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


Rumo à Maestria

O "Damas em Ação" tem um nome que complementa um dos objetivos do projeto: "Rumo à Maestria", uma alusão aos principais títulos dados aos enxadristas, "Mestre" e "Grande Mestre". A pandemia pode ter atrapalhado um pouco os planos de Julia e Kathiê, que preferem os jogos presenciais às partidas virtuais. Mas a ambição no xadrez continua entre os objetivos das duas.

Foto: Divulgação
xadrez feminino
As duas revezam as medalhas de ouro e prata dos JUBs desde 2017

"Por conta da pandemia, os planos vão ser um pouquinho postergados, mas a minha ideia é ser Grande Mestre, tanto feminino e, quem sabe, mais para frente, grande mestre absoluto", conta Julia, que carrega o título de Mestre Feminina da FIDE.

Kathiê, que tem o título de Mestre Feminina Internacional, segue com os mesmos planos. "A curto-médio prazo, uma meta é o título de Woman Grandmaster, ainda inédito para o Brasil, mas por que não os títulos absolutos também? Na verdade, eu e o Claudionor [Pirola, técnico de xadrez] sempre buscamos estruturar um treinamento com foco no crescimento técnico, então essas conquistas devem vir como consequências mesmo", conta a enxadrista.

Leia também:
Jogadores de eSports assumem protagonismo do esporte universitário e se destacam durante pandemia
Educação Física e Esporte: qual é a diferença entre esses cursos?

Tags relacionadas:

banner image banner image

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Quer ficar sabendo das melhores vagas antes de todo mundo?
ALERTA DE VAGAS i-close
Sabia que dependendo do seu período é melhor começar de novo?Thinking face f5c039d3e92b0c131b3780cdbc1ee3d7966cc05cafc35064b70df0e0e049c24d

Caso você ainda esteja no primeiro ou segundo período da faculdade, você pode economizar começando o curso novamente com bolsa de estudo.

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você encontra as melhores vagas em diversos turnos, até mesmo ensino a distância.

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Quer ficar sabendo das melhores vagas antes de todo mundo?
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2021 CNPJ: 10.542.212/0001-54