Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Idiomas

Por que devo aprender espanhol?

*Texto escrito pela colaboradora Fernanda Silva

Muitos brasileiros têm a sensação de saber falar espanhol. Afinal, os idiomas têm a mesma origem, uma estrutura gramatical e palavras que se parecem. Além disso, é só forçar um sotaque e se arriscar usando o famigerado “portunhol” na hora de se comunicar, certo? Errado. Apesar de muitas vezes o esforço de “unir os idiomas” ser válido, falar o espanhol com fluência pode abrir muitas portas pessoal e profissionalmente.

livro de espanhol

Ainda sobre o portunhol, vale destacar que essa mistura improvisada dos dois idiomas (português e espanhol) pode provocar algumas dificuldades na compreensão e na fluência da conversa. “O portunhol é uma interlíngua, para mim, que ainda está em processo”, destaca Diana Vargas Carbajal, professora peruana que atua no Brasil. 

Segundo a professora, alguns educadores defendem que não é correto usar o portunhol como “muleta”, porque há uma deformação em ambas línguas. “No momento que esse contato é contínuo, frequente, deve haver um compromisso de ambos lados para que a comunicação seja cada vez mais correta”, analisa.

Também professora de espanhol no Brasil há 11 anos, a mexicana Dania Inayeh Gudino concorda. “Ele é um auxiliar para começar a falar, mas ele não ajuda na comunicação, porque é uma mistura da língua, que pode cair em uma má interpretação”. A coordenadora do grupo Espanhol por SP ainda destaca que é preciso respeitar as culturas que pertencem a cada idioma, para que haja uma comunicação que flui e se apropria da riqueza de cada uma das línguas. 

Saiba mais: 
+5 dicas para decorar mais facilmente um novo idioma

Por que aprender espanhol?

Se apenas o portunhol não for suficiente, estudar o espanhol é necessário para garantir uma melhor comunicação no setor pessoal e profissional. Vale destacar que, depois do inglês, o espanhol é a segunda língua mais popular do planeta.  Em todo o mundo, entre nativos e pessoas que aprenderam o espanhol, estima-se que 538 milhões de pessoas falam o idioma, segundo o Ethnologue. 

Ao todo, são 44 países que o têm como idioma oficial. Muito deles, inclusive, fazem fronteira e são parceiros comerciais do Brasil, como a Argentina, Colômbia, Peru e Chile. Com grande parte da indústria nacional vinculada a economia das nações vizinhas, falar o idioma se torna importante para os brasileiros. 

Também, não podemos esquecer que o Brasil faz parte do Mercosul, um bloco econômico que une Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Desses países, o único que não tem o espanhol como língua oficial é o próprio Brasil. 

“É importante falar o idioma para se aproximar, se comunicar e fechar um negócio”, destaca Diana. “Hoje, temos os meios digitais que nos ajudam, como um tradutor, mas muitas negociações são presenciais e é necessário que a pessoa tenha uma base mínima do idioma para poder interagir com os outros países”.

Para Diana, o espanhol oferece, em si, um leque de opções de trabalho, pessoais, um enriquecimento cultural. “O brasileiro deve aprender espanhol como uma língua que soma, que agrega, não apenas no currículo, mas cognitivamente, no seu dia a dia, cotidiano”.

Saiba mais:
+Como colocar idiomas no currículo?

Intercâmbio cultural

Coordenadora do projeto Espanhol em SP, Dania Inayeh acredita na importância de falar outros idiomas para que haja uma imersão em outras culturas. “Falar o espanhol aproxima culturalmente o brasileiro de uma identidade latino americana. Uma das maiores riquezas de falar o idioma é poder ouvir, escutar, ler e falar, em viagens, e adquirir uma cultura que está na língua espanhola”, analisa ela.

Apesar da familiaridade dos brasileiros com o idioma, muitos podem se enganar com os “falso cognatos”, também chamados de “falsos amigos”. Essas são as palavras que parecem significar uma coisa, mas, na verdade, significam outra. “Aceite”, por exemplo, significa “azeite” (e não ‘aceite’) e “Dirección”, endereço (não ‘direção’). “A dificuldade só aparece quando a pessoa começa a estudar. Depois disso, vai fluindo”, destaca Dania.

“Por mais que sejam línguas parecidas, derivadas do latim, elas têm suas características próprias”, analisa, por sua vez, Diana. “Para os brasileiros aprendendo espanhol, há muitas dificuldades, até na forma de expressar emoções, na utilização dos pronomes, que no espanhol é muito frequente”, ressalta ela, como outra dificuldade.

Saiba mais:
+Idiomas sem Fronteiras: saiba tudo sobre o programa

Onde estudar espanhol?

A seguir, é possível encontrar uma lista com opções de instituições de ensino que oferecem cursos de idiomas. Veja:

Saiba mais:
+15 critérios para escolher sua escola de idiomas
+Quais são os principais tipos de cursos de idiomas?

Estude espanhol com bolsa de estudo

O Quero Bolsa, em parceria com escolas de idiomas, oferece descontos nas mensalidades de cursos de espanhol durante todo o curso. Para garantir sua bolsa, basta clicar no botão abaixo, selecionar o curso, a escola e a localização de sua preferência. Feito isso, é só efetuar sua pré-matrícula, que é feita a partir do preenchimento de informações pessoais e do pagamento de uma taxa simbólica cobrada apenas uma vez. 

Bolsas de estudo para idiomas

banner image banner image

O que você achou deste artigo?

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2021 CNPJ: 10.542.212/0001-54