Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue

Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Química

Raio Atômico

Sara Nahra
Publicado por Sara Nahra
Última atualização: 22/10/2018

Introdução

Algumas propriedades dos átomos apresentam variações periódicas em função do número atômico. Isso permite prever quais elementos apresentam propriedades físicas e químicas semelhantes. Umas destas propriedades é o raio atômico.

Átomo

A eletrosfera não possui um limite bem definido, e isso acaba tornando difícil saber exatamente a medida do raio atômico. Para facilitar os cálculos, é levado em consideração o empacotamento em sólidos de átomos iguais, definindo as distâncias entre os núcleos, como mostra a figura abaixo. Assim, a metade da distância entre os núcleos de dois átomos vizinhos é considerada o raio atômico (R).

Representação do raio e do diâmetro atômico.Representação do raio e do diâmetro atômico.

Variação do Raio Atômico

A figura abaixo mostra a variação do raio atômico na tabela periódica.

Movendo-se pelos grupos ou famílias e mantendo o mesmo período: Podemos ver que o raio cresce da direita para a esquerda. Ou seja, em um mesmo período, os átomos do grupo 18 possuem raio atômico menor do que os átomos do grupo 17, que possuem raio atômico menor do que os átomos do grupo 16, e assim por diante até chegar nos maiores raios atômicos, que pertencem aos elementos do grupo 1. Isso acontece porque o número atômico (Z) aumenta da esquerda para a direita, ou seja, a quantidade de prótons (p) aumenta, e isso aumenta a atração que os prótons no núcleo exercem sobre os elétrons (e-) na eletrosfera. Uma atração mais forte resulta em uma diminuição do tamanho do átomo e, consequentemente, do raio atômico (R).

Resumindo: da esquerda para a direita:

aumenta Z → aumenta p → aumenta atração sobre os e→ diminui R.

Exemplos: R do flúor (F) < R do carbono (C) < R do lítio (Li)

        R do bromo (Br) < R do cobre (Cu) < R do cálcio (Ca)

        R do chumbo (Pb) < R do ouro (Au) < R do césio (Cs)

Movendo-se pelos períodos e mantendo a mesma família ou grupo: Podemos ver que o raio cresce de cima para baixo. Isso ocorre porque à medida que descemos nos períodos, aumentamos uma camada eletrônica (níveis) no átomo. Ou seja, no primeiro período os elétrons se distribuem em uma só camada eletrônica no átomo. No segundo período, os elétrons se distribuem em duas camadas eletrônicas. À medida que aumentamos a quantidade de camadas eletrônicas, aumentamos o tamanho da eletrosfera, e consequentemente, do raio atômico.

Resumindo: de cima para baixo:

aumenta o n° de níveis → aumenta o tamanho da eletrosfera → aumenta R

Exemplos: R do lítio (Li) < R do sódio (Na) < R do potássio (K)

        R do silício (Si) < R do germânio (Ge) < R do estanho (Sn)

        R do hélio (He) < R do neônio (Ne) < R do argônio (Ar)

Agora, vamos ver exemplos nos movendo tanto pela família quanto pelo período. Para isso, ao invés de andar na vertical ou na horizontal, andaremos na diagonal (do canto superior direito para o canto inferior esquerdo):

R do oxigênio (O) < R do gálio (Ga) < R do tungstênio (W) < R do frâncio (Fr)

R do neônio (Ne) < R do enxofre (S) < R do paládio (Pd) < R do bário (Ba)

R do nitrogênio (N) < R do cobalto (Co) < R do molibdênio (Mo) < R do rádio (Ra)

Raio Atômico

Já sabemos que o átomo pode ganhar ou perder elétrons, transformando-se em ânions e cátions, respectivamente. Vamos ver agora como o raio varia com a transformação de um átomo em um íon.

Raio do Cátion

Quando um átomo perde algum elétron, a repulsão da nuvem eletrônica diminui, reduzindo o seu tamanho. Além disso, é bem provável que o átomo perca sua camada de valência e quanto menor a quantidade de níveis de energia, menor é o raio iônico. Portanto, o raio do cátion é menor do que o raio do átomo. Exemplos:



Raio do Ânion

Quando um átomo ganha algum elétron, a repulsão da nuvem eletrônica aumenta, aumentando o seu tamanho. Portanto, o raio do ânion é maior do que o raio do átomo. Exemplos:



Para um mesmo elemento:

Raio do cátion < Raio do átomo neutro < Raio do ânion

Elementos isoeletrônicos

Em uma série de isoeletrônicos, onde os átomos e íons apresentam mesma quantidade de elétrons, terá o maior raio o elemento que tiver menor número atômico (Z) ou menor quantidade de prótons.

Exemplo: Considere os seguintes elementos isoeletrônicos:

8O2-, 9F1-, 10Ne, 11Na1+ e 12Mg2+

De acordo com o número atômico, a ordem crescente de raio será:

12Mg2+ < 11Na1+ < 10Ne < 9F1- < 8O2-

Podemos ver que à medida que o número de prótons diminui, a carga nuclear que atrai os elétrons na eletrosfera também diminui, resultando no aumento do raio.


Exercícios

Exercício 1
(UDESC/2011)

De acordo com as propriedades periódicas dos elementos químicos, analise as proposições a seguir:

  • O tamanho do raio atômico dos elementos químicos cresce da direita para a esquerda nos períodos e cresce de cima para baixo nos grupos.
  • O tamanho do raio atômico dos elementos químicos cresce da esquerda para direita nos períodos, assim como a eletropositividade.
  • O iodo apresenta raio atômico menor do que o cloro.
  • O nitrogênio apresenta raio atômico maior do que o flúor.
  • Analise a alternativa correta.

    Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

    Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

    Carregando...