Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Cursos Técnicos

Qual é o melhor curso técnico para trabalhar na indústria?

* Texto escrito pela colaboradora Raíssa Albernoz

Você já ouviu falar em Indústria 4.0? De acordo com a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), ela é considerada a Quarta Revolução Industrial e está relacionada com as inovações tecnológicas da indústria global. Esse movimento está crescendo em todo o mundo e as empresas tendem a abraçá-lo nos próximos anos.

funcionário indústria curso técnico
Qual é o melhor curso técnico para trabalhar na indústria?

Mas por que estamos falando sobre a Indústria 4.0 em um texto sobre os melhores cursos técnicos para trabalhar com indústria?

Porque esse movimento global impacta diretamente na contratação de profissionais em todo o mundo, já que ele transforma a produção nas companhias.

Por isso, é importante estar atento a toda essa movimentação na hora de escolher em qual curso você irá se matricular.

Saiba mais:
O que é um curso técnico?
Quem pode fazer um curso técnico?

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) elaborou o Mapa do Trabalho Industrial 2019-2023, onde estima que o Brasil terá que preparar cerca de 10,5 milhões de trabalhadores da área industrial entre os níveis superior, técnico, qualificação profissional e aperfeiçoamento até 2023. Por isso, se você tem vontade de se profissionalizar nessa área, esse é o momento!

Bolsas para cursos técnicos


Na pesquisa divulgada, o Senai também aponta as áreas que terão mais oportunidades criadas até 2023, onde logística e transporte, metalmecânica, além de energia e telecomunicações são as mais promissoras.

Para ajudar você a entender melhor esse universo, nós contaremos aqui embaixo um pouco sobre oito cursos técnicos que fazem parte da área industrial. Olha só:

1. Técnico em Eletrônica

Além de instalar e fazer a manutenção de aparelhos e sistemas eletrônicos, o profissional dessa área desenvolve projetos com microcontroladores e microprocessadores e cuida do controle de qualidade e gestão.

Sua área de atuação é bastante ampla, já que ele pode trabalhar na instalação e manutenção de equipamentos e sistemas eletrônicos, em concessionárias de telecomunicações, empresas de informática, ou até mesmo participar de grupos de pesquisa em projetos da área ou em laboratórios de controle de qualidade e manutenção. Imaginava todas essas possibilidades?

Se você se interessou pelo curso, aqui vai mais uma informação para ficar de olho: o salário médio desse profissional é de R$ 2.022,30, de acordo com o site Catho e, para exercer a profissão, é necessário ser registrado no Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT).

2. Técnico em Eletrotécnica

Esse profissional cuida de todo o sistema eletrônico de potência, desde o projeto até a operação, além de cuidar de projetos de instalações elétricas industriais, prediais e residenciais e de sistemas de automação industrial. Também é função dele cuidar para que haja uso eficiente da energia elétrica e de fontes energéticas alternativas.

Com um campo de atuação similar ao do técnico em eletrônica, o técnico em eletrotécnica tem uma média salarial um pouco maior, recebendo mensalmente cerca de R$ 2.340,96.

O profissional também precisa ter registro no CFT para poder exercer a profissão.

3. Técnico em Desenvolvimento de Sistemas

Os sistemas com que esse profissional trabalha são um pouco diferentes: são sistemas computacionais. Para isso, ele trabalha com bancos de dados, utilizando uma linguagem de programação específica, além de realizar testes e elaborar documentação do sistema. 

O técnico em desenvolvimento de sistemas também aplica princípios e definição de análise de dados.

curso técnico desenvolvimento de sistemas
O técnico em desenvolvimento de sistemas é uma boa alternativa para trabalhar com análise de dados

4. Técnico em Segurança do Trabalho

Segurança é fundamental, não é mesmo? E com regras bastante rígidas, o Técnico em Segurança do trabalho tornou-se um profissional imprescindível para diversos tipos de empreendimentos: indústrias, hospitais, construção civil, instituições de ensino etc.

Leia também:
Quanto ganha um profissional com curso técnico?
Curso técnico EaD: tudo o que você precisa saber (e mais um pouco)

No dia a dia, ele busca identificar fatores de risco de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, promover eventos e capacitações da empresa, divulgar normas de segurança e higiene ocupacional, produzir relatórios, entre outras atividades. Por essas tarefas, o profissional tem o salário médio de R$ 2.645,47.

5. Técnico em Fabricação Mecânica

Com a área de atuação bastante focada na indústria, o Técnico em Fabricação Mecânica realiza todo o processo de fundição, usinagem convencional e computadorizada, caldeiraria e soldagem, participando desde o desenvolvimento de projetos até o controle das atividades.

E se o profissional quiser cursar o ensino superior após o técnico, ele pode escolher os cursos de engenharia mecânica ou metalúrgica para dar seguimento aos estudos na área.

6. Técnico em Telecomunicações

Um dos profissionais mais conhecidos da lista, o técnico em telecomunicações atua na elaboração de projetos, na instalação e na manutenção de sistemas de telecomunicação.

Ele pode trabalhar na Indústria de telecomunicações, além de empresas de telefonia fixa, móvel e também de radiodifusão. O salário médio desse profissional é de R$ 1.853,00.

7. Técnico em Transporte Rodoviário

Para esse profissional, a vida é uma estrada! Ele deve gostar de logística, para organizar e controlar o tráfego rodoviário e o transporte de passageiros, e planejar e distribuir pessoal ou cargas. Ele também deve aplicar as leis de trânsito de veículos e transporte de passageiros, então legislação também deve estar entre seus assuntos favoritos.

Entre as empresas onde esse profissional pode trabalhar estão companhias de operação e gestão de vias rodoviárias, ferroviárias e dutovias, de transporte urbano e de cargas.

8. Técnico em Edificações

Trabalhando em empresas da área de construção civil, esse profissional participa de projetos de edificações, executando o planejamento, o desenvolvimento e realizando até a execução. Com salário médio de R$ 2.480,00, ele pode atuar em empresas de construção, escritórios da área ou mesmo em canteiros de obras. Para atuar como técnico em edificações, o profissional também deve ser registrado no CFT.

Saiba mais:
5 motivos convincentes para fazer um curso técnico.
Como incluir o curso técnico em seu currículo?

Quer uma bolsa de estudos para um curso técnico na área da Indústria?

Se você se identificou com os cursos relacionados à Indústria e quer começar a cursar o quanto antes o ensino técnico, acesse o Quero Bolsa e procure pela profissão que chamou a sua atenção. Na plataforma, você pode encontrar bolsas de estudo de até 80% para todo o curso! Aproveite para garantir a sua no botão abaixo:

Bolsas para cursos técnicos

Onde fazer um curso técnico?

Sabemos que existem muitas opções de instituições de ensino que oferecem cursos técnicos de alta qualidade. Para ajudar na sua busca, o Quero Bolsa elencou aqui embaixo algumas instituições que oferecem esse tipo de formação:

banner image banner image

O que você achou deste artigo?

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2020 CNPJ: 10.542.212/0001-54