Whatsapp Icon 0800 123 2222
Envie mensagem ou ligue

Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
História do Brasil

Plano Collor

Gabriela Botelho
Publicado por Gabriela Botelho
Última atualização: 24/5/2019

Introdução

Introdução

Plano Collor foi um conjunto de medidas econômicas adotadas pelo governo de Fernando Collor de Mello (1990 – 1992). Este pacote econômico tinha o objetivo de controlar a hiperinflação da época, que chegou a 1.972% ao ano em 1989 (para efeitos de comparação, a inflação de 2015, considerada alta, foi 10,67%). 

Imagem de Collor em carro aberto durante a sua posse. - Imagem por Agência Brasil, CC3.0, via Wikimedia Commons.

Sucintamente, pode-se dizer que o Plano Collor não atingiu seu objetivo, pois a inflação permaneceu sem controle. A economia seria estabilizada apenas em 1994, no governo de Itamar Franco (1992 - 1994), com a implementação do Plano Real.

Contexto histórico

Para compreender o Plano Collor e o porquê de sua existência, é preciso analisar a economia brasileira nas décadas anteriores à implementação desse pacote econômico.

No período compreendido entre 1968 e 1973, ainda durante a Ditadura Militar, a economia brasileira sofreu notável crescimento. A inflação, que em 1968 foi de 25,49%, caiu para 15,54% em 1973, e o PIB, que cresceu 9,8% em 1968 (já considerado um crescimento grande), aumentou 14% em 1973. 

Esses bons resultados econômicos (chamado de “Milagre Econômico”) foram utilizados politicamente para desviar a atenção da população da violência do regime aos seus opositores.

No entanto, o “Milagre” foi alcançado às custas da tomada de grandes empréstimos, o que fez a dívida pública disparar. Além disso, em 1973 houve a Crise do Petróleo, durante a qual o preço do barril do petróleo aumentou mais de 400%. Vale lembrar que, à época, cerca de 85% do petróleo consumido no Brasil era importado, o que contribuiu ainda mais para o aumento da dívida pública.

Desta maneira, a partir de 1974, a inflação passou a crescer vigorosamente, atingindo 242,24% em 1985. A taxa de crescimento do PIB, por sua vez, conseguiu se manter em torno de 8% ao ano, porém com anos atípicos de crescimento baixo (0,8%, em 1982) e até mesmo recessão (-4,3% em 1981 e -2,9% em 1983). 

Em 1974, sofrendo pressão de diversos setores da sociedade devido à violência do regime e, posteriormente, ao descontrole da inflação e da dívida pública, deu-se início à abertura política que culminou com a redemocratização, em 1985.

O presidente empossado em 1985, José Sarney, formulou, em conjunto com diferentes Ministros da Economia, Fazenda e Planejamento, diversos Planos Econômicos: 

  • Plano Cruzado I
  • Plano Cruzado II
  • Plano Bresser
  • Plano Verão.

Nenhum deles surtiu efeito a longo prazo. Em 1989, último ano do governo Sarney, a inflação anual atingiu 1.972,91%.

Plano Collor

Em 1990, Fernando Collor de Mello foi empossado como Presidente. Durante seu mandato, foram implementados três Planos Econômicos distintos: 

  • Plano Collor I
  • Plano Collor II 
  • Plano Marcílio

No entanto, o termo “Plano Collor” costuma ser utilizado genericamente para se referir ao conjunto de medidas econômicas adotadas durante o governo daquele presidente. O Plano Collor tinha caráter neoliberal.

Plano Collor I, anunciado assim que o presidente tomou posse, teve como principais características:

  • Confisco” (congelamento por 18 meses) do valor que excedesse 50 mil cruzeiros da poupança dos brasileiros;
  • Criação do IOF, Imposto sobre Operações Financeiras;
  • Abertura ao mercado externo e fim de subsídios estatais;
  • Demissão em massa de funcionários públicos;
  • Congelamento de preços e salários.
  • Privatização de empresas estatais

Apesar de ter surtido efeito parcial no curto prazo (a inflação mensal passou de 82,4% em março para 7,6% em maio de 1990, o que ainda é uma taxa elevada), o Plano Collor I foi um fracasso: além de não conseguir conter a inflação, esse pacote econômico foi extremamente impopular, principalmente devido ao chamado “confisco” de parte do valor depositado na poupança dos brasileiros.

Em fevereiro de 1991, com as taxas de inflação mensais já próximas aos 20%, o Plano Collor II foi lançadoEle previa, dentre outras medidas, novos congelamentos de preços e o fim das operações de overnight (prática de depositar dinheiro em um dia e retirá-lo no dia seguinte, com um determinado lucro), as quais foram substituídas pelo Fundo de Aplicações Financeiras (criada pelo mesmo Plano).

Em maio de 1991com o insucesso do Plano Collor II (a taxa mensal de inflação naquele mês foi 7,4%), foi lançado o Plano Marcílio (nome do Ministro da Economia, Fazenda e Planejamento da época). Este foi o Plano menos radical dos três, mas também o que gerou menos efeitos: durante o tempo em que este pacote econômico ficou ativo, a inflação continuou a subir, alcançando 40% às vésperas da implementação do Plano Real.

Conclusão

A política econômica do governo Collor foi traumática para o Brasil. Ainda assim, o Plano Collor não obteve sucesso na redução da taxa de inflação. A impopularidade das medidas tomadas pelo presidente, somadas à crise econômica e ao escândalo de corrupção envolvendo Collor culminaram com o seu impeachment, sob forte pressão popular, no dia 29 de dezembro de 1992. 

Com sua queda, assume o vice-presidente Itamar Franco, cujo Ministro de Estado da Fazenda era Fernando Henrique CardosoFHC então implementou o Plano Real em março de 1994que atingiu êxito em controlar a inflação, colocando fim a uma crise econômica de 20 anos. 

O capital político adquirido por FHC ao conseguir controlar a economia permitiu que ele se elegesse presidente do Brasil, em 1995.

Referências

Livro 4. Ciências Humanas e suas tecnologias, História Integrada, Coleção Objetivo.

http://www.r7.com/r7/media/2014/20140331-info-ditadura/20140331-info-ditadura.html

https://oglobo.globo.com/economia/historico-da-divida-externa-no-brasil-3626195

https://www.maisjuridico.com.br/consulta30.php?indice=ipca

https://pt.wikipedia.org/wiki/Plano_Collor


Exercícios

Exercício 1
(UFPE)

A eleição de Fernando Collor, para o cargo de Presidente da República derrotando Luís Inácio Lula da Silva e o Partido dos Trabalhadores, movimentou politicamente o Brasil. O governo de Fernando Collor:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...