Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Biologia

Segunda Lei de Mendel

Jéssica Maciel
Publicado por Jéssica Maciel
Última atualização: 12/6/2019

Introdução

Gregor Mendel (1822 - 1884) foi um monge estudioso da genética a partir de experiências de cruzamento de ervilhas. No jardim do mosteiro de Brno, na República Tcheca, Mendel cultivava ervilhas e fazia o cruzamento dessas plantas, assim, observava a distribuição de características, como cor e rugosidade das sementes. Por razão de seus estudos, duas importantes leis foram atribuídas a Mendel: a Primeira Lei de Mendel e a Segunda Lei de Mendel. 

A Segunda Lei de Mendel diz respeito a alguns aspectos da genética estudada por Mendel. É conhecida por Lei da Segregação Independente e estabelece que alelos para duas ou mais características se distribuem no momento da formação dos gametas e que, além disso, se combinam de maneira completamente aleatória. Para postular isso, foi necessário que o pesquisador estudasse dois caracteres ao mesmo tempo

O objeto dessa lei envolve, portanto, dois ou mais caracteres - sendo, dessa forma, denominado diibridismo, triibridismo, ou poliibridismo, de acordo com a quantidade de caracteres envolvidos.

Usando como exemplo o genótipo AaBb, e considerando a Segunda Lei de Mendel, é possível prever que esse genótipo gerará quatro diferentes gametas: AB, Ab, aB, ab. Cada um desses gametas, obrigatoriamente, terá um gene do primeiro genótipo e um gene do segundo genótipo.  

Experimentos

Em um dos seus famosos experimentos, o pesquisador considerou, assim como na Primeira Lei de Mendel, ervilhas puras. Além disso, ele observou duas características: a cor das sementes, representada pelo genótipo Vv, e a textura delas, representada pelo genótipo Rr. Mendel observou que as ervilhas apresentavam variação de cor, amarela ou verde, e de textura, lisa ou rugosa, sendo que a cor amarela e a textura lisa eram as dominantes. 

Ao cruzar duas plantas homozigotas, uma com as características dominantes, amarela lisa (VVRR), e outra com as características recessivas, verde rugosa (vvrr), Mendel pôde verificar que todos os descendentes da geração F1 apresentavam cor amarela e textura lisa. Além disso, que eram heterozigotos (VvRr).

Quando experimentou a autofecundação da geração F1, uma segunda geração, F2, foi obtida, apresentando quatro tipos diferentes de semente: amarelas lisas, amarelas rugosas, verdes lisas e verdes rugosas. 

Quadro de Punnett, exemplificando a Segunda Lei de Mendel.

Na proporção fenotípica, pôde-se observar 9 sementes amarelas lisas, 3 sementes amarelas rugosas, 3 sementes verdes lisas e uma semente verde rugosa. Isso configura a proporção fenotípica padrão da Segunda Lei de Mendel, 9:3:3:1, no cruzamento entre heterozigotos.

A conclusão de Mendel, com esses experimentos, foi que os fatores se segregam de maneira independente para características diferentes. Só após a separação é que são combinadas ao acaso.

Segregação independente de 3 pares de alelos

Quando Mendel estudou simultaneamente 3 pares de características, conseguiu verificar a distribuição dos indivíduos da F2 em outra proporção padrão: 27:9:9:9:3:3:3:1. Dessa forma, pôde concluir que os genes para as 3 características estudadas se segregam independentemente dos indivíduos F1 e, então, originam 8 tipos de gametas. 

Em um dos experimentos para 3 características, Mendel considerou, além da cor da semente (amarela ou verde), e da textura da casca (lisa ou rugosa), a cor da casca da semente (branca ou cinza).

Dali, foi possível perceber que, ao cruzar uma planta originada de semente homozigota dominante para as três características (cinza, lisa e amarela), e uma outra planta originada de traços recessivos (branca, rugosa e verde), obtém-se apenas ervilhas de fenótipo dominante, ou seja, amarelas, lisas e cinza. São indivíduos heterozigotos para os três pares de genes (VvRrBb).

A combinação dos gametas produzidos pelas plantas da primeira geração F1 tem como resultado 64 combinações possíveis e, portanto, origina 8 tipos diferentes de genótipos


Exercícios

Exercício 1
(ENEM/2013)

A mosca Drosophila, conhecida como mosca-das-frutas, é bastante estudada no meio acadêmico pelos geneticistas. Dois caracteres estão entre os mais estudados: tamanho da asa e cor do corpo, cada um condicionado por gene autossômico. E se tratando do tamanho da asa, a característica asa vestigial é recessiva e a característica asa longa, dominante. Em relação à cor do indivíduo, a coloração cinza é recessiva e a cor preta, dominante.

Em um experimento, foi realizado um cruzamento entre indivíduos heterozigotos para os dois caracteres, do qual foram geradas 288 moscas. Dessas, qual é a quantidade esperada de moscas que apresentam o mesmo fenótipo dos indivíduos parentais?

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...