Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Literatura

Clara dos Anjos

Alanis Zambrini
Publicado por Alanis Zambrini
Última atualização: 9/1/2019

Introdução

Clara dos Anjos” é um romance escrito por Lima Barreto, concluído em 1922 (ano da morte do autor) e publicado em 1948. A obra pertence ao pré-modernismo e traz consigo uma forte crítica social, principalmente ao denunciar o racismo, a misoginia e a desigualdade social presentes no Brasil.

Vemos em “Clara dos Anjos” o preconceito contra a mulher, que era ensinada a entrar no mercado casamenteiro da época e, se não se casasse, sofria muito com a violência e o abandono.

Além dessas características, temos o uso de uma linguagem mais simples, muito próxima da linguagem falada, trazendo consigo um certo humor e até mesmo ironia

Resumo

“Clara dos Anjos” é um livro narrado em terceira pessoa, por um narrador onisciente e onipresente, que, às vezes, acaba intervindo na narrativa, nos fazendo confundir sua fala com a fala de Clara.

Além disso, a história se passa no Rio de Janeiro no início do século XX, onde podemos acompanhar a vida de Clara, uma mulata de dezessete anos que vive com seu pai, Joaquim dos Anjos (que era flautista e carteiro) e sua mãe, Engrácia.

A família vive num casebre muito simples no subúrbio do Rio, pois eram pobres e não tinham condição de viver em uma casa maior. Tinham muitos vizinhos, e sempre visitavam Antônio da Silva Marramaque, padrinho de Clara, muito simpático com todos.

Logo sabemos que Clara é a única filha sobrevivente do casal, pois seus irmãos morreram cedo e não sabemos o que aconteceu com eles. Porém, apesar de todos os empecilhos, a menina sempre recebeu uma educação boa e era tratada bem pelos pais.

Porém, tudo muda quando Lafões, amigo de Joaquim, sugere que o aniversário de Clara seja comemorado com música, e traz para a casa da família o músico Cassi Jones

Logo ficamos sabendo que os dois haviam se conhecido na prisão e que Cassi ajudou Lafões a ser solto, e também vemos que Cassi não presta, pois havia saído com várias mulheres casadas e havia deflorado várias meninas, principalmente as negras ou mulatas pobres, valendo-se de sua condição social um pouco melhor. Assim, podemos ver que Cassi é o maior sedutor de “Clara dos Anjos”.

No dia do aniversário de Clara, Cassi alegra todos com sua música e logo se interessa pela aniversariante. Engrácia, percebendo a intenção do jovem, pede ao marido que nunca mais traga o rapaz para a casa deles, pedido que Joaquim aceita.

Porém, como Clara havia recebido uma educação de superproteção, não tinha nenhuma experiência com a vida, sendo muito ingênua e fácil de enganar. Por exemplo, ela nunca percebeu o preconceito racial que envolvia Cassi, pois naquela época não era bem visto uma mulata ou negra se casar com um homem branco.

Assim, Cassi foi conquistando a moça devagar, mandando algumas cartas de amor e fazendo visitas descompromissadas em sua casa, apesar dos pais não aprovarem essas visitas. Por fim, Clara acaba se entregando e perde sua virgindade para ele.

Marramaque acaba percebendo a situação e tenta defender sua afilhada, mas é brutalmente assassinado por Cassi e alguns capangas. O rapaz chega a confessar o crime para Clara, que o perdoa, pensando ser um ato de amor, estando totalmente iludida pelo rapaz e achando que ele a amava e iria se casar com ela.

Depois de um tempo, ela descobre que está grávida, e quando conta a notícia para Cassi, o rapaz a abandona e a deixa desamparada. Clara, antes de abortar, resolver seguir o conselho de sua mãe e ir conversar com a mãe do rapaz, Salustiana, para ver se conseguia alguma reparação pelo que o filho havia feito a ela.

Porém, chegando na casa de Salustiana, é maltratada e humilhada por conta de sua cor de pele e sua condição social. Assim, a mulher defende o filho com todas as forças, e coloca a culpa em Clara pela gravidez indesejada.

O final de “Clara dos Anjos” é triste: Clara acaba se desiludindo e percebe sua condição de mulher, mulata, pobre e oprimida, e acaba falando para sua mãe que “nós não somos nada nessa vida”, ao ver o preconceito e o abandono que havia sofrido.

Personagens Principais

Clara dos Anjos

Protagonista do romance, é uma menina jovem, pobre e mulata. Foi sempre superprotegida pelos pais, e acaba sendo muito ingênua e inocente, o que faz com que ela seja enganada por Cassi e perca sua virgindade para ele.

Joaquim dos Anjos

Pai de Clara, é carteiro e um exímio tocador de flauta. Amava compor diversas modinhas e outros tipos de música.

Engrácia

Mãe de Clara, é uma dona de casa muito dedicada a sua família e a sua filha. Aconselha a filha a procurar a mãe de Cassi para pedir uma compensação pela gravidez da menina.

Cassi Jones de Azevedo

Sedutor e malandro, é um homem branco, novo e com uma condição social melhor. Acaba enganando Clara, e depois que engravida a moça, desaparece e a deixa sozinha.

Antônio da Silva Marramaque

Padrinho de Clara, é um grande amigo de Joaquim e defende sua afilhada com unhas e dentes. Acaba sendo assassinado por Cassi e seus capangas quando tenta defender Clara.

Salustiana Baeta de Azevedo

Mãe de Cassi, acoberta todos os malfeitos do filho e acaba humilhando Clara quando esta vai pedir uma compensação pela sua gravidez, com frases racistas e preconceituosas.


Exercícios

Exercício 1
(FUVEST)

A obra de Lima Barreto:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...