Info Icon Ajuda Help Icon Ajuda
Literatura

O Guarani

Alanis Zambrini
Publicado por Alanis Zambrini
Última atualização: 9/1/2019

Introdução

“O Guarani” é um romance escrito por José de Alencar, feito em folhetim no jornal “Diário do Rio de Janeiro” e publicado em 1857. Faz parte da trilogia indianista do autor, junto com “Iracema” e “Ubirajara”, ou seja, pertence à primeira geração do romantismo, contando com uma escrita muito descritiva e idealista

É uma obra muito importante, e ganhou muitas adaptações depois de sua publicação, como filmes, ópera, histórias em quadrinhos e literatura de cordel. Sua temática principal mostra os conflitos e a aproximação entre a cultura indígena e a cultura branca.

Resumo

“O Guarani” é narrado em terceira pessoa, por um narrador onisciente e onipresente e se passa no início do século XVII. A história começa com a apresentação da família de D. Antônio de Mariz, fidalgo português que decide morar no interior do Rio de Janeiro e que é totalmente a favor do poder português na colônia.

A família de D. Antônio conta com sua esposa, D. Lauriana, uma bela dama paulista, e seus dois filhos: D. Diogo de Mariz, que queria seguir os passos do pai, e D. Cecília, uma moça muito meiga, chamada carinhosamente de Ceci. Além deles, havia ainda D. Isabel, filha que D. Antônio teve fora do casamento com uma índia local, e que era tratada como uma sobrinha pela família.

Na fazenda da família, Antônio acaba conhecendo Peri, um índio da tribo dos Goitacases, que logo faz amizade com o fidalgo e se apaixona por Ceci depois de salvá-la de um ataque. Depois desse ato de bravura, Peri começa a morar com a família e faz todas as vontades da moça que ama. Porém, ele não era o único que estava apaixonado por Ceci, pois Álvaro Sá, amigo da família, também amava a moça, lhe dando muitos presentes.

Cecília não tinha o menor interesse por Álvaro e o evitava a todo custo, porém Isabel estava apaixonada pelo homem, que não a enxergava por estar cego com seu amor por Ceci. 

Assim, na obra temos um conjunto de amores não correspondidos, que formam diversos conflitos entre os personagens durante todo “O Guarani”.

Em meio a isso, a família é ameaçada por Loredano, que queria incendiar a fazenda de Antônio, roubar sua fortuna e sua filha. Porém, Peri consegue evitar o incêndio, e todos descobrem a traição de Loredano, que acaba sendo preso e queimado numa fogueira.

Além disso, Diogo acaba matando sem intenção uma índia da tribo Aimoré, e com isso, desperta a raiva de toda a tribo, que decide atacar a fazenda e tentar matar todos que estivessem lá.

Peri, ao ver que Ceci estava em perigo, decide fazer um grande sacrifício para salvá-la. Ele toma um veneno e vai para o combate com os Aimoré. A ideia de Peri era a seguinte: como os Aimorés eram antropófagos (comiam seus inimigos para adquirirem força e coragem), ele iria ser morto e comido pelos índios, que iriam morrer por causa do veneno que Peri havia tomado e que estaria na sua carne.

Porém, Álvaro consegue saber dos planos de Peri e salva o índio, se machucando na batalha contra a outra tribo. Ao ver o amado quase morrendo, Isabel tenta se matar, mas acaba vendo que poderia salvar Álvaro. Porém, o homem não deixa que ela o salve, e ambos morrem juntos.

Em meio a tudo isso, Cecília descobre sobre o envenenamento de Peri, e pede a ele que viva, pois não queria perdê-lo. Assim, o índio consegue fazer um antídoto feito de ervas e sobrevive.

Com o ataque ainda acontecendo, Antônio batiza Peri como cristão e pede que ele fuja com Ceci. Quando o índio está levando a moça desacordada em seus braços, vê que Antônio explode sua casa, matando todos que estavam dentro dela.

Durante vários dias, o casal foge sem um destino certo, e no meio do caminho, acabam sendo tomados de surpresa por uma tempestade, que se transforma em um dilúvio.

Eles se abrigam no topo de uma palmeira, e Peri conta para Ceci a lenda indígena de Tamandaré e sua esposa, que se salvaram de um dilúvio abrigando-se na copa de uma palmeira desprendida da terra e comendo seus frutos até que puderam descer, povoando toda a Terra com seus descendentes.

Depois que Peri conta essa história, as águas começam a subir, e Ceci se desespera, pois acredita que aquela é a hora em que vai morrer.

No meio da enchente, com uma força incrível, Peri consegue arrancar a palmeira e fazer dela uma canoa, para que possam continuar pelo rio.

Assim, temos o final de “O Guarani”: Peri e Cecília acabam repetindo a lenda de Tamandaré e sua esposa, ao cruzarem as águas com a canoa feita da palmeira que Peri arrancou da terra.

Por que esses nomes?

No livro “O Guarani”, os nomes dizem muitas coisas para o leitor. Devemos nos atentar aos nomes de Ceci e de Peri, protagonistas da história, e portanto, muito importantes durante todo o enredo. 

O nome de Peri vem da palavra tupi antiga piripiri, nome de uma espécie de junco, planta que cresce em áreas de alagamento, o que pode ser relacionado com o final do livro, em que há a enchente que ameaça o casal.

Já o nome de Ceci vem do termo sasy, também do tupi antigo, que significa “a dor dele”. Esse nome é muito simbólico, pois mostra toda a dor de Peri ao ver que seu amor por Cecília não é correspondido, apesar de tudo o que ele faz pela moça.

Personagens Principais

Peri

Índio muito bravo e valente, é o protagonista e herói de “O Guarani”. É muito apaixonado por Ceci e faz de tudo para salvá-la e salvar sua família.

Cecília (Ceci)

Moça meiga e travessa, é protagonista e heroína do livro, filha de Antônio e Lauriana. É cortejada por Álvaro e por Peri, mas não corresponde o amor de nenhum dos dois.

D. Antônio de Mariz

Fidalgo português, se instala com sua família no interior do Rio de Janeiro. É marido de Lauriana e pai de Ceci, Diogo e Isabel.

D. Lauriana

Dama paulistana, esposa de Antônio e mãe de Ceci e Diogo.

D. Diogo

Filho de Antônio, deseja seguir os passos do pai. Acaba matando uma índia Aimoré, o que causa um ataque à fazenda da família.

Isabel

Filha que Antônio teve fora do casamento, é tratada como uma sobrinha pela família e é apaixonada por Álvaro.

Álvaro de Sá

Amigo de longa data da família, é perdidamente apaixonado por Ceci, e tenta fazer de tudo para que a moça corresponda seu amor.

Loredano

Empregado da fazenda de Antônio, é o vilão da história, e tenta raptar Ceci e roubar seu chefe. Porém, acaba sendo derrotado no final, levado para a prisão e queimado numa fogueira.


Exercícios

Exercício 1
(FUVEST)

“Assim, o amor se transformava tão completamente nessas organizações*, que apresentava três sentimentos bem distintos: um era uma loucura, o outro uma paixão, o último uma religião.

............ desejava; ............. amava; .............. adorava.” (*organizações = personalidades)

Neste excerto de O Guarani, o narrador caracteriza os diferentes tipos de amor que três personagens masculinas sentem por Ceci. Mantida a seqüência, os trechos pontilhados serão preenchidos corretamente com os nomes de:

Ilustração: Rapaz corpulento de camiseta, short e tênis acenando

Inscreva-se abaixo e receba novidades sobre o Enem, Sisu, Prouni e Fies:

Carregando...