Sobre
Sobre
Como funciona
Como funciona o Quero Bolsa?
Ligue grátis
0800
0800 941 3000
Seg - Sex 8h-22h
Sábado 9h-13h
Aceitamos ligação de celular
banner image banner image
Vestibular e Enem

Agrotóxicos: argumentos prós e contras para citar na redação do Enem

por Giovana Murça em 29/08/19 14 mil visualizações

Atualizado em 24/07/2020

O Brasil é considerado o campeão mundial no consumo de agrotóxicos. Os agrotóxicos são produtos químicos que tem a função de matar pragas e doenças que prejudicam as lavouras. Seu uso popularizou-se na década de 1960, com a Revolução Verde, um movimento de modernização na agricultura com novas tecnologias visando o aumento da produtividade.

Plano de Estudo Enem 2020: Baixe gratuitamente o plano desse mês

Agrotóxicos x Defensivos agrícolas

Como o nome já diz, agrotóxico é uma palavra que assusta os consumidores e seu uso exagerado tem causado muita polêmica e discussão. De um lado estão parte dos consumidores e pequenos produtores que condenam o uso dos agrotóxicos pelos males à saúde e natureza e, de outro, estão os representantes do agronegócio que defendem seu uso para manter a produtividade das colheitas e os chamam de defensivos agrícolas.

Um exemplo do movimento contrário aos agrotóxicos é o documentário “O veneno está sobre nossa mesa” que questiona o uso abusivo de agrotóxicos na agricultura brasileira, o porquê a situação é preocupante e reflete sobre possíveis soluções.

Já o jornalista Nicholas Vital, autor do livro “Agradeça aos agrotóxicos por estar vivo”, critica a intitulação agrotóxico, termo legal e definido pela legislação brasileira. Em seu livro, ele esclarece que os agroquímicos ou praguicidas são como remédios usados por humanos, mas voltados para as doenças das plantas e defende a importância do seu uso.

Veja: 15 documentários que você precisa assistir antes do Enem

PL do veneno

O projeto de lei nº 6.299/2002, conhecido como o PL do veneno, reacendeu as discussões. O projeto altera as regras para o uso de agrotóxicos no Brasil. Os contrários aos agrotóxicos criticam que o projeto flexibiliza demais as regras e fiscalização. Já os favoráveis defendem que o projeto pode desburocratizar os processos. Atualmente, o projeto de lei está parado, mas pronto para ser votado em plenário.

Saiba argumentar

Com o assunto em alta, agrotóxicos são um possível tema de redação no Enem e outros vestibulares. Na maioria dos vestibulares, é exigido um texto dissertativo-argumentativo, no qual você deve defender suas ideias por meio de argumentos baseados em dados. 

Leia: Posse e porte de arma de fogo no Brasil: saiba como argumentar na redação do Enem

Para você se preparar para sua redação, a Revista Quero reuniu os principais argumentos prós e contras agrotóxicos. As nomeações também podem ser usados ao seu favor: os contrários utilizam o nome agrotóxicos e os favoráveis usam o termo defensivos agrícolas. Confira!

Alto consumo de agrotóxicos no Brasil

Contra: Desde 2008, o Brasil lidera o mercado mundial de agrotóxicos e é campeão no consumo desses produtos no mundo. De acordo com a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), o brasileiro consome cerca de 7,6 litros de agrotóxico por ano em números brutos, incluindo plantações que não dão origens a alimentos.

agrotóxicos enem
(AlfRibeiro/Fotolia)

Pró: O uso de defensivos agrícolas no Brasil é alto porque o país é um grande produtor, considerado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura como o terceiro maior exportador agrícola do mundo, responsável por 5,7% da produção agrícola mundial. Por conta do clima tropical, o país pode produzir mais safras por ano. Além disso, ao dividir o total de defensivos agrícolas consumidos pela quantidade de hectares de área plantada, o Brasil fica em 7º lugar. Enquanto o Brasil gasta US$ 137 em defensivos agrícolas por hectare, o Japão, em 1º no ranking, consome mais de US$ 1.100 por área cultivada.

Leia: Redação Enem: 5 propostas com o tema meio ambiente

Aumento no uso de agrotóxicos

Contra: Dados do Ministério da Agricultura e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) mostram que, entre 2000 e 2014, o uso de agrotóxicos aumentou 135% no Brasil. De acordo com o Relatório Nacional de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos do Ministério da Saúde, entre 2007 e 2013, a venda de agrotóxicos aumentou 90,5%. Entretanto, nesse mesmo período, a área plantada cresceu apenas 19,5%. O crescimento desproporcional sugere que a população brasileira esteja mais exposta à contaminação dos agrotóxicos. 

Pró: Um dos principais fatores de crescimento da agricultura é o crescimento populacional. A população mundial deve chegar a 9,7 bilhões de pessoas em 2050, diz a ONU. Já no Brasil, a população chegará a mais de 130 milhões de pessoas até 2047, segundo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A agricultura brasileira cresceu mais de 6 vezes de 1975 até 2017 e deve crescer mais, já que muitos dos seus produtos alimentam não só o Brasil, sendo exportados para o mundo. Quanto maior o setor agrícola, maior será o uso de defensivos agrícolas. 

agrotóxicos
Laranjal em Avaré, São Paulo (José Reynaldo da Fonseca/WikimediaCommons)

Riscos à saúde

Contra: A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou em 2018 que os agrotóxicos e outras substâncias químicas matam 193 mil pessoas no mundo por ano. A ONU também afirma que os agrotóxicos estão relacionados com doenças como arritmias cardíacas, lesões renais, câncer, alergias respiratórias, doença de Parkinson, fibrose pulmonar, entre outras. No Brasil, estudos na Chapada do Apodi, Ceará, e na Universidade Federal do Mato Grosso já mostraram consequências negativas dos agrotóxicos para a saúde humana.

Leia: Desmatamento da Amazônia: Tudo o que você precisa saber para o Enem

Pró: Antes de serem comercializados, os defensivos agrícolas passam por testes em laboratório e os que apresentarem riscos à saúde, como possibilidade de causar câncer, má-formação de fetos, alterações no DNA ou hormonais, são proibidos pela legislação atual. Segundo dados do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) da Anvisa, de 2013 a 2015, 98,89% das amostras não foram identificadas situações de potencial risco agudo e 80,3% das amostras foram satisfatórias, sem resíduos irregulares.

Riscos de intoxicação

Contra: De acordo com o Relatório Nacional de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos, publicado em 2018, foram notificados mais de 84 mil casos de intoxicação por agrotóxico entre 2007 e 2015 em unidades de saúde das redes pública e privada. Além disso, nesse período, essas intoxicações cresceram 139%, por conta do aumento da comercialização de agrotóxicos e melhoria na atuação da vigilância e assistência à saúde.

agrotóxicos enem
(comzeal/Fotolia)

Pró: Segundo dados do Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (Sinitox), do Ministério da Saúde, do total de 42.127 casos de intoxicação humana em 2013, somente 4,23% eram por defensivos agrícolas. Além disso, metade desses casos foram tentativas de suicídio, ou seja, não aconteceram no campo. Já no caso das intoxicações no campo, a maioria acontece por falta do uso ou manuseio incorreto dos equipamentos de proteção e utilização indevida dos defensivos.

Proibições em outros países

Contra: A atual lei que regulamenta os agrotóxicos no Brasil é mais permissiva que as leis de outros países. Segundo o atlas “Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia”, da geógrafa Larissa Lombardi, dos 504 tipos de agrotóxico permitidos no Brasil, 30% são proibidos na Europa pelos riscos comprovados à saúde.

agrotóxicos enem
(Budimir Jevtic/Fotolia)

Pró: Todos os defensivos agrícolas brasileiros passam por anos de estudos e testes em laboratórios antes de serem comercializados e precisam ser aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Agricultura e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), num processo demorado e burocrático. Para circular no mercado interno ou externo, assim como os medicamentos, cada produto agrícola precisa de uma receita, chamada receituário agronômico, que é feita por um engenheiro agrônomo.

Riscos à natureza

Contra: Além da contaminação dos alimentos, do solo e das águas, o uso de agrotóxicos altera um processo natural e pode empobrecer o solo, fazendo com que se expanda as áreas cultivadas e se desmate mais. Além disso, boa parte das sementes disponíveis no mercado são modificadas e já dependentes dos agrotóxicos, fazendo com que os agricultores dependam desses químicos em suas plantações.

agrotóxicos brasil
Agricultura familiar (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Pró: Os produtores agrícolas precisam usar defensivos agrícolas para garantir o crescimento das plantações e a produtividade das colheitas. De acordo com o livro "Defesa Vegetal - Fundamentos, Ferramentas, Políticas e Perspectivas”, as perdas por doenças e pragas podem chegar a R$ 55 bilhões por ano. Ao garantir a produtividade, os defensivos permitem que se produza mais com espaço e tempo menores, evitando mais desmatamento.

Alimentos orgânicos x Produtividade

Contra: O ideal seria o consumo de alimentos orgânicos, que não utilizam agrotóxicos e incentivam e fortalecem a produção local e familiar de pequenos agricultores. Os alimentos orgânicos são mais sustentáveis, saborosos e saudáveis. Os alimentos são mais caros pois demoram mais para produzir e não têm incentivos governamentais.

agrotóxicos enem
5ª Semana de Alimentos Orgânicos (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Pró: Os alimentos orgânicos são muito caros e representam menos de 1% do mercado de alimentos no Brasil. O uso dos defensivos agrícolas garante a produtividade das lavouras e o menor custo. Além de evitar perda de alimentos, os defensivos mantém a qualidade dos produtos. Segundo o jornalista Nicholas Vital, no seu livro “Agradeça aos agrotóxicos por estar vivo”, os alimentos orgânicos não têm vantagens em relação aos convencionais, mas viraram moda graças às campanhas contra os agrotóxicos.


Guia sobre a Redação do Enem

Ainda não sabe escrever uma redação para o Enem? Confira dicas valiosas para você arrasar na redação no Guia sobre a Redação do Enem. Para baixar o e-book, é só clicar aqui.

banner image banner image

O que você achou deste artigo?

ALERTA DE VAGAS i-close
Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
ALERTA DE VAGAS i-close
Descubra qual profissão mais se encaixa com você.

Não fique na dúvida sobre o seu futuro. Faça o Teste Vocacional do Quero Bolsa.

ALERTA DE VAGAS i-close
Nós podemos te ajudar Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

Aqui no Quero Bolsa você compare vagas com bolsa em mais de 1.000 faculdades

Preencha os campos abaixo para receber avisos de vagas disponíveis em nosso site de acordo com seus interesses.

ALERTA DE VAGAS i-close
Deixe seus contatos Mailbox 3aaacb172f1a1e1ba19b2e93f60f637592c84194967e63e952c08d3cb04fa7a8
ALERTA DE VAGAS i-close
Falta só mais um passo! Raised hands 93ba2838e7c9b110e7b370ddadc1892902fe94722a836c919cb013fa7ced527d

As nossas melhores vagas chegam de surpresa. Por isso fique ligado.

Com a sua confirmação enviaremos ofertas exclusivas diretamente no seu Whatsapp. Rápido, fácil, prático e na tela do seu celular.

CENTRAL DE AJUDA i-close
Como podemos te ajudar?

Gostaria de saber como o Quero Bolsa funciona e se o site é confiável.

Veja as perguntas frequentes

Quero receber vagas de acordo com meus interesses diretamente em meu e-mail e WhatsApp.

Tá na dúvida? Preencha suas preferências que a gente te ajuda a achar sua vaga ideal.
i-close

Se por algum motivo você não utilizar a nossa bolsa de estudos, devolveremos o valor pago ao Quero Bolsa.

Você pode trocar por outro curso ou pedir reembolso em até 30 dias após pagar a pré-matrícula. Se você garantiu sua bolsa antes das matrículas começarem, o prazo é de 30 dias após o início das matrículas na faculdade.

Fique tranquilo: no Quero Bolsa, nós colocamos sua satisfação em primeiro lugar e vamos honrar nosso compromisso.

O Quero Bolsa foi eleito pela Revista Época como a melhor empresa brasileira para o consumidor na categoria Educação - Escolas e Cursos.

O reconhecimento do nosso trabalho através do prêmio Época ReclameAQUI é um reflexo do compromisso que temos em ajudar cada vez mais alunos a ingressar na faculdade.

Feito com pela Quero Educação

Quero Educação © 2011 - 2020 CNPJ: 10.542.212/0001-54